Resenha: Todo Dia

by - terça-feira, setembro 10, 2013

Olá pessoal!

Vamos de resenha nova \o/ dessa vez de um livro que simplesmente balançou meus alicerces emocionais.

Páginas: 279
Autor: David Levithan
Ano: 2013
Editora: Galera Record

Toda manhã "A" acorda em um corpo diferente, e fica com ele durante um dia vivendo aquela vida. Ele não sabe quem será o próximo ou onde estará no outro dia, se será menino, menina, certinho, saudável, doente, etc. Ele é simplesmente obrigado a se adaptar. Mas já está acostumado, e para não sofrer criou regras para si mesmo: nunca se apegar e não interferir na vida da pessoa que tomou o corpo. Até ai tudo bem, mas um dia A ocupa o corpo de Justin, o qual tem uma namorada que mexe muito com nosso “hospedeiro”, a jovem se chamava Rhiannon.
A partir desse momento ele sente uma forte atração, mas sabe que é impossível ter uma relação com a garota, pois ninguém sabe que ele existe, não tem um corpo próprio, ninguém o vê, e amanhã A já não estaria mais no corpo de Justin. Só que as regras caem, ele quer ficar com Rhiannon, todo dia. Mas como contar a Rhiannon que ele não é uma "pessoa", mas que ocupa o corpo dos outros, que a cada dia estará em um corpo diferente, como a convencer a aceita-lo?

Enquanto lutam para se reencontrar a cada dia, cada um tem seus próprios temores, medos, e precisam definir suas prioridades e ver o que realmente querem. Será que a moça vai conseguir ficar com alguém que muda a cada dia? E até onde A pode usar o corpo de outras pessoas, interferir em suas vidas, para fazer sua própria vontade e até que ponto isso é ético. Mas o amor pode ultrapassar tudo mesmo? Ou é somente uma utopia?

"Todos nós temos mistérios, especialmente quando vistos pelo lado de dentro"

"-Nós vamos encontrar um jeito - respondo.
 - Isso não é uma resposta. É uma esperança.
 - A esperança nos trouxe até aqui. Não as respostas."

Às vezes é tão difícil escrever sobre um livro que te despertou tanta coisa, que te causou conflitos de emoções. Quando seguia com a leitura de Todo Dia comecei a imaginar como Levithan iria resolver essa situação, era estranho, e pensava no que o autor queria com esse livro.
A cada dia, a cada pessoa, era um sentimento diferente, acordar no corpo de uma mulher, ou de um homem, de uma pessoa que quer se suicidar, ou de uma garota popular, outra no de um metaleiro, ou de uma lésbica, de um gay. Tudo de forma normal, A já estava totalmente acostumado com isso. Através disso percebemos que todas as pessoas mesmo que cada um carregue seus dramas, são iguais e diferentes ao mesmo tempo, são apenas pessoas, independente de suas escolhas, estilo de vida ou sexo.
Levithan nos leva a pensar em até que ponto nossa "embalagem", corpo, influencia no que os outros vão pensar. Se hoje você é assim, mas amanhã acordasse de outro jeito, em outro corpo, seu parceiro (a), família, amigos, iriam te amar da mesma forma que amam agora? E se fosse o contrário, você também os amaria? Você continuaria amando a "essência" daquela pessoa? Pois afinal, somos todos "essências" dentro de corpos, aos quais estamos presos. A reações que Rhiannon apresenta a essas mudanças de corpos também é algo que me fez pensar, como ele estava como menina ela ficava mais retraída, como menino, era mais fácil se soltar, etc.

"Tenho que me lembrar de que as pessoas normais também sentem isso: o desejo de pegar um momento e transformá-lo em eternidade. O desejo de ficar assim por muito mais tempo do que realmente vai durar."

