O dia da mulher e o ‘golpe da barriga’ - Por Lilian Farias

by - sábado, março 08, 2014

Olá pessoal!

Confiram mais um excelente texto escrito pela Lilian Farias para o blog:

"Recentemente, vi um texto onde a autora abordava a temática da mulher no casamento (http://www.askmi.com.br/2014/02/aprenda-ser-uma-esposa-irresistivel.html) e desmanchava ‘dicas’ saudáveis de como manter os laços matrimoniais vivos até que a ‘morte os separem’. 

As instruções variavam entre: ‘Apoio no lar: ‘o homem gosta de chegar e ver a casa arrumada, perfumada, com uma boa comidinha!’; ‘Fabulosa parceira sexual: Sim, isso é importante! E a palavra fabulosa não quer dizer fazer loucuras na cama, ser a melhor!’; até: ‘Atraente: A mulher precisa se cuidar, ter tempo para isso! Fazer academia, regime, massagem, ir ao salão, enfim ficar atraente!’. 

Mas, antes de vomitar em 3, 2, 1; vamos fazer uma breve reflexão... 

Quando estou com meu companheiro e alguém me pergunta se estou grávida por estar com uns quilos a mais - ditados pelo padrão de beleza-, eu pergunto para o Renê: - Você me deu o golpe da barriga? 

Nessa hora, todos riem; como se o que eu falasse, fosse apenas algo meramente criativo. Mas não é; a frase não passa, na verdade, de uma semente feminista que tento colocar na cabeça dos machistas e fundamentalistas de plantão! E acredito que fique! 

Mas voltando ao texto, como muitos sabem que sou muito louca na hora de pensar; comecei a refletir sobre o danado golpe da barriga que “a mulher adora aplicar nos homens indefesos”. Achei que as frases machistas e doentias da autora casariam muito bem com essa realidade! 

Primeiro, deixo aqui bem claro, que o homem também dá o golpe da barriga. Como? Caso o seu parceiro lhe agrida psicologicamente, isso também é golpe da barriga. Quantos homens/agressores usam do ‘poder do mais forte’ para manter a mulher presa a um casamento doentio e a induz a engravidar para perpetuar a espécie?; Quantos homens/agressores forçam a mulher a fazer sexo, mesmo sem vontade desta e quando engravidam a culpabilizam por isso, deixando-a com o ‘ônus’ de o casamento ser uma instituição fracassada?. 

Muitos machistas de plantões se aproveitam do golpe da barriga para manter uma relação de poder/violência sobre a mulher e agora mãe. Então, não venham me dizer que o homem não dá o ‘golpe da barriga’; além de em muitos casos, ser uma violência sexual! 

E ai fica a pergunta: e a mulher? Há anos, escuto pessoas dizerem: fulana deu o golpe da barriga para segurar cicrano. Então vamos pensar... fulana fez sexo sozinha; com o dedo; ou com um vibrador, ou sei lá o quê; com o esperma de fulano numa ação milagrosa, pois ele não participou do ato e pimba: engravidou! E, agora, precisa de uma ‘reparação’. Nesse caso, Ela não é golpista; Ela é uma Santa! Ela operou um milagre! 

Fulano não quer mais se relacionar com cicrana e mesmo assim mantém uma relação sexual com ela E sem camisinha! Ela engravida e a culpa é dela? Ao que me consta; ele mantém uma relação de poder/violência sobre essa mulher. Afinal, se ele não deseja, por que foi? E se foi, por que não usou camisinha?

E, mulher, você pode também usar a camisinha feminina. Isso não é pecado: é proteção! Por mais que tentem colocar o que protege o direito da mulher como algo pecaminoso: NÃO É PECADO! 

O sexo é livre, você não deu o golpe. Foi uma ação conjunta; ele sabia o que fazia. Ele desejou. Tanto ele como você poderiam se prevenir, mas isso não aconteceu. E na continuidade da história, ninguém segura ninguém; nasce uma criança e a mãe, na maioria das vezes, é a única a educá-la sem, ao menos, receber a pensão. O que é um direito da criança! Que também será usurpado até que a ‘morte os separem’. 

Como eu ainda não vomitei em 3, 2, 1; penso nos argumentos da autora para manter um ‘matrimonio saudável’; pois, diante de todas as atribuições que ela deu a mulher; se não der certo, dá o ‘golpe da barriga’! É um matrimonio onde o homem exerce uma relação psicológica de violência sobre a mulher até que a ‘morte os separem’. Mas, nesse caso, prefiro ser separada pela vida. 

