Resenha: Jardim de Inverno

by - quinta-feira, agosto 08, 2013

Olá pessoal!

Vamos de mais uma resenha, agora de um livro muito emocionante!

Autora: Kristin Hannah
Páginas: 415
Ano: 2013
Editora: Novo Conceito

Sinopse: Meredith e Nina Whiston são tão diferentes quanto duas irmãs podem ser. Uma ficou em casa para cuidar dos filhos e da família. A outra seguiu seus sonhos e viajou o mundo para tornar-se uma fotojornalista famosa. No entanto, com a doença de seu amado pai, as irmãs encontram-se novamente, agora ao lado de sua fria mãe, Anya, que, mesmo nesta situação, não consegue oferecer qualquer conforto às filhas. A verdade é que Anya tem um motivo muito forte para ser assim distante: uma comovente história de amor que se estende por mais de 65 anos entre a gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca. Para cumprir uma promessa ao pai em seu leito de morte, as irmãs Whiston deverão se esforçar e fazer com que a mãe lhes conte esta extraordinária história. Meredith e Nina vão, finalmente, conhecer o passado secreto de sua mãe e descobrir uma verdade tão terrível que abalará o alicerce de sua família… E mudará tudo o que elas pensam que são.


"Pelo que pareceu uma eternidade, nenhuma das duas disse nada. Por fim, mamãe falou:
- Seu pai pensa que não posso lidar com a morte dele.
- E você pode? - Nina perguntou com simplicidade.
- Você ficaria surpresa com o que o coração humano pode suportar" 


Em “Jardim de Inverno”, Kristin Hanna nos apresenta a uma história emocionante do inicio ao fim. Já nas primeiras páginas o jeito de narrar da autora me chamou a atenção, é uma escrita doce, que transmite ao leitor todas as sensações referidas no livro. Conseguimos sentir as emoções dos personagens, formar em nossas mentes todo o cenário perfeitamente.
Hannah é uma autora que não tem pressa ao escrever, e cria seus personagens de uma forma única. Meredith e Nina, apresentam personalidades totalmente diferentes. Cada uma tem sua maneira de levar a vida, Nina a fotógrafa aventureira, e Meredith a dona de casa, mãe e responsável pelos negócios da família. Anya num primeiro momento se mostra como uma mulher gélida, e chegamos a pensar: "como uma mãe pode agir assim com as filhas". Mas algo é certo, as filhas a amam mesmo com essa falta de carinho, e a mãe também ama suas filhas, a seu modo, mas ama.
Entretanto, Anya tem uma história de vida. O único momento que ela chegava a transparecer algum carinho com Nina e Mere era quando lhe contava contos de fadas russos, já que ela é russa. Esse era o momento que as filhas sentiam a ternura na voz de sua mãe. Mas esse conto de fadas não estava completo, Anya ainda não o contou por inteiro. E quando o marido falece, ele a faz prometer que contará todo o conto de fadas às filhas.
Assim através desse conto, Anya narrará na verdade sua vida, somos levados à Segunda Guerra Mundial, e vamos conhecer a história de uma mulher que foi obrigada a fazer muitas escolhas, uma mais difícil que a outra. Hannah nos faz chorar e se surpreender com esses momentos na história.

"Durante anos, olhava para a mãe sem realmente vê-la, assim como ela e Meredith haviam ouvido o conto de fadas sem realmente escutar. Elas haviam assumido que era apenas ficção; elas ouviam apenas para escutar a voz da mãe.
Mas agora era tudo diferente."

O subtítulo "nós mulheres suportamos o que for preciso por nossos filhos" faz jus e resume bem o livro. O que Anya suporta e o que suportou, é o exemplo claro disso. Diversas vezes me emocionei com "Jardim de Inverno", fui as lagrimas, é impossível não se colocar no lugar das personagens.
Hannah criou uma obra que mescla contos de fadas, segunda guerra, personagens marcante que carregam suas cruze, e que possibilitam a identificação do leitor com esses. A narrativa permeia entre o passado e presente, é uma história dentro da outra que se mescla. É admirável a forma como esse livro foi escrito, a história e todo o enredo em si. Considero como um dos melhores romances que li esse ano e com um desfecho surpreendente.
É um livro para se emocionar, para chorar, e para aprender. Aprender que não há amor mais forte que o de uma mãe por um filho, que o perdão é libertador, que só quem passa sabe. É fácil apontarmos o dedo frente à face de alguém e o julgarmos, difícil é se colocar no lugar e buscar compreender, e não nos esqueçamos de que errar é humano, mas e quando erramos justamente para salvar quem amamos? Isso ainda é um erro?
A capa está belíssima, assim como toda a diagramação. Se você quer um livro para chorar, que te leve ao ápice da emoção, um romance maduro escrito por uma autora tão habilidosa, esse é o livro certo para você. Esse é um dos trechos mais lindos que já li:

"- Nós mulheres, fazemos escolhas por outros, não por nós mesmas, e, quando somos mães, nós... suportamos o que for preciso por nossas crianças. Você vai protegê-las. Isso vai doer em você; isto vai doer nelas. Seu trabalho é esconder que seu coração está se partindo e fazer o que elas precisam que você faça."


