Resenha: Never Sky - Sob o céu do nunca

by - terça-feira, agosto 20, 2013

Olá pessoal!


Vamos de resenha nova? Dessa vez do primeiro livro da trilogia "Never Skye - Sob o céu do nunca", lançado pela Editora Prumo.

Autora: Veronica Rossi
Páginas: 335
Ano: 2013
Editora: Prumo


Em Never Sky somos apresentados a um mundo diferente, há mescla de realidade e ficção. A personagem central, Ária, era uma ocupante que vivia em Quimera, praticamente um lugar perfeito onde as pessoas não ficam doentes, são belas, nada de mal pode atingi-las, sua mãe era uma conceituada cientista que trabalhava para o governo, mas teve que fazer uma viagem e há tempos não entra em contato. Nas cenas iniciais Ária é  colocada praticamente em uma enrascada, mas é salva por Perry, um selvagem, como eram chamado os forasteiros que não viviam nesses núcleos como Ária. Ele salva a jovem, mas isso traz problemas a ele, já que seu sobrinho, Talon, é sequestrado por essas pessoas dos núcleos, e seu irmão Vale, o soberano de sangue da tribo ficou nada feliz com isso, piorando ainda mais o relacionamento dos irmãos. 

Ária viu coisas demais, e é jogada para fora do núcleo, no vale da morte onde as tempestades elétricas de éter eram fortes, ali Perry a encontra. Ele quer seu sobrinho de volta, e ela quer encontrar sua mãe e provar que não tivera culpa pelo que aconteceu, a esperança o "olho mágico" que os ocupantes tinham, um instrumento que acoplado ao olho permitia viajar pelos núcleos, se comunicar e ir para onde quiser, algo parecido com uma “ilusão” sabe? Mas o de Ária estava estragado e precisavam de ajuda para recuperá-lo, já que ele também possuía informações de que Ária não tivera culpa pelo terror que acontecera no inicio e assim provando a todos a verdade poderia voltar para seu núcleo.  Perry sabia onde encontrar a ajuda para consertar o objeto. E assim ambos seriam beneficiados, ela encontraria a mãe e voltaria para casa e ele seu sobrinho.
Os dois claro não se suportam e tem suas diferenças, Perry, o caçador, destemido, selvagem, e Ária, a menina mimada, que não sabe nada do "real". Mas um precisa do outro e juntos eles partem em uma aventura, cercado por canibais, chuvas de éter que estão cada vez mais fortes e ameaçam tribos inteiras.

"- As nuvens se dissipam? - perguntou ela.
- Completamente? Não. Nunca.
- E quanto ao Éter? Ele some em algum momento?
- Nunca Tatu. O Éter nunca some.
Ela olhou para cima.
- Um mundo de nuncas sob o céu do nunca."

"Never Sky - Sob o céu do nunca", primeiro livro de uma trilogia e livro de estreia de Veronica Rossi é realmente uma distopia eletrizante. Sou acostumada a ler o gênero e esse desde que li sua sinopse, essa deixou em mim um misto de curiosidade e interesse pela sua história. Ao começar a ler comprovei o que já sentia saber, esse livro seria marcante.
Personagens interessantes e tão diferentes, cada um a seu modo de ser. Como não entender o que Ária está passando e a maneira como foi expulsa deixada para morrer? E como não sentir a angústia de Perry, que praticamente vive em guerra com seu irmão, e não podendo ser o soberano de sangue como deseja? Parece que tudo dá errado e ainda por cima os ocupantes levam seu sobrinho.
Rossi constrói um mundo em que conseguimos imaginá-lo perfeitamente em nossa mente, é um misto de ficção científica e distopia. Além das questões internas das personagens somos levados também a pensar no todo. É uma escrita madura mesmo para um livro de uma autora iniciante. 
Algo que também me chamou a atenção nessa história é a forma como a personagem Ária foi composta, a cada dia que se passava, naquela terra de selvagens junto com Perry, ela foi ficando mais humana. Foi saindo debaixo do manto de superficialidade que a cobria, foi sentindo e descobrindo emoções reais e também acompanhando as transformações de seu corpo, ou seja, realmente se tornando quem verdadeiramente é.
Em relação à diagramação a capa é linda, toda a parte interna também, muito bem revisado, um livro que da gosto mesmo de ter em mãos. Never Sky é uma distopia inteligente para leitores que gostam de ser desafiados com leituras novas, que querem adentrar a mundo bem construído e uma história bem fundamentada. Com personagens interessantes e que conseguem te surpreender nos momentos certos. Livro recomendando com certeza.



Leia também

5 comentários

  1. Também gostei muito desta distopia e da arte, em geral. Estava louca para ler há tempos e não me decepcionei! :)

    ssentrelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Vi algumas pessoas comentando sobre esse lançamento, mas ainda não tinha lido nenhum resenha sobre ele. Gostei da história... Achei bem diferente. E por adorar distopia já fico interessada. Talvez eu leia mais pra frente, tô fugindo um pouco de séries que ainda não foram publicados todos os livros aqui no Brasil. :~
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. é a segunda resenha que leio desse livro, não sei se leria, sinceramente, pois achei a história cheia de elementos e quem sabe até um pouco confusa a primeira vista e também to numa fase mais livros agua com açúcar! :)
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu recebi esse livro tem umas duas semanas e está aqui para ser lido, a capa fica me chamando toda hora. kkkkkkkk Eu tinha uma ideia diferente sobre esse livro, achei que seria mais no estilo de Destino, não sei porque fiquei com essa ideia. Gostei dos personagens e dos detalhes que você deu, correr com a lista de leitura.

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011