A forma como a história foi seguindo, me cativava, impressionava e me fazia refletir. Levithan tem uma forma especial de escrever, ele pega sentimentos humanos e os narra de uma forma tão única, delicada e chocante ao mesmo tempo. Seus personagens são tão vivos.
E falando em personagens, David cria personagens que são verdadeiros humanos, eles são como nós, com defeitos, erros e acertos. Como a Rhiannon, a qual achei tão normal e um pouco apagada em sua primeira aparição, até pensei, o que A viu nela? Mas aos poucos o autor nos foi mostrando coisas que até então eu não imaginava que ela fosse, doce, meiga, frágil e especial a sua maneira. Não imaginava que ela fosse assim, e pensar que sempre fazemos esses pré-julgamentos assim com as pessoas o tempo todo antes de conhecê-las...
Quando fechei a última página, não sabia o que pensar, era tudo tão intenso. Já costumeiro do autor (este é o terceiro livro que leio dele), ele derruba nossas bases emocionais. Senti raiva, o amei e o odiei ao mesmo tempo, e me perguntava: Por quê? Eu adoro esses tipos de finais justamente pelo choque, pela surpresa, e misto de emoções que ele te causa.
O que vejo como ponto negativo desse livro, foi o inicio e a forma como A logo de cara amou Rhiannon, para mim foi rápido demais.
As histórias de Levithan são únicas, são reais, são gostosas de ler. Ele tira nosso coração sem piedade, nos envolve, nos faz chorar, sorrir, ironizar. Sua forma de escrita é especial, ele não somente apresenta os fatos, você lê, você sente, e você consegue ir além de suas palavras, porque Levithan simplesmente consegue fazer com que você vá além de suas frases. Realmente se mergulha no livro, e você o vive, porque Levithan entende a mente do leitor.
Livro muito mais que recomendado, toda a edição está perfeita. Fiquei arrasada depois da leitura, me perguntava, como vou falar desse livro? E, como ler outro livro depois desse? Ao terminar, chorei, e pensei: Levithan, bem-vindo ao meu rol de autores preferidos.

"Queria que o amor conquistasse tudo. Mas o amor não conquista tudo. Ele não pode fazer nada sozinho.
Ele depende de nós para conquistar em seu nome."


P.S: David, você está andando muito com o John Green...
P.S (2): David, sorte sua que não tenho ir à sua casa agora, porque minha vontade ao terminar o livro era de ir ai, bater na sua porta e gritar "Por quê?"


Leia também

19 comentários

  1. Me lembrei de "A Hospedeira" :)
    Depois dessa resenha,fiquei automaticamente apaixonada pelo livro.Ultimamente ando procurando livros que mexam com os sentimentos e nos faça pensar mais.Achei esse perfeito pelo fato de ser simples *o*

    #Parabéns pela resenha
    #Parabéns ao autor HUEHUEHUEH

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é lindo gente. Eu ainda não li, mais já li várias resenhas sobre ele. Eu acho que ele consegue até superar A Hospedeira. A capa lembra um pouco "Tempest", mais acho que isso é o de menos. Estou louco para ler.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a sinopse de Todo Dia, imediatamente me lembre de A Hospedeira, um dos meus favoritos.
    Acho que iria gostar bastante da história, além de refletir sobre os ponto que vc levantou. Mas, não gosto quando os personagens se apaixonam no primeiro olhar.
    Espero poder ler Todo Dia em breve! =)

    ResponderExcluir
  4. que enredo interessante ! fiquei com vontade de conhecer mais, mas ja tô aqui doida pro A. conseguir ser feliz e quem sabe ao lado da Rhiannon, esse autor não tem medo de inovar!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Uauuu eu preciso respirar antes de comentar aqui, suas impressões sobre esse livro parecem tão intensas que é impossível não querer ler. Confesso que já tinha ouvido falar em Todo Dia, mas não tinha procurado saber mais, esta é a primeira resenha que leio e estou arrebatada. Quanto a questão do amor assim tão rápido acho que ele precisava disso pelo fato de tudo ocorrer bem rápido na "vida" de A, um dia aqui outro ali e nunca sem saber onde. Adoro histórias que me deixam estupefata no fim, e não sei se é o caso desse livro, mas ao menos foi isso que entendi. Claro que quando tiver uma chance vou ler, sabe $$$chance né rs

    ResponderExcluir
  6. Nossa! O livro parece ser muito bom, cara! Nunca li nenhum livro do autor, ainda. =/ Mas estou doida pra conhecer e começar por esse. rs Deve ser louco demais todo dia estar em um lugar diferente. Um ponto negativo que avistei no livro pelo que você falou foi o "instalove" (li esse termo um dia desses e adorei rs), que é aquele amor instantâneo, logo de cara. Mas parece que a história em si supera qualquer coisa! Eu preciso ler esse livro.

    ResponderExcluir
  7. Oieeee, todo mundo tem falado muito bem desse livro e você não foi uma exceção. Já estou ficando curiosa!

