Resenha: Manual Prático do Ódio

by - quarta-feira, março 19, 2014

Autor: Ferréz
Páginas: 271
Ano: 2014
Editora: Planeta

Escrito com uma narrativa lancinante e ritmo veloz, MANUAL PRÁTICO DO ÓDIO é uma história abertamente inspirada em vidas reais e também inventada pelo talento de ficcionista de Ferréz.
Régis, um dos protagonistas desta engenhosa trama, tem vontade de ter um sítio para curtir com a família o que há de melhor na vida. Mas ele investe tudo o que ganha em armas, tem sonhos mais complexos, e não imagina uma rotina sem muita grana na poupança e sem pelo menos ser dono de um mercado ou de um posto de gasolina. A união com Lúcio Fé, Celso Capeta, Aninha, Mágico e Neguinho da Mancha na Mão lhe dá grandes esperanças de fazerem um bom dinheiro. Juntos eles se organizam para a "correria" certa, o golpe perfeito, aliando-se numa conspiração sem ponto de retorno ou juízo de valor.
Manual prático do ódio conta a história de um grupo que planeja um assalto, mas também fala de outros medos e mistérios universais, de personagens que cultivam razões odiosamente humanas para matar, amar ou morrer. As diferentes facetas do ódio que, numa engrenagem cruel, afeta também gente como o metalúrgico Paulo, amante de livros e inconformado com o estado de degradação da comunidade onde vive; e ainda como o garoto Dinoitinha, um vendedor de flores, que está a um passo de se iniciar nas artimanhas das "quebradas".

Este é o primeiro livro que leio do autor nacional Ferréz, e assim que me deparei com essa sinopse senti que queria muito ler. Quando conclui a leitura fiquei sem palavras, pois diversos pensamentos e reflexões começaram a 'remoer' em minha mente. Durante horas fiquei pensando no que li, e sentindo que o livro não iria sair facilmente de minha cabeça. E não saiu.

Em Manual Prático do Ódio há diversos personagens, como Aninha, Celso Capeta, Régis, Mágico, Neguinho da Mancha na mão, que ganhavam a vida na base do crime. E outros como Paulo, o garoto que amava ler e trabalhava em uma Metalúrgica, indo ao contrário do que se esperaria que fosse, José, o senhor religioso e desempregado, Dinoitinha, etc. Ferréz faz com que conheçamos cada um a fundo, suas motivações, suas raízes, seus sonhos, a fonte de seus 'ódios' e seus objetivos. E dessa forma nos faz compreendê-los, mesmo que em alguns casos não aceitemos o que eles façam.

Certamente fazer juízo de valor não é algo que se deva fazer nesse romance. E mesmo se o leitor tentar com certeza irá se deparar frente a uma encruzilhada, em que as palavras ‘certo’ ou ‘errado’ estarão dividas por uma linha tênue e muito delicada. Ficará difícil fazer uso de qualquer uma delas sem ficar em dúvida ou chegar a questões muito maiores.

"(...) as vítimas eram sempre jovens de 14 a 16 anos, e os executores dos furtos também tinham a mesma idade, a única diferença entre os jovens que roubavam e os roubados é o muro social que divide o país."

Ambientado na periferia de São Paulo, o livro nos traz imagens vívidas com detalhes que pulsam perante nossos olhos e nos fazem sentir toda a realidade transmitida pelas palavras ali presentes. Adentramos junto com os personagens às vielas, sentimos seus medos, a morte a um passo, ou talvez, a uma bala. Um dos pontos que me chamou a atenção é a corrupção retratada, é impossível não sentir raiva, ainda mais por saber que isso verdadeiramente acontece. 

O objetivo do autor não é agradar, mas sim trazer um livro inspirado na realidade que muitos convivem e outros muitos não querem ver. Seu jeito de narrar é com a linguagem das ruas, dura e sincera, a violência explode perante nossos olhos e uma máscara social se dissolve. O enredo segue um ritmo acelerado, com um leve suspense ao final que deixa o leitor intrigado, colocando um desfecho que nos deixa sem reação. 