Enquanto se comemora o dia da mulher, umas rompem e outras não com os grilhões do machismo/fundamentalismo! 

Começa com o ato sutil em afirmarem que somos golpistas e termina com a morte que nos separa da vida e dos nossos direitos!"

Sobre a autora:
Lilian Farias nasceu em 1985, é formada em Letras/Português pela UPE- Universidade de Pernambuco. Dá aula e ama escrever poesias. Autora do romance O céu é logo ali e Mulheres que não sabem chorar, além de blogueira literária. "Amo escrever sobre aquilo que incomoda, não tenho medo do preconceito!" Trabalha no movimento Social.

Leia também

19 comentários

  1. Ótima oportunidade tocar nesse assunto, num dia internacionalmente reconhecido, como hoje. Sempre é válido, mas hoje é especial.

    ResponderExcluir
  2. Lilian sua reflexão foi simplesmente brilhante, tudo o que você falou me abriu os olhos... me mostrou uma nova forma de enxergar a situação!
    parabéns
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Adorei esse texto deu vontade de copiar e colar no status do face, super verdade tudo que esta escrito air, eu até conheço pessoas que já passaram por isso, mas admito que nunca em cheguei assim mas agora em chego e posso entender bem melhor agora.

    ResponderExcluir
  4. Feliz dia da mulher!! Lilian o seu texto me deu vontade de ler sobre o porque de hoje ser dia internacional da mulher novamente. Lembro que nao tinha mais do que sete anos quando ouvi a historia pela primeira vez...

    ResponderExcluir
  5. É interessante como por trás de uma "simples" frase haja tanta coisa escondida, né? O povo fala umas coisas absurdas sem nem pensar nas implicações disso. E o pretenso "golpe da barriga" é mais um caso assim, que além de ofensivo, é realmente machista e ignorante.
    Achei ótimo o "“a mulher adora aplicar nos homens indefesos". Eles são tão inocentes, coitados. rsrs
    Ótima reflexão, parabéns!
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Adorei a profundidade do texto, as reflexões e principalmente a naturalidade com que ela expõe algo tão inquietante, ainda vivemos em uma sociedade patriarcal, com costumes voltados á disseminação da mulher como dona de casa e "do lar", como se isso fosse e devessese estar associado à mãe-escrava-empregada. Mulher que se valoriza pode sim ser mãe, amiga e irmã-cumplice do homem...Mas sem golpes de barriga, pernas e coxas!!!

    ResponderExcluir
  7. Até hoje não conhecia um homem que fosse indefeso, tadinho deles! Concordo em número, gênero e grau, é aquele ditado, quando um não quer, dois não brigam...
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito da autora ter abordado um tema assim em um dia tão especial pra nós mulheres.. Adorei o jeito de pensar da autora ;3
    E-mail: juliamariamoraes2013@gmail.com
    Nome de seguidor: Julia Moraes

    ResponderExcluir
  9. Oi Lilian adorei essa reflexão sobre essa situação que é tão rotineira, e em mim me tocou mais ainda, pois digamos que eu seja "fruto" de um golpe dado em um homem indefeso, ah coitadinho ele era casado e "feliz" no casamento, ai minha mãe foi lá e o levou pro mal caminho, gerando uma criança onde ele não teve participação nenhuma na criação, ou seja que golpe foi esse??? São coisas que temos que refletir, e refletir bem....a mulher já conquistou muita coisa, mas muita coisa ainda tem que mudar, principalmente o pensamento de algumas mulheres, porque mulheres tem sim pensamento machista, que deixa de viver a própria vida para agradar o marido e viver apenas em função dele.

    Parabéns pelas belas palavras.

    Beijos!!!

