Um machista no meu quintal

by - sábado, julho 28, 2012


Por: Lilian Farias

A literatura é ampla e dá espaço para todos. Isso é maravilhoso. Mas como tudo na vida, todo bônus tem seu ônus. Por conta dessa liberação total, encontramos todo tipo de situação. Inclusive passagens violentas contra a mulher e o homem. Sim. Já que é bem comum vermos homens e mulheres machistas. E por que não dizer que na literatura também? Nesse mundo louco encontramos de tudo um pouco.
Confesso que os novos autores nacionais (alguns poucos) tem mostrado esse lado machista bem aflorado. Os clássicos não ficam de fora. Não vou citar títulos aqui, pois sei que é uma situação constrangedora. Mas se alguns de vocês encontrarem resenhas minhas espalhadas na blogosfera perceberão logo.
É engraçado se deparar com o conceito de algumas pessoas sobre determinados assuntos. Padronizar a vida é quase regra. Tenho uma amiga que acredita que família é formada por: pai, mãe e filhos. E, detalhe: pai e mãe casados na igreja! Se fugir do padrão, não é família, é qualquer coisa! Coitada das viúvas!
Outra observação que tenho presenciado, entre alguns literários e educadores, é que o homem não pode ter o lado feminino aflorado. O mito da mulher moderna, que desde a segunda guerra mundial, tem sido bem difundido, onde, devemos usar a roupa da moda, ler o que está na moda, pensar como a mídia manda, e, principalmente, fazer muita plástica.
A mulher moderna até pode fazer faculdade, trabalhar fora, casar e separa quantas vezes desejar, mas, tudo dentro de um padrão aceitável. Nossa identidade é jogada no lixo, feito copo descartável! Ser diferente deveria ser normal, mas não é. Ou somos homogêneos, ou somos levados à fogueira. 
Tenho lido alguns livros, que me remetem a uma época chata, onde o sinônimo de beleza da mulher era: fraca, burra, vazia, boba, magra, muito magra, macérrima. Claro que agora ela até vai à faculdade, mas continua vazia de sentidos. E o pior é que ela não pode ter seu lado masculino aflorado... sexo? Nem pensar!
Também fica estabelecido que toda feminista é uma subversiva e que não tem o menor senso de feminilidade. São mulheres chatas, que estudam e acreditam nos bons teóricos, que se alimentam de alface, que acreditam num mundo melhor e que só sabem fazer protestos. Ok! Boa alimentação, acreditar num mundo melhor, estudar e ler fica para as subversivas.
Aos homens cabem coçar o saco e assistir jogos violentos de futebol. O Homem não pode costurar; ler, dançar, pensar, amar uma única mulher, ser carinhoso. E por incrível que pareça, eu vi isso em livros escritos por homens e mulheres. Geralmente livros voltados para o público adolescente. Assustei-me!
Nossa sensibilidade, por muito tempo, vem sendo desvalorizada, para dar vida a humanos robôs e com programação certa. Devemos usar scarpins e manter o nosso terceiro olho fechado? Somos forçados a aceitar que todo homem é safado e nos mantermos fragilizados? Será verdade que o Mac donalds oferece saúde? O que é feio e o que é bonito? Em qual parte desse machismo e padronismo vigente podemos ser humanos? Podemos ser homens e mulheres?
Esse foi um pequeno desabafo depois de ler alguns livros que abordam uma temática machista. Claro que o livro é meu, pois eu o comprei, por isso está no meu quintal. Eu não vou queimá-lo e tão pouco dizer: Não leiam! Mas também não posso me calar, pois isso não combina comigo. O que me deixou triste é que foram todos livros nacionais. Mas nem tudo é perfeito! Continuo lendo Mulheres que correm com os lobos e muito feliz. Com o terceiro olho abrindo...
Continuo gostando de autores nacionais, querendo conhecer e não sendo nem um pouco passiva nas minhas leituras. 

Esta feminista feminina que pousa na sopa é
Lilian Farias

Leia também

63 comentários

  1. Respostas
    1. POR GUSTAVO:
      È Triste sabermos que na nossa comunidade , em pleno seculo xxi , ainda exista essa diferença entre as pessoas , invez de nos unirmos para ultrapassar as barreiras da violencia , a maioria das pessoas ainda age primitivamente , em diversos aspectos , como na religião , na raça , na cor da pele , na opção sexual , enfim , se fosse citar tudo , cansaria meus dedos ... ainda bem que existem pessoas como vc e eu que ainda enxerga isso , parabens ...