    Beijos, @_RayPereira
    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Heeeita todo mundo falando sobre o final do livro, parece que vai ser frustrante *i*, não sabia dessa parte que ele preferia o corpo masculino, o autor que é gay assumido e sempre escreve romances homossexuais. Parece que esse livro mecheu contigo mesmo, quero muito ler, a capa é linda. Resta ter o money *-------*

    ResponderExcluir
  9. Achei bem interessante a premissa do livro, parece uma história bem diferente e surpreendente, e imagino como deve ser estranho acordar em um cordo diferente todos os dias. Eu já tinha ouvido falar desse livro, mas não sabia como era. Agora já é mais um livro na minha listinha :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Que história diferente.
    Já tinha visto o livro, mas nunca parei para ler nem ao menos sua sinopse e me surpreendi. Não esperava um enredo assim.
    Adorei a resenha e mal posso esperar para ler o livro!

    ResponderExcluir
  11. Que livro interessante, adorei e tô muito curiosa mesmo a respeito dele! Olhando para a capa o livro parece tratar de algo totalmente diferente.

    ResponderExcluir
  12. Tenho lido resenhas positivas em relação a esse livro. Achei bem criativo e curioso ao mesmo tempo. Confesso que sou um pouco "quadradinho" em relação a personagens "sem corpo", mas tudo que rola nesse livro me parece tão interessante, que esse detalhe passa despercebido. Quero muito lê-lo em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  13. Estou com vontade de ler esse livro desde quando li Will & Will e adorei a escrita do David. A história de "Todo Dia" não se parece com nenhuma de algum livro que já li. Se te abalou tanto deve ser realmente ótima. Pretendo ler-lo em um futuro próximo.

    ResponderExcluir
  14. Uau. Só assim pra me expressar após ler a sua resenha. Eu me esquivei desse post, achando que este livro seria só mais um romance clichê e sem graça, mas eu não podia estar mais enganada.
    Fico imaginando como deve ser acordar todo dia e estar em um corpo diferente e ter que se adaptar, pra no dia seguinte ser a mesma coisa. É intrigante e faz a gente pensar, gosto de livros assim, que mexam com o leitor.

    ResponderExcluir
  15. Ai, ai! Desde o lançamento de Todo dia, eu o fiquei desejando. Pela sinopse, pela capa, por tudo o que o autor sugere com a premissa. E, depois dessa resenha... minha vontade era de sair correndo até a livraria mais próxima e trazer logo esse livro pra minha casa, e devorá-lo logo. Fiquei tão curiosa! Realmente, sem ler... já fiquei me questionando como seria, caso trocássemos de corpo a cada dia; como as pessoas a nossa volta reagiriam, se nos amariam da mesma forma... É uma super reflexão, mais do que válida. Mal vejo a hora de conhecer essa história.

    ResponderExcluir
  16. Kkkkkkk, eu ainda não tinha vontade de ler esse livro. Mas agora, me sinto na obrigação de ler!! Bom.. O John falou recentemente em uma rede social que se sentia triste, que os livros eram muito tristes, que ele nao entendia pq ele tinha escrito aquilo e nem pq tantas pessoas liam. Pois é, ele só notou agora! Tenho medo de me deprimir com esse livro, a história parece extremamente envolvente, e não sei se o meu coração suportaria que ele acabasse kkkkk Então, com certeza lerei, mas com certeza não será agora. Amei a resenha, bjos.

    ResponderExcluir
  17. Melhor de tudo são os seus pss :P

    Ja tinha visto esse livro vaarias vezes, mas o titulo e a capa me fizeram imaginar uma historia totalmente diferente oO
    Agora fiquei super curiosa pra ler, como ele vai resolver isso? não consigo imaginar um relacionamento em que uma das pessoas muda de corpo todos os dias oO
    mas ao mesmo tempo tenho um pe atras, por causa do seus ps acho que a historia tem um final triste, e eu corro de historias assim rs. Então agora não sei o que fazer!!

    ResponderExcluir
  18. Eu nao tinha muita vontade de ler esse livro, de verdade. Mas saber que ele é tão intenso, tão...Diversificado (essa seria uma boa palavra?) me deu vontade de ler!

    ResponderExcluir
  19. Adorei a temática de Todod Dia, totalmente inusitada. Acho q poucas pessoas poderiam ter imaginado uma prisão tão diferente como essa q é estar preso ao corpo de pessoas diferentes a cada 24 horas. Bela resenha. Merece sim, ser lido!

    Adriana Medeiros

    minhavelhaestante1.blogspot.com

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011