Resenha: Peça-me o que quiser

by - sexta-feira, setembro 27, 2013

Olá pessoal,

Vamos para resenha de um livro erótico que chegou com tudo! “Peça-me o que quiser”.

Autora: Megan Maxwell
Páginas: 408
Ano: 2013
Editora: Suma de Letras

Atenção: Livro erótico, não recomendado para menores de 18 anos, a censura também se aplica a esta resenha. Esse post é neutro, não válido para o top comentarista.

Mulheres segurem seus leques e comecem a se abanar, pois esse livro é quente! Nossa mocinha se chama Judith Flores, uma espanhola simpática que vive em Madri, funcionária exemplar e dona de uma animação contagiante. Já na primeira página a moça flagra sem querer sua chefa, Mónica, transando com Miguel, amigo e também funcionário da empresa, em público no estacionamento. Ela fica quietinha para não ser descoberta, lógico que ver aquela cena de sexo mexe com seus hormônios. No outro dia ela e sua chefa agem naturalmente, até que o dono da empresa, que é alemão, liga e diz que está chegando a Madri e a chama para almoçar. A chefa da moça logo fica toda feliz e espera animada pela chegada do patrão.
Judith sai para almoçar, depois de ter ficado trabalhando exaustivamente, só que ela fica presa no elevador com outras garotas, e um homem que logo lhe chama a atenção. Extrovertida a moça conversa com o mesmo assim como faria com qualquer colega na empresa. O nome dele é Eric.

Então o elevador volta a funcionar, a porta destrava, eles saem e quem está ali, a chefe da moça que logo diz a Eric que ficou preocupada com o mesmo, a mulher diz que Jud é sua secretária, quando ele lhe pergunta seu nome. Então a ficha cai, aquele homem que ela foi super simpática, extrovertida, solta, e que inclusive lhe deu um chiclete de morango na boca era ninguém mais e ninguém menos que Eric Zimmerman, o dono daquela empresa.
No dia seguinte ela sabe muito bem quem ele é, e mantem-se afastada, e o trata como deve se tratar um patrão, mas Jud o atrai e Eric não desanima enquanto não a ter. Só que Eric tem um estilo de vida diferente, e Jud adentrará a esse mundo que antes nunca pensou conhecer.

"Meu Deus! Adoro vê-lo sorrir!
- Posso provar sua trufa?
- Claro.
E, quando que ele vai dar uma mordida na trufa que tenho nas mãos, eu a aproximo da minha boca, a esfrego em meus lábios e murmuro:
- Já pode provar."

Quando comecei a ler confesso a vocês que pensei “Meu Deus, mais um clichê”, até dei uma leve desanimada, mas à medida que fui lendo me surpreendi e não queria deixar a leitura. Jud é incrível, é a personagem de livro erótico que mais gostei de todos os livros deste gênero que já li. Ela é espanhola, sangue quente literalmente, esperta, divertida, sorridente, ingênua algumas vezes, mas sem frescura. Jud nos encanta, ama futebol e esportes, é uma filha muito amada e dona de um humor irreverente e o melhor, não é totalmente submissa, fala o que pensa e quando tem que rodar a baiana, roda mesmo! Até que enfim uma personagem que fala e extravasa o que pensa!
Já Eric, é um alemão fogoso, lindo, rico, e dono de um humor alemão típico, às vezes ranzinza. Em alguns momentos no inicio do livro ele é muito insensível, o que me irritou muito, dava razão a Jud, mas com o tempo ela vai aprender a domar essa fera. Eric gosta de atrevimento, sexo para ele é um jogo que se feito com mais pessoas, melhor ainda. Desinibido, ele apresenta a Jud ao submundo onde para o sexo não há limites nem fronteiras.
A princípio a relação entre eles é puro sexo, depois é que a história se encaminha. Então não há aquela paixão imediata, em que a personagem se derrete de amor, não, aqui o que há de imediato é atração, o desejo, o sexo em si, os sentimentos começam a despertar depois quando um mergulha mais no mundo do outro. Adorei isso! Afinal nossas emoções também precisam de um tempo para amadurecer, e desejo e amor são coisas bem diferentes que nem sempre se misturam.
Peça-me o que quiser é um livro com puro sexo, sem tabus e com quebras de preconceito. Há cenas de voyeurismo, sexo grupal, ménage, um homem com duas mulheres ou uma mulher com dois homens ou somente entre mulheres, enfim aqui não há barreira para o prazer. O prazer é o foco, o objetivo de tudo. Nesse livro também conhecemos parte da cultura do swing, em como os casais separam a relação de suas liberdades sexuais e como são felizes com a prática.
Uma obra excitante do inicio ao fim, Eric conseguiu me encantar e me deixar irritada em diversos momentos, Jud é ótima e me tirou boas gargalhadas e pensei: isso ai garota! O final me deixou me roendo para o próximo livro. Gostei até do final, embora não seja todo colorido, mas por causa de Jud ele ficou muito bom.
Maxwell nos apresenta a fúria espanhola, e como está na capa um erotismo na versão flamenca. Para algumas pessoas ele pode assustar por sair da esfera do sexo “tradicional”, aqui também não há o BSDM, tema tão batido já nos romances eróticos. Jud embora não fosse virgem nunca viveu aventuras como essa, e para ela tudo foi muito novo também, mas Eric teve paciência e apresentou esse mundo tudo aos poucos e com paciência, sempre respeitando o que Jud queria ou não queria, ela é quem mandava no jogo e tudo seria feito somente com seu consentimento.
A narrativa é bem composta, bem escrito, o achei diferente dos outros romances que li, ele se distancia e tem uma maturidade maior em minha opinião. Sei que é um livro polêmico, que está dividindo opiniões, entretanto vamos nos lembrar ao gênero ao qual ele se refere, erótico! Então dentro do gênero, ele cumpre sim seu papel, entreter o leitor e trazer cenas excitantes.
Peça-me o que quiser apresenta uma leitura prazerosa, excitante, e muito agradável. Mescla erotismo, humor e emoção, tudo na medida certa. Cenas de sexo longas, bem demoradas e detalhadas, já típico do gênero. Mas com certeza é um livro que para amantes de eróticos vale muito a pena ler! A edição está linda, o cenário do livro também é muito lindo e da uma vontade enorme de ir para a Espanha. Livro mais que recomendado, pois o mundo de Eric promete...