      Excluir
    2. Obrigada Gustavo por deixar sua opinião aqui! é triste evidencia que a evolução que tanto se fala na mídia é uma farsa!

      @liligarota

      Excluir
  2. Respostas
    1. POR RISSIA:
      O post é realmente diferente pórque nunca cheguei a ler esse asunto como esta descrito aqui ! Parabens a Lilian !

      Excluir
  3. Respostas
    1. POR RODRIGO:
      Adoro quando você posta esses artigos que dão o seu ponto de vista sobre assuntos polêmicos. A parte que eu mais gostei do texto é quando você fala que o ideal seria o diferente ser normal, eu também concordo, porque as pessoas tem tanta repulsa pelo o que é diferente, o caso mais recente aconteceu com aquela série 50 Tons de Cinza que fala sobre sadomasoquismo que é um tabu na sociedade, todos insistem em falar mal dos livros, que eles degradam a mulher, como essas pessoas sabem disso se nem leram, o livro só chegou nas livrarias essa semana mas já tem vários meses que as pessoas falam mal dela. Eu não dar minha opnião sobre a série, se ela é machista ou não, pois ainda não a li, eu só critico um livro depois de ter lido.
      Abraços.

      http://viciadoemlivrosefilmes.blogspot.com/

      Excluir
    2. Concordo plenamente. Não dá pra criticar o que não conheço. Além de que não podemos deixar de contextualizar.

      Excluir
  4. Respostas
    1. POR NATALIA:
      Meus parabéns!
      Como jornalista, devo dizer que sinto até certo orgulho (sem lhe conhecer pessoalmente)pelo texto maravilhoso que você postou aqui; como leitora voraz, eu fico muito surpresa de perceber que esses valores ainda se encontram entranhados na nossa sociedade, sendo repassados as obras dos nossos escritores. Ainda não tive o desprazer de ler algo do tipo...

      Excluir
    2. poxa! obrigada mesmo!
      Tenho medo da opinião de meus amigos machistas!

      Excluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POR O VAZIO NA FLOR
      Nossa, que desabafo! Um bafão..rs
      Ainda não li nenhum livro assim tão machista, não ao ponto de me deixar revoltada ou algo semelhante.
      Mas que é complicado ler coisas assim, com certeza é. Estamos na era da modernidade, tempo onde a mulher conseguiu segurar bem firme as rédeas de suas vontades e com isso, alcançar seu lugar no mundo, sem ficar presa a homem nenhum.
      Adorei o post, assino embaixo e também quero muito continuar lendo a literatura nacional e não sendo passiva..rs

      Beijo

      Excluir
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POR FOLHEANDO PENSAMENTOS:
      Oi,Lílian!

      Ótima reflexão! Aliás, este machismo é recorrente em todos aspectos da nossa sociedade.É um círculo vicioso do qual não conseguimos escapar. Mas cabe a cada pessoa manter o seu terceiro olho aberto, como você mesmo diz.E mais, devemos ampliar nossa leitura de mundo e constatar que não há uma verdade absoluta...Afinal, o mundo é plural!!

      Abraços,
      Islayne

      Excluir
    2. poxa. adorei: o mundo é plural. sempre digo isso pros meus alunos!
      @liligarota ^^

      Excluir
  7. Respostas
    1. POR CIDA:
      Gostei muito do texto. Não a passividade. Temos que colocar sempre nossa opinião e lutar pelo nosso direito.
      Bjos!

      Cida

      Excluir
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POR FABI:
      Esta feminista feminina que pousa na sopa é...#adorei.Percebo que as mulheres tem muito a evoluir quando escuto minhas amigas na faculdade:casar e ter filhos soa como uma obrigação(e sempre sou a esquisita,pois munha pretensão de vida não é essa).
      Bjs

      Excluir
    2. pois é... o povo enquadra a vida, e depois diz: é impossível ser feliz! pq será?

      @liligarota

      Excluir
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POR ARIANE:

      ADOREI, serio ja vi e li varia vezes, um exemplo claro do machismo literario para mim é em muitos romances de banca, eu leio muito estes livros pq sao mais curtinhos nao tenho tempo para ler os grandões que ficam mais para o final de semana rs, mas eu tambem gosto do lado romantico dos romances de banca, mas o problema é que as "mocinhas" na maioria das vzes sao agua com açucar, doces,virgens e angelicais, quase nao lutam e os "mocinhos" sao aqueles agros (qe eu ate gosto se for na dose moderada), pelo menos na maioria das vezes pq nem todos sao assim, mas isto mostra um lado que para mim a mulher nao pode agir e uma mulher "perfeita" daquele modo nao existe, mas tem uns em que mostram a mulher forte e que busca o que quer que eu amo mais ainda.

      tambem conheço varias pessoas assim, a mulher pode tudo desde que nos parametros que a sociedade coloca, acho que ja ta na hora disto acabar, para mim é simples,a vida so tem uma, leia o que vc quer, divirtasse e busque sua personalidade, os machistas que se virem e vao buscar um passa-tempo melhor como tomar conta de suas vidas *-*
      adorei seu desabafo!

