Entre nós: Meu amor pelos livros...

by - sábado, abril 14, 2012

Olá galera!

Ah que saudade que eu estava de postar na coluna "Entre nós", estava pensando o que trazer para vocês, quando me surgiu a ideia de escrever sobre como começou meu amor pela leitura. Afinal, todos nós amantes dos livros, um dia fomos arrebatados por esse de uma maneira especial. Cada um tem sua história, tem um "quando tudo começou", pode ter sido um amor a primeira vista, ou simplesmente desde que se conhece por gente convive e ama essas joias chamadas livros.
Eu acredito que nasci com a sementinha do amor pela leitura, desde pequena, antes de dormir pedia sempre à minha mãe para me contar uma estória. Eu amava quando ela me contava a da Cinderela, castelos, carruagens, príncipes, faziam meus olhos brilhar e minha imaginação voava. Não digo que cresci no meio dos livros, já que na minha cidade não havia livrarias, então quando eu era criança meu recurso era a biblioteca da escola. Mas eu gostava da turma da Mônica, fazia coleção das revistinhas.

Lembro-me bem da época escolar  que a professora nos mandava para a biblioteca, e tinha aquela bibliotecária carrancuda, como a professora não dizia que livros era para nós lermos, eu pegava qualquer um, confesso que tinha até preguiça de ler, e como não tinha orientação eu acabava pegando, por exemplo, um Guimarães Rosa, e lógico que aos 12 anos você vai odiar ler aquilo além de não entender nada.
Aos 14 anos minha vida mudou, mudei de escola, me tornei evangélica, e, portanto aderi à doutrina da igreja, mudando muitas coisas em mim. Então eis que surge em minha vida aquela coisa chamada "bullying" e como eu sofri nas aulas de Educação Física jogavam a bola em mim de propósito, ninguém me queria em seus times, e cheguei a ser humilhada até mesmo pelo professor, por causa da minha roupa, uma saia até o joelho e camiseta, incrível não é mesmo? Mas porque estou contanto isso que é algo tão particular? Simples, porque por causa disso tudo que eu passava comecei a fugir durante essas aulas para a biblioteca. Lá eu me escondia, claro que meus professores sabiam que eu estava fugindo das aulas, mas fingiam não saber já que eu era uma boa aluna.
Eu entrava na biblioteca e ficava horas e horas vendo os livros, olhava, lia as sinopses, me encantava e a bibliotecária conversava comigo. Então um dia comecei a ler os livros do Alexandre Dummas, e me apaixonei, lia um atrás do outro, chegava em casa e ficava lendo e lendo, li muitos livros dele, e depois passei a ler Victor Hugo, tanto que Os Miseráveis é o livro que eu mais reli na minha vida, acho que já o li umas cinco vezes. Li vários livros também do Victor Hugo e fui me encantando cada vez mais pela literatura francesa.
Depois parti para os clássicos da literatura brasileira, devorei todos os romances do Machado de Assis e José de Alencar. Depois descobri o gênero policial, com o escritor brasileiro Luiz Alfredo Garcia Roza, passava horas lendo sobre aqueles casos de assassinato no Rio de Janeiro, as investigações, lia um livro atrás do outro. Aos poucos parti para a literatura portuguesa, depois começou a febre de Crepúsculo, e por ai foi.
Mas a biblioteca da minha escola não era suficiente para mim, então comecei ir à biblioteca pública da cidade, caminhava durante meia hora até chegar lá, ficava escolhendo os livros, eram velhos, com as páginas frágeis, dava até medo de tocar e elas se desmancharem entre meus dedos, aquele cheirinho de livros já antigo, toda vez que eu me recordo desse tempo esse cheiro volta a minha mente. Então escolhia meus livros, e lá também havia um piano, qualquer pessoa podia tocá-lo, e como eu sempre tive um amor também pela música, eu passava minhas tardes escolhendo os livros, e depois ficava no piano tocando e tocando, estudando para minhas aulas de música que eram nos fins de semana, depois voltava para casa. 
Só consegui comprar meu primeiro livro aos 17 anos, quando inaugurou a primeira livraria na cidade onde eu morava, naquela época meus pais não tinham condições de ficar me dando livros, e eu também não ia ficar insistindo para eles me comprarem sabendo que tinham outras prioridades na família, então eu recorria a bibliotecas, emprestava dos amigos, etc.
Hoje compro meus livros, alguns vem de parceria, outros eu ganho de presente, sempre vou às livrarias, nem que seja só para olhar.
Há uns meses atrás uma pessoa disse que eu não tinha vida, porque lia livros demais, fiquei com raiva, mas não me abalei. Ah se a pessoa soubesse o prazer da leitura, e a vida e o universo fantástico que encontramos nos livros. Vivo por amor a leitura, ela preenche cada espacinho da minha vida. Mas lógico que tenho minha vida pessoal também que eu sempre cuido.
E hoje me tornei esse camaleão literário, entrei para o curso de Letras, que é meu atual curso universitário. Então leio clássicos portugueses, brasileiros, ingleses, americanos, africanos etc., mas também leio minhas séries juvenis, romances policiais, contos, poesia, livros de autores brasileiros atuais, etc.. Participo de congressos literários, e ano passado participei de um congresso internacional de literatura.
Amo ter essa diversidade em meu repertório, pois assim consigo conversar com várias pessoas sobre diferentes livros, e isso não tem preço. Não é legal você supervalorizar ou ler somente um gênero, isso não enriquece seu repertório literário, mas como leitura é uma coisa pessoal, cada um escolhe para si o que quer.
Espero que tenham gostado dessa postagem, abri meu coração aqui para vocês e contei um pouco da minha história e do meu amor pelos livriso, conte aqui também pra gente como começou seu amor pela leitura!