Leia também

13 comentários

  1. já vi várias resenhas negativas deste livro, mas mesmo assim, me parece ser lindo! acho que esta sua é a primeira positiva que eu vejo hehe
    mesmo assim estou bem curiosa para lê-lo!

    ResponderExcluir
  2. oi dai, eu quero muito esse livro, Kristin me conquistou com seu jeito de escrever sobre as familias, sobre seus dramas e segredos. esse momento final em que você fecha a história achei barbaro e me deu vontade de ler pra ontem!

    ResponderExcluir
  3. Ai meu Deus! Eu sou um ET mesmo...kkk
    Já tentei terminar a leitura deste livro umas 5 ou 6 vezes, mas a narrativa da autora tem um efeito sonífero comigo. Duas páginas e eu já estou quase dormindo. Não consigo continuar. Depois de mais de um mês rodando com o livro por aí, intercalando com outros e me esforçando, cheguei mais ou menos na página 120 e desisti de vez. Ao menos por um tempo.
    Não consigo enxergar toda esta beleza que você e todo mundo vê neste livro. Comigo simplesmente não funciona, acho que demorou demais para a história finalmente começar e a Mere me irrita. Enfim, UM DIA eu vou terminar esta leitura e espero poder entender um pouco mais este amor todo, mas fico feliz que tenha gostado tanto da história. *-*

    Bjs, Yara.
    http://www.ilusoesescritas.com/

    ResponderExcluir
  4. Li ótimas resenhas sobre esse livro e fiquei super empolgada para lê-lo! Ele entrou na minha lista de desejados primeiramente pela capa mas depois das resenhas eu o quero muito muito mesmo! Nunca li nada que tenha alguma coisa sobre a Rússia e isso me intrigou bastante!
    Beijinhos
    http://viciosdeumabaiana.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Se é pra chorar é comigo mesmo, eu AMO os livros que você se envolve tanto que começa a sentir tudo o que a personagem sente hahaha, e a capa realmente é lindaaaa

    XOXO
    umnovo-roteiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Adoro livros que me fazem chorar kk. Esse livro aprece ser realmente lindo. A capa, o subtítulo, os trechos que você postou *u*
    Com certeza lerei.

    ResponderExcluir
  7. Eu escolhi esse livro como prêmio do TC no Brincando com livros.
    Não imaginava que o livro toca a segunda guerra mundial. Depois de Apátrida fiquei tocada com o assunto e apreensiva por sentir tanto com a leitura e ter crises de choro absurdas. .-.

    ResponderExcluir
  8. Oie :)

    Nossa eu me arrependo mais que amargamente de não ter comprado esse livro quando tive a chance, agora terei que esperar até a lista diminuir, beijos !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Ta aí um livro que eu não dava nada por ele...e se mostrou surpreendente! Mesmo assim, minha vontade em ler esse título é zero. estou em outra vibe...quem sabe um dia. Pelo menos, valeu a dica.

    ResponderExcluir
  10. Segunda Guerra é sempre um tema pesado (já disse que gosto, certo?) e a maioria dos livros que li sobre esse tema me fizeram chorar (muito). Fiquei bastante curiosa com a história, primeiramente por causa de sua capa, que achei muito bonita, mas depois por sua sinopse.

    Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  11. Esse livro parece ser lindo, adoro a capa dele e tenho muita vontade de ler. Ainda mais depois dessa resenha, fiquei bem curiosa e livros que nos emocionam tocam nossa alma e não nos esquecemos.

    ResponderExcluir
  12. Apesar de ser uma história muito linda e bem escrita, não me interessei muito. Não gosto de ler coisas mais densas como essas, e só em pensar que poderia ir às lágrimas em uma leitura, isso me trava.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  13. Acho que ainda não li esse livro exatamente por isso, por saber que vou chorar e ainda não estar preparada para fortes emoções. Sua resenha está belíssima.

    Beijos.

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011