Resenha: Aurora

by - quinta-feira, novembro 28, 2013

Olá pessoal,

Resenha nova, mas dessa vez do último volume da trilogia Exodus, Aurora. Atenção: Recomendo que não leia essa resenha se você não leu os volumes anteriores, pois contém spoiler destes. Este post não é válido para o top comentarista.

Autora: Julie Bertagna
Páginas: 311
Ano: 2013
Editora: Farol Literário

Sinopse: Já se passaram 16 anos na trama. Mara, a jovem heroína criada pela autora, já não é mais uma menina. Agora ela é mãe de Lily – uma adolescente tão espirituosa quanto a protagonista foi no passado. De olhar curioso e de natureza atrevida, ela se torna peça importante neste terceiro livro. 
Os pais de Lily revelaram toda a trajetória de nagevações e batalhas por uma terra segura no mundo, como se fosse uma antiga lenda contada ao pé da fogueira. Ao descobrir que aquela jornada petrificante foi vivida, de fato, por sua mãe e tantos outros moradores de Candlewood, Lily se emociona e se vê ainda mais impulsionada em saber a verdade sobre vidas que existem para além do lugar onde vive. Ela quer fazer algo grande e corajoso, algo que vai sobreviver aos anos. Mas nada é tão simples. Não nesta conclusão da saga. Em sua própria aventura, Lily vai se deparar com revelações inimagináveis, viverá situações inesperadas com pessoas e outros seres não exatamente humanos, que antes não passavam de criaturas da imaginação. 

Antigos e novos personagens dão fôlego revigorado à trilogia que ainda conta com a figura de Raposo, que não desistiu de sua revolução em busca da igualdade e da justiça para o povo viver em condições mais humanas. Em “Aurora”, ele será surpreendido com revelações que o levarão a novas crenças.


"Raposo descobriu que não era suficiente jogar as pessoas na crise se você queria mudar seu mundo. Era preciso tocar seus espirítos e dar a eles sonhos para buscar. Sua tentativa juvenil de agitar a rebelião foi extinta quase tão rápido quanto começou, mas dessa vez a revolução selvagem que ele acendeu queima tão forte e longe que não pode ser apagada.
Para isso, Raposo conta histórias esquecidas que são preservadas nos velhos livros do mundo submerso (...) Os ouvintes de Raposo num mundo inundado se agarram aos contos que crepitam de seus rápidos como a coletes salva-vidas numa tempestade"

Toda vez que pego um último livro de uma série para ler, fico meio melancólica, com aquela saudade dos personagens e ao mesmo tempo ansiosa para o desfecho, e dessa vez não foi diferente com Aurora de Julie Bertagna.
A história da um salto no tempo, a filha de Mara, Lily, está com 16 anos e tem como um grande amigo, Wing, o menino lobo e também selvagem que esteve ao lado de sua mãe e de outras crianças no navio. A jovem apresenta uma personalidade forte, desafiadora e sem temores, assim como a de Mara quando tinha a mesma idade dela. Ela ainda não sabe que Raposo é seu pai, pensava ser filha de Rowan assim como seus irmãozinhos menores, até que um dia a verdade aparece.
Mara teve seus motivos para não contar à filha esse fato, mas Lily não compreende, sei que era um direito dela de saber como filha, mas os motivos de sua mãe foram bons. A forma como Lily a tratou, tudo que disse me soou como uma menina até meio mimada, poxa, Mara passou por tanta coisa, foi uma líder em meio ao caos, ajudou seu povo e jamais os abandonou, não foi nada fácil e mesmo assim a menina ainda agiu daquela forma, se passando pela pessoa mais injustiçada na face da terra. Acredito que isso fez com que eu não gostasse tanto de Lily.
Ela foge para ir atrás de seu verdadeiro pai, passa por poucas e boas e até a metade do livro vive sua própria aventura, já que nem tudo saiu como planejava. Outros personagens entram em foco assim como Raposo que começou a rebelião, alguns personagens novos surgem e outros surpreendem. Só que agora estão mais velhos e é incrível o amadurecimento que eles apresentam além das mudanças. Na metade do livro Mara vai atrás de Lily tentar encontrá-la, ai nossa protagonista da série volta. E embora nesse livro o foco recaia sobre sua filha, Mara tem papel fundamental e surpresas a acometem também.
Essa jogada da autora em dar espaço a outros personagens e depois trazer Mara, achei genial. Não ficou cansativo, vemos o amadurecimento que Mara teve e como sua filha tem seu espírito aventureiro. O desfecho foi lindo, apresentando um fio de esperança novo à história e abrindo pequenas interrogações.
Esta é trilogia madura que nos faz pensar sobre tantas coisas, perdas, futuro do planeta, como recomeçar e repensar sobre os erros do passado e o poder que o povo tem em mãos. Aurora não podia terminar de forma mais surpreendente, foi belo e poético, fechando com chave de ouro uma trilogia que apresenta uma história equilibrada e dolorosamente próxima a futuro que pode sim ser real.
A narrativa de Bertagna continua com aquele toque suave, de quem sabe bem o que faz e sobre o que está escrevendo. Não há pontas soltas em sua história, e olhando com calma mesmo nas entrelinhas conseguimos ver o objetivo e o que há por trás de cada coisa que ela nos apresenta. 
Para quem gosta de distopias, essa com certeza vale a pena ler. Além de ela ser diferente, traz questões atuais e apresenta personagens muito bem construídos. Foi ótimo conhecer a trilogia Exodus, aprendi muito, Mara é uma personagem inesquecível, e não há como não desejar ter um pouco da sua força e de sua coragem. Assim como a de Raposo, que mostrou que uma rebelião não se faz somente com armas, antes ela tem que começar na cabeça das pessoas, ai entram os livros, as histórias e as palavras e como disse Mario Quintana "Livros não mudam o mundo. Quem muda o mundo são os homens. Livros mudam os homens".



Leia também

5 comentários

  1. aii, ultimamente ando fugindo de livros em série, mas terminei de ler esses dias o ultimo livro de Beijada por Um anjo e também senti isso... uma certa melancolia :(
    eu não lembrava de conhecer este livro (e os outros da série) ai quando comecei a ler a resenha e sobre os personagens lembrei!
    vi eles esses dias na livraria e amei a capa deles *-*
    parece ser bom, mas o problema é que eu não gosto de distopias, então essa serie não iria rolar para mim =/

    ResponderExcluir
  2. Como ainda não li os livros anteriores, pulei para os últimos parágrafos dessa resenha, pois tive receio de ler algum spoiler mais forte. Pelo que entendi, a autora fechou essa trilogia com chave de ouro. Conseguiu mandar seu recado, e não deixou nenhum ponta solta. Isso me agrada bastante. Eu, como bom amante de distopias, quero muito ler essa.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  3. Apesar da história ser cativante com a busca dela pelo pai, esse livro não me encantou. Por isso, eu passo.
    Eu lembro que fiquei interessada no primeiro livro, mas era justamente porque achava que seria um livro só. Tô cansada de séries...quero dar um tempo delas.
    Gostei da frase de Mario Quitanda e já anotei para poder passa-la adiante.

    ResponderExcluir
  4. Oi Daaaaaaii
    Terminei a algumas horas o Zenith... e agora estou eu aqui... pensando no senhor raposo, no Tuck, no Clay, na Mara... em toooodos
    Bora sair correndo atras desse livro ;)
    PRECISO SABER DO RAPOSO hahahaha
    e também do Tuck >.<
    Bjus e até

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011