Beijos!

Leia também

17 comentários

  1. Eu adoro saber como as pessoas começaram sua paixão pela leitura e também adoro dividir a minha. Desde pequeno sempre gostava de coisas diferentes, meninos gostavam de carrinhos e eu de papel, lápis de cor e muita imaginação. Não lia muito, apenas gibis, mas foi na 5ª série que começei a ler meus primeiros livros. Eram livros infanto-juvenis e bem legais, inclusive, um que eu adoro é Sete Desafios para ser Rei. Confesso que lia por obrigação e ficava com um pouco de preguiça. Uma amiga que já havia lido crepúsculo viu a foto numa revista e comentou muito comigo, eu fiquei curioso e quis ver ao filme, e bem depois decidi ler o livro, pronto, minha paixão pela leitura começou, depois veio os outros livros da saga e também diferentes estilos. Eu amava ler livros, mas sentia que não lia muito, portanto, em 2011, foi um ano que eu parei de gastar meu dinheiro com outras coisas e começei a comprar livros, hoje, tenho uma boa coleção de livros e sou apaixonado por todos. Passo a maior parte do meu tempo na internet envolvido com isso, tanto que tenho até um blog literário: http://www.welcometotheriotshow.blogspot.com Assim como você, também me dizem que não tenho vida e que não faço nada além de ler, mas eu não ligo, sei que as pessoas não entendem e não sabem que o livro além de trazer diversão, também traz conhecimento que podemos levar por toda nossa vida. Vixe, to escrevendo um texto aqui no comentário. Daiane, muito linda sua história e fico feliz de saber como você está feliz agora e como pode expressar esse seu amor pela leitura.

    ResponderExcluir
  2. Oi!!!
    adorei o post, adorei tua história...
    acho que nasci com a mesma sementinha que tu,desde pequena lia, minha irmã me ensinou a ler aos 5 anos e diferente de ti não tive problemas com a biblioteca, onde podia pegar todos os livrinhos infantis. E eu adorava os gibis da turma da Mônica, ainda os tenho aqui em casa.
    Desde que li o primeiro livro não parei mais, mas aos 12 anos li o primeiro livro sem gravuras e grande, hehehe: Harry Potter e a Pedra Filosofal...
    Enfim, meu amor começou desde criança e morrerá comigo.
    Infelizmente existem pessoas que acreditam que ler é perder tempo, essas não sabem o quão ler é importante e prazeroso...
    Acho que me estendi no comentário, hehehe
    Vou ficar por aqui!
    Parabéns pelo post.
    Um beijão
    Lara - Magia Literária

    ResponderExcluir
  3. Nossa que historia linda !
    Qunado nasci eu adora me deitar na rede e eu vivia pedindo do meu pai pra ele cantar ou ler uma historia pra mim ! Eu adora um livro que ele tinha mas ate hoje não encontrei mais ele ! Eu sempre gostei de comprar a revistinha da turma da monica fazia ate coleção ! Mas aos dez anos parei de comprar porque ja atava acumulando então eu vivia enprestando o livro da escola todo dia era um minha mãe vivia me brigando por causa disso ! Mas quando sai da minha escola parei de ler ate que em 2o1o teve a feira do livro na minha cidade e tinha o livro MARLEY E EU e eu ja tinha visto o começo do filme então meu pai fez uma aposta se eu le-se esse livro em uma semana ele me daria uma coisa que eu queria podia ser qualquer coisa e eu aceita ! Terminei antes do final de semana o livro era otimo ! E dai em diante eu não parei maais ! E nem vou parar ! kkkk esse é a minha historia !! beijos !