Leia também

9 comentários

  1. acho que não é tão quente assim não eim! você leu Luxúria? eu li ele semana passada e achei absurdo demais... este pelo menos tem uma história por trás :P
    estou curiosa para ler os livros desta serie... parecem ser interessantes :P

    ResponderExcluir
  2. eu vibrei com o lançamento desse livro, exatamente por ser uma autora latina, de sangue quente escrevendo então não tem como ser algo clichê!!!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Fiquei curiosa pra ler esse livro, mas confesso que sou bastante tradicional, e acho que ficaria escandalizada como muito do que você disse que ele descreve. Mas de qualquer modo valeu a dica!
    Sou apaixonada por A Seleção, mas só li o primeiro volume e O Princepe. Mal posso esperar pra ler os outros, e quase fico louca quando vi essa capa, linda demais! Bjs...
    anna-gabby.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Eu acabei de ler esse livro essa semana, e eu gostei bastante dele. É realmente diferente de todos os eróticos que já li, mas gostei.
    Quando eu acabei eu já estava louca querendo o segundo livro, aguardo ansiosa o lançamento dele :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Realmente, quando comecei a ler essa resenha, já imaginei, lá vem mais um clichê de mulher pobre e submissa se encanta pelo chefe ricão, que não quer nada sério. E me enganei. Ainda bem!
    O livro me parece na medida certa. Com tudo encaixado direitinho.
    Até que fiquei curioso pra ler.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  6. Preciso confessar que tenho meus preconceitos com o genero =P
    não exatamente com o genero, mas com medo de eu não gostar, achar mto pesado sabe?
    mas toda vez que vejo uma resenha do tema, e vc conta toda empolgada, eu fico morrendo de vontade de ler =P
    uma hora ainda dou uma chance, quem sabe pra esse, parece mais "pesado" que muitos, mas parece ter uma boa historia por tras tb.

    Bjoo

    ResponderExcluir
  7. Ando meio cansada dessa modinha de livros eróticos.

    Esse eu nem tinha dado muita atenção por achar que fosse um graaaaande cliche, igual a todos os outros que tem sido lançados...

    mas sua resenha diz q nao é bem assim, então talvez eu o leio =P

    ResponderExcluir
  8. Oi Dai,

    Li esse livro no último final de semana e menina o que é isso? A autora caprichou nas descrições das cenas. Nunca imaginei um alemão 'tarado', eles normalmente são tão frios rsrs
    Gostei demais da Jud, independente e determinada não se deixou dominar pelo chefe-dom (sangue latino baby, adoro isso) e o filtro do cérebro pra boca nasceu estragado, fala e depois pensa. Já o alemão Eric Zimmerman deveria procurar um meio de engarrafar essa 'disposição' que tem pra o babado, o cara não se cansa, com certeza iria se tornar o homem mais rico do mundo.
    Beijos flor.

    Adriana

    ResponderExcluir
  9. Eu amei esse livro!

    Niii
    Amordelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011