    @jannagranado
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oie Lilian, concordo com você em partes e discordo em partes. Acredito sim que quando a mulher não tem um casamento feliz, quando ela é humilhada e maltratada pelo homem, ela não deve ficar presa a esse grilhões, mas acredito que quem faz o casamento são os dois. Primeiro vejo tantas jovens se envolvendo com o cara errado e quando digo errado é aquele homem que não quer nada da vida, não respeita nem mesmo os pais e detesta trabalhar, enfim ele possui muito mais defeitos do que qualidades, o que acontece com um homem desse sendo marido? Surra na mulher, maus tratos e etc. Acredito que a mulher como uma pessoa mais amorosa, mais aberta, delicada e sentimental deve ser a base do casamento, a maior parte das coisas tem que partir dela. Desde que comecei a namorar e agora estou noiva, já percebi que meu namorado dificilmente toma a iniciativa, sempre eu quem tenho que fazer, se quero receber carinho, tenho que dar carinho primeiro, se quero apoio, eu tenho que demonstrar também, se quero companheirismo, conselhos tenho que fazer minha parte primeiro. Querendo ou não o homem é assim. Vejo mulheres que tudo que querem do esposo é na base do drama, do castigo..., dos gritos, acho quem quer respeito, tem que dar respeito. Também acredito que uma mulher que quer salvar seu casamento com uma gravidez, quem é a psicopata e errada é ela e não o marido, porque nós como seres pensamentes devemos ter noção do problema e um filho não vai mudar o casamento. Enfim não sei se é por causa da minha religião, mas eu concordo com o texto da temática da mulher no casamento, rsrsr. Beijos!!!

    Meu Diário

    ResponderExcluir
  11. Completamente absurda a defesa do golpe da barriga. Possivelmente vive um mundo fechado que não sabe a realidade que acontece. Hoje em dia, com toda informação e métodos anticoncepcionais as mulheres só engravidam se quiserem. Facilmente se vê quais são as mulheres de sucesso e as fracassadas, basta ver a idade em que tiveram primeiro filho. Infelizmente existe mulher que dá o golpe sim, o golpe mais baixo que um ser humano pode praticar, colocando uma vida inocente no mundo em função de interesse financeiro (ou apenas para forçar casamentos) de forma unilateral, quebrando a confiança com o parceiro sexual. Isso tem consequências diversas por toda a vida do casal (juntos ou não) e do filho. É uma pena que existam mulheres tão baixas. E quando menos desenvolvido é um povo mais comuns são os casos, como acontece em países como o Brasil.

    ResponderExcluir
  12. Querer que o homem cuide da gravidez da mulher é realmente mais um absurdo feminista. Mulheres não são crianças eternamente! Aprendam a se cuidar pois não vão ter papai e mamãe para sempre. Pergunte para as mulheres que deram o golpe (eu conheço mulher que assumiu engravidar de propósito e é muito comum) se hoje elas estão felizes, se os filhos são felizes, se o pai é feliz! Vejam a diferença entre uma mulher de sucesso (que transa regularmente como outros) e uma fracassada. Muito tem que ver com a idade em que pariram. Sucesso exige planejamento.

    ResponderExcluir
  13. Adorei o post.
    Acho que certas matérias, livros e a mídia estimulam muito uma determinada visão da mulher, visão esta que define que ela precisa cuidar da casa e dela mesma para ficar bem para o homem antes de qualquer coisa. Aí eu pergunto: quando a relaçãoa acaba sobre o quê para a mulher? São muitos os esteriótipos que a mulher recebe e poucos deles são justos.

    ResponderExcluir
  14. Acho que isso é pouco abordado em blogs ou ate em revistas , ninguem nunca olha isso do ponto feminino so olham pelo ponto masculino ,então gostei bastante do post...

    ResponderExcluir
  15. Achei o texto super diferente, um assunto tão falado de um forma completamente nova. Creio que atualmente apesar da mulher trabalhar fora, e cuidar da casa ,ela esta super atualizada e informada sobre muitos assuntos.Mas há também o poder de decidir com seu parceiro a melhor forma de prevenir a gravides e doenças.E que nos devemos ser valorizadas e não denominadas por frases ou estereótipos passados e machistas!!

    ResponderExcluir
  16. Adorei o texto. Mas penso eu que se for para ter um casamento cheio de problemas, com um querendo controlar o outro é melhor deixar a vida separar mesmo!!

    ResponderExcluir
  17. É muito raro ver esse tema sendo discutido por aí, mas acho super interessante e importante. Também gostei muito do seu ponto de vista, me identifiquei com a sua opinião.
    Beijo

    ResponderExcluir
  18. Nossa realmente concordo com tudo que você escreveu. Nunca tinha parado pra pensar em alguns pontos sobre o golpe da barriga e como isso não é apenas para o sexo feminino.

    ResponderExcluir
  19. Mulheres são fortes, e ponto.
    Deveria ser nosso dia, sempre, rs. Mas de qualquer maneira, acho que tem que ter respeito de ambos os lados. Nenhum se achando mais que o outro e um apoio, sabes?

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011