    ResponderExcluir
  4. Ah...a paixão pelos livros é algo inexplicável, né?N ão entendo quem diz que não temos vida porque lemos o tempo todo, acredito que essas pessoas não saibam oque é ler e sentir-se dentro do livro compartilhando emoções.
    Beijos,
    Rafa :)
    Blog Melody
    http://rafaacarvalho.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Aiii Dai, como é bom saber um pouco da sua história.
    Quando você disse que fugia para a biblioteca, me fez lembrar o livro A menina que não sabia ler...
    Cada um tem uma história diferente para contar.
    Eu nunca tive paciência para ler, mas como nunca é tarde, cá estou apaixonada pelos livros. Prefiro ler a sair. Para alguns como você comentou pode ser que não tenhamos vida, ao contrário, ganhamos muito com isso. Como eu costumo dizer, cada um tem um modo de lazer e prazer...
    Já li livros de biblioteca, ia até o centro da cidade do Rio pra pegar livros emprestados, hoje essa biblioteca está fechada para reforma, e hoje como você posso comprar meus livros. Um prazer que não tem preço!
    Acredito que cada um que passar por aqui contará um pouco de sua história inspirada em você.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. @cyberlivingdeadabril 14, 2012

    Olá, Daiane!
    Todos nós sempre lembramos com muito carinho daquele primeiro instante de flerte com a literatura e em como pouquíssimo tempo depois já estávamos vivendo uma paixão arrebatadora. Infelizmente não cresci com pais leitores por perto, então meu grande incentivo a começar ler foi a televisão. Sim, isso mesmo...a televisão. Bem, foi o seguinte: Desde pequeno amor filmes de terror, logo minha fascinação pelo gênero foi alcançando outras esferas até chegar na literatura. Por isso meus primeiros livros foram de terror e até hoje me mantenho um fã fiel desse gênero, apesar deste amor incondicional ao terror sempre leio livros de outros estilos.

    Beijos!
    http://policialdabiblioteca.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Eu diria que a minha paixão pela escrita veio antes da minha paixão pela leitura. Parece um pouco contraditório até. Mas não é que eu não gostasse de ler desde cedo, mas como meu pai tinha o costume de ler bastante e meu avô sempre teve uma vasta biblioteca na casa dele, a leitura era mais uma rotina e eu nem me tocava da importância que aquilo tinha ou do gosto por aquilo. Sempre pegava alguns livros (a maioria aleatórios ou sobre curiosidades, tipo "como fazer tudo com qualquer coisa" ou até enciclopédias). O meu porto seguro, no caso, era a escrita. Com ela eu fugia dos problemas, das preocupações, do mundo e das angústias. Tanto que sempre escrevi em blogs - mudando toda vez, também - desde os 12 ou 13 anos de idade, o que já tem quase dez anos. Com o tempo eu fui percebendo que a leitura sempre vinha junto e as duas paixões de completavam. E confesso que tive um empurrão de uma professora do ensino médio que me fez gostar ainda mais dos livros nacionais, clássicos e literários (e não apenas conhecimento ou algumas histórias curtas). Ela dava aula com tanta paixão que isso acabava sendo transmitido também. Foi a partir daí que eu comecei a frequentar mais bibliotecas e começar a ganhar livros de presente e ficar super feliz com isso (apesar de que o livro que me incentivou a começar a ler de verdade foi Harry Potter, aos 11 anos, e fui passando para outros juvenis). Passei depois a comprar os meus próprios livros. Ultimamente eu já não tenho mais aquela empolgação para escrever (culpa dessa sociedade imediatista pós-moderna, em que não se tem tempo para agir ou pensar - ou, mesmo que se tenha, a ideia é o contrário). No fim das contas, acabei optando, também, pelo curso de Letras (até os 14 anos eu pensava em fazer Psicologia ou, principalmente, Matemática, dá pra ver que a contradição sempre existiu). Cursei jornalismo um tempo, mas Letras é, de fato, um curso que me completa e que me fez ainda mais querer seguir uma das profissões mais nobres que existem: a de professor/a.