      Excluir
    2. poxa. palavras boas e interessantes.

      Excluir
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POR MARINA:
      Gostei do seu texto. Essa coisa de homem não chora e mulher tem que gostar de rosa já ficou ultrapassado (meus exemplos são péssimos, mas dá pra entender). Outro dia vi um documentario que falava disso, uma pena que o video foi removido do youtube, se não te passava o link. As vezes me irrita um a mulher ser tão desvalorizada, e muitas não perceberem isso. Não vemos mulheres nos programas de humor (a menos que sejam a "bonitona" que fica com o cara que faz a piada) se se tiver mulher nos programas de humor, é um homem vestido como uma (vide zorra total). As mulheres são as protagonistas apenas das comedias românticas (e estão atrás de um cara). Porque o príncipe sempre salva a princesa? Porque não o contrario? E porque a mulher tem que ficar se matando no salão? Porque a gente tem que ler revista da moda, vestir as coisas que a midia manda, como você falou. Fica aqui meu desabafo também.

      Fico curiosa pra saber que livros você tava lendo...

      Excluir
    2. Vc citou exemplos magníficos!
      Fiquei curiosa pelo documentário!
      outra coisa que eu abomino são as músicas... principalmente o pagode! é deplorável!

      @liligarota

      Excluir
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POR AMANDA:
      Que desabafo em.. mas como você disse, não é apenas nos livros, é a nossa realidade que está dessa forma.

      As pessoas criam rótulos, grupos, que não se encaixa em nenhum deles, está fora do padrão.
      è excluido.

      Excluir
    2. Grupos com identidade duvidável, né? um grupo que exclui já é um grupo falido!

      @liligarota

      Excluir
  12. Grande texto. Concordo demais. Uma pena escritores e as pessoas de maneira geral se prenderem a resquícios de nossa história que devem sim servir de exemplo. Mas um exemplo a não ser seguido. Rótulos não são bons. Cada um é cada um e respeito se faz necessário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pena escritores e as pessoas de maneira geral se prenderem a resquícios de nossa história que devem sim servir de exemplo. Mas um exemplo a não ser seguido. Rótulos não são bons.

      PERFEITO!

      Valeu por nos agraciar com tais palavras!

      @liligarota

      Excluir
  13. Dai e Lílian...
    Amei o texto e ainda mais o macérrima (português magnífico)
    Os padrões são complicados mesmo, acreditamos que aquilo que vivemos e que nos são passado de mãe/pai para filho/a é a verdade soberana e não abrimos nossa mente para outras realidades.
    O machismo, que tinha tudo para ter acabado está cada vez mais presente, ou no mínimo nos deixou uma péssima troca... os homens estão negligenciando ajuda e justificam isso nos direitos iguais... Absurdo master...

    Beijos
    Chrys

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, seu texto só complementou. obrigada por ler, comentar e gostar! hehehehehehe
      Usei o macérrima de propósito, pois não aguento mais "megérrima"!
      Obrigada por contribuir, percebi que vc é bem atenta!

      @liligarota

      Excluir
  14. Oi gostei do tema abordado nesse post, mas triste pelos autores nacionais estarem abordando esse tema em seus livros...
    Tem que mudar esse padrão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo! lamentável difundir essas ideias hj!

      Excluir
  15. Parabéns pelo ótimo texto Lílian!
    É triste ver que a sociedade continua igual com o passar dos anos. Mudam-se os padrões, mas a ditadura de segui-los continua. Ninguém pode ser diferente, nem pensar diferente. É muito triste ver que muita gente segue os padrões sem questionar...

    Beijos,
    Gaby
    http://pitadadecultura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é triste mesmo. Fico desesperada na sala de aula evidenciar isso!

      Excluir
  16. Li seu texto e estou pensando se já li algum livro que se encaixa no que você descreveu e não consigo pensar em nenhum. Enfim, achei o texto bastante reflexivo e nas minhas próximas leituras vou me atentar ao fato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra falar a verdade
      eu só percebi depois que comecei a fazer análise literária... minha criticidade triplicou!
      A análise do discurso tb ajudou!