    Eu comecei a escrever esse comentário assim que você postou, mas acabei tendo que fazer outra coisa e só continuei agora. Mas não quis deixar de comentar, hehe. Gosto de ler um pouco da história de cada pessoa e como o interesse pela leitura surgiu em cada uma. Muito bom o seu relato :)

    Um grande abraço!
    http://ninanoespelho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Nossa...que bom que vc reverteu os efeitos do bullying,né? Bem, minhas histórias com livros se parece com a sua. Eu mudei de escola, era muito tímida (sou bem menos hoje) e tive certa dificuldade para me adaptar. Enfim, passava os intervalos na biblioteca. E foi através disso que comecei a fazer amigos, pois a minha escola incentivava a leitura por meio do concurso o "Leitor do Mês", onde o alunos que mais lessem ganhavam um livro . Com este concurso, comecei a fazer parte de um grupinho de leitura e fiz alguns amigos. Inclusive, dois deles são presentes na minha vida até hoje.

    Abraços,
    Islayne

    ResponderExcluir
  9. Que história Dai! É bom saber que você lidou tão bem com o bullying.
    Eu não me lembro do primeiro livro que li. Sei que desde bem pequena lia Gibis da Mônica. Um fato que marcou muito minha infância foi quando na segunda ou terceira série eu disse para a minha mãe que estava triste, e sabendo que eu gostava muito de ler, ela me levou a uma livraria. Comprei o livro da Bruxonilda. haha Tenho até hoje esses e todos os meus livros de quando eu era pequena. Acho que a partir dai não parei mais.

    Um beijo,
    Gaby

    ResponderExcluir
  10. Adorei sua história. Não parei até chegar ao fim, porque amo ver como as pessoas se envolvem e desenvolvem esse amor imenso que eu também sinto pelos livros. Minha história é parecida com a sua em dois pontos: nas historinhas ouvidas na infância e na parte do bullying. Sempre fui bem nerd e sofri bastante por isso no colégio.
    Também gostava de quadrinhos, apesar de não muito, mas fui me afundando nessa paixão com livros como Vito Grandan, do Ziraldo. Ainda o tenho aqui, todo desgastado rs.
    Beijos,
    Kim.

    ResponderExcluir
  11. Oi Dai, que história bonita essa sua. Você usou os livros como uma fuga, e encontrou neles uma grande paixão. Não imaginava o vasto conhecimento que você tem sobre literatura, e posso te dizer que te admiro muito por tudo que você relatou aqui.
    Isso é mais uma prova, de que os blogueiros, são sim pessoas com cultura e conteúdo para passar adiante. Não estou generalizando, mas para aqueles que acreditam que nosso mundo dos blogs é fútil, sua história serve como lição. Todos deveriam ler e aprender a nos respeitar.
    Sua fã, sempre.

    Bjos querida.

    Cida
    www.moonlightbooks.net

    ResponderExcluir
  12. Uau, Que história! É como dizem - "Há males que veem para o nosso Bem!". Que bom que você conseguiu superar o bullying, e com encontrar seu amor pelos livros. Bom, não sei dizer ao certo quando exatamente comecei a gostar de livros. Quando eu era pequena adorava brincar de professora haha, e eu ganhava muitos livros de Cinderela, Branca de Neve - minha madrinha era (é até hoje) professora e ela sempre me dava coleções desses contos. Eu adorava brincar de ser - e dizia que seria - professora, e lia todos os livros. Porém quando eu via livros como os que lemos hoje, eu morria de preguiça. Acho que eu gostava mesmo era das ilustrações nos contos da Cinderela, Branca de Neve, hahaha. Então, quando entrei na quinta série eu definitivamente não queria mais ser professora. Mas, comecei a ver que gostava bastante de livros. Foi em 2010 que comprei meu primeiro livro - A Menina Que Roubava Livros - e, talvez por isso, ele seja até hoje meu livro favorito - e mais velhinho, é claro. Não possuo muitos livros ainda, pois quem me dão meus livros são meus pais, pois com 15 anos não tenho salário hahaha. Enfim, hoje estou decidida a fazer Psicologia e compro livros o mais que posso, leio mais que consigo. E você disse algo que acontece sempre comigo: dizem que sou louca por livros, e que isso não é normal. Anormal é não gostar de ler :)

    Enfim, é isso. (Falei muito, ufa)
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oie Daiane :)
    Gostei desse post, bem como é a primeira vez que venho no teu blog foi bom conhecer um pouco sobre você. E tão difícil não achar uma pessoa que não tenha sofrido algum tipo de bullying ? :/
    Claro que antes não era tão comentado como hoje isso é triste.
    No teu caso, te abriu a melhor porta que poderia te acontecer, a porta dos livros, das viagem se sair do lugar de todos sentimento misturado em uma leitura...
    Mas, que títulos ótimos você começou, estou para ler Os miasses eis, mas ate agora nada, uma dia leio. Kk
    Eu comecei minhas leitura na adolescência e com livros de banca já que minha Irma tinha um monte kk foi valido pois hoje leio de tudo, bem quase tudo, é que sou medrosa até na leitura, agora que estou começando a ler livros mais assustadores, hehehe comecei a freqüentar biblioteca da escola e da cidade e cada vez tosava mais /0/ dos clássico gostei de Diva, a Senhora e o meu preferido é A Moreninha
    Sou evangélica também :)
    Quando tiver tempo vai no meu blog http://mahzinhasantana.blogspot.com.br/
    Esse é um do dois que tenho
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Oie Daiane! Que história emocionante, sabe, acho que também nasci com essa sementinha do amor pela literatura, sempre gostava quando os adultos liam livros para mim, e depois eu tb colecionava gibis, lembro até hoje de como os cuidava, não deixava quase ninguém tocar neles! kkkkk mas depois teve um tempo que eu meio que esqueci de meus amados livros, dai no ensino médio eu estava muito ruim em português, era tipo MUITO RUIM mesmo, então recorri aos livros para melhorar minha escrita e leitura, e deu certo! E dai em diante eu não larguei mais eles, a partir desse ano eu comecei a comprar meus próprios livros, só o que me falta é o tempo, comprei uns 12 livros esse ano e estou ainda no 4, mas é que com faculdade fica mais difícil para mim! Mas então... o amor pela leitura entrou na minha vida e nunca mais ira sair!
    Bjuss

    ResponderExcluir
  15. Nossa, Daiane, que linda sua história!! Tão diferente da minha!! Eu, ao contrário de você, nasci numa cidade com milhões de livrarias, hehe, e infernizava meus pais para me darem livros, eu lia um atrás do outro e não gostava de reler não, queria todos os livros do mundo! rs... Pior que tenho uma mãe que considera que livro não é presente, e eu achava isso um pesadelo!! Sempre amei todo tipo de livro, ainda amo hoje, tenho um gosto bem diversificado assim como você, e também acho isso muito bom.

    Super emocionante essa postagem! Amei!!! =)

    Ju
    entrepalcoselivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Post emocionante hein Dai? Caramba, não sei como faria morar em uma cidade sem livraria. Que loucura. E td o que passou na infância, no colégio... Não é fácil. Mas isso que nos faz crescer e sermos quem somos hoje nao é mesmo? Que orgulho de vc, minha linda! Certeza que seu caminho será pavimentado de amor e esperança pois é isso que vc passa pra gente por meio do seu blog!

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  17. Descobri meu amor pelos livros com 14 anos...
    Foi num dia em que a professora nos levou para a biblioteca para fazer um trabalho. Cada um podia escolher o livro que quisesse e eu peguei "Anarquistas Graças a Deus" da Zelia Gattai.

    No começo achei um pouco chato...
    Mas como era para fazer um trabalho valendo 50% da nota do bimestre fui "obrigada" a continuar...

    Após mais algumas páginas, comecei a imaginar tudo o que ela contava.
    O livro fala da época em que os imigrantes italianos chegaram no Brasil.
    Conta sobre o nascimento e o desenvolvimento da Av Paulista.
    Eu nunca tinha ido até o centro de SP e, imaginar tudo aquilo foi maravilhoso!

    Depois disso, sempre arrumava uma desculpa para abrirem a biblioteca para mim!
    Ganhei um livro da minha mãe, que foi o começo pela minha preferencia por terror, suspense e investigações. O livro se chama "A Maldição de Alaizabel Cray". É muito bom! Já li ele umas 3 vezes!

    Acho que o primeiro livro que comprei foi uma coleção do Dan Brown com uns 6 livros... Depois disso, acabei conhecendo o mundo dos Blogs literários e não abandonei mais meus amigos de papel! =D

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011