      @liligarota

      Excluir
  17. Não tenho certeza se meu recado anterior foi computado, então vou comentar novamente. Depois de ler seu texto fiquei tentando lembrar de algum livro que se encaixasse nesse machismo que você cita e nenhum me veio a memória. Sempre que leio seus textos acabo refletindo sobre o tema abordado então vou prestar atenção nas minhas próximas leituras e ver se consigo localizar algum exemplo.

    ResponderExcluir
  18. eu já li alguns livros iguais ao que vc mencionou machistas e abandonei, é triste ver como alguns autores pensam assim, adorei o seu texto :)

    ResponderExcluir
  19. Post muito interessante, Lilian.
    Eu, até onde me lembro, não li nenhum livro que aborde esse tema. Não ainda né, pois está havendo de tudo um pouco no mundo literário. Até acho que cada autor tem o direito de escrever sobre o que bem lhe é desejado, e que deve haver diversidade nos temas retratados. Porém, ultimamente, também tenho lido livros com temas abordados no qual não me agradaram. Até me assustaram um pouco, afinal estamos no século XXI.
    Gostei bastante do seu tema. Não suporto machismo, e coisas do tipo. E é a primeira postagem que leio que aborda esse tema!
    Meus parabéns! :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Você está certíssima. Esses padrões que são impostos por séculos a fio são um absurdo mesmo. Já estamos no século 21, e a mentalidade de muita gente ainda continua como se estivéssemos em plena Idade Média. Essas pessoas deveriam tomar 20 litros de modernidade e simancol por dia.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  21. Adorei o post!
    Ele é muito verdadeiro, pois ,infelizmente, é algo que ainda está muito presente no nosso dia a dia.
    É incrível como em pleno século XXI ainda somos obrigados a enfrentar tanto machismo.
    Quer dizer que mulheres só são mulheres se forem burras!?
    E o mais interessante é que realmente tem muito disso nos livros, algumas vezes de um modo escancarado e outras vezes de um modo mais velado.
    Espero que um dia isso mude. =)

    ResponderExcluir
  22. Adorei! Não sou machista e nem femistista, sou igualitária entre sexos. É muito incomodo de como alguns homens enxergam as mulheres '-'

    ResponderExcluir
  23. Adorei o texto, realmente é horrível esse machismo na sociedade. Não sou machista e nem feminista, sou igualitária entre os sexos. :D

    ResponderExcluir
  24. Gostei do seu texto ^^
    Bom ver alguém expondo sua opinião assim, e concordo com ela.
    Acredito que esse conceito machista deveria mudar. Não sou do tipo que fica seguindo tudo na linha como manda os costumes da sociedade, cada um tem direito de ser como achar melhor pra si. Não fico ligando muito para o que as pessoas dizem. Não gostou de mim? E daí! Tem quem goste e tenha as opiniões parecidas com as minhas. Não vou admitir homem nenhum mandando e fazendo que bem entende. Se quer fazer exigências a mim, que mostre o exemplo, ajude, e acima de tudo, que respeite. Ja li história que me deram raiva, raiva mesmo, daquela mocinha estúpida que só fica esperando alguém fazer algo por ela, enquanto fica se lamentando sem fazer absolutamente nada...

    ResponderExcluir
  25. Gostei bastante do post.
    Acho que ainda não li nenhum livro com o tem machismo.
    Espero que esse machismo esse mundo machista acabe logo, e que todos sejam considerados iguais, homens e mulheres.

    ResponderExcluir
  26. Acho bem interessante esses post assim !
    Isso é bem estranho !Porque parece que ainda estamos no seculo sei lá o que !Porque as vezes as mulheres são 'rebaixadas' e tals !E sou homem e nem por isso eu fico 'rebaixando-as'.
    Isso é questão de saber repeitar mesmo !

    OBS - Já passou esse negócio de futebol é de homem e rosa é de mulher !!

    ResponderExcluir
  27. Nossa, como em pleno século XXI, autores de livros podem pensar assim?! Como podem ter uma mente tão pequena?! É realmente deprimente :/
    Se viesse de uma pessoa ignorante... eu n dizia nada, mas autores?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vou dizer que só Freud explica pq eu não gosto dele, mas quem sabe Jung explique...

      obrigada por participar!
      @liligarota

      Excluir
  28. Fica a pergunta: Como isso pode vir de autores em pleno Século XXI?

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011