Manual Prático do Ódio é um livro que nos incomoda, causa um dessossego,  por seu conteúdo forte, cru, e dolorosamente sincero. Embora se trate de uma ficção a dose de realidade inserida fala mais alto. Recomendado para quem quer um livro real, reflexivo e desafiante.

Leia também

18 comentários

  1. achei o livro um pouco confuso, mas parece ser interessante.
    não conhecia ele ainda, mas gostei da trama por trás dele.
    parece ser uma trama bem brasileira mesmo :P

    ResponderExcluir
  2. Oi Dai,

    Ainda não conhecia o livro, pelo nome achei que fosse algum manual mesmo rsrs, as vezes é bom ler certos livros que nos mostram a realidade cruel em que vivemos, cada dia o mundo está pior, mais violência, mortes, a vida do ser humano não vale nada, roubam e matam por tão pouco, não sei se seria um livro que eu iria ler, justamente por ser a nossa realidade, sabe quando você lê pra fugir do mundo em que vive ??? Mas acredito que seria uma história boa para ler.
    Parabéns pela resenha.

    Beijos!!!

    @jannagranado
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Não sei se iria gostar não, acho o título tão abusivo, e estou numa fase mais romântica, mais leve, se fosse o manual prático da paz e do amor eu até lia. hihihih

    ResponderExcluir
  4. Oi, td bom?

    Que show de premissa! É como se fosse contado o outro lado na história do Tropa de Elite. Sábia frase que vc utilizou falando de "realidade que muitos convivem e muitos fingem não ver".
    Fiquei curiosa!

    Beijos
    http://arrastandoasalpargatas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Nossa esse livro deve ser bem real (óbvio é baseado em histórias reais) , mas não é meu tipo de leitura, mas me deu vontade de ler talvez por esse motivo...

    ResponderExcluir
  6. ótima história, mas não estou em um momento adequado haha
    Beijos.
    http://www.garotadolivro.com/

    ResponderExcluir
  7. Vou ser sincera eu não gostei nem um pouco da sinopse, pra fala a verdade eu não entendi nada da sinopse, já a sua resenha nos deixa mais claro do que se trata o livro, eu gostei muito da sua resenha pois ela me explicou melhor sobre o que se trata o livro, mais esse não é o meu tipo de gênero, e a sinopse apesar de eu não ter entendido quase nada, ela não me encantou nem um pouco .

    ResponderExcluir
  8. acho que é esse desassossego, esse incomodo que tanto atrai no livro, pois o autor esclarece uma realidade que as vezes não queremos assumir
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. A vida como infelizmente ela é em certos casos. Ler sem o menor preconceito.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia o livro e achei que ele é bem intenso justamente por mostrar essa realidade tão marcante, acho que seria por esse motivo que eu leria, e também achei interessante o ritmo ser bem acelerado, o que de uma forma o próprio livro acaba pedindo isso!

    ResponderExcluir
  11. Eu não sou o tipo de pessoa que gosta de conteúdo cru e forte, acredito fielmente que as leituras tem como principal meio nos levar para outra realidade e despenso fortemente os livros que sei que vão me atormentar. Por isso não me interessei por essa obra.

    ResponderExcluir
  12. Oie Day! Ainda não tinha visto falar desse livro, mas achei bem interessante a premissa, pelo fato do autor não está preocupado em mostrar algo maravilhoso, surpreender o leitor, mas sim mostrar a realidade e nos fazer refletir sobre como é a vida em uma periferia!!!

    P.S: Estou sumida porque acabou a greve na minha facu, então estou lotada de trabalhos e ainda tem o estágio, sem dizer que sou bolsista e cumpro horas, OMG! É tanta coisa, hehehehe, então estou tendo um tempo mínimo no FDS!! heheheh mas espero que logo volte ao normal e eu possa estar aqui todos os dias!!!!

    Beijos!




    Meu Diário

    ResponderExcluir
  13. Acho que no momento eu não leria esse livro, pois não estou no ''clima" de temas assim.
    Mas acredito que a história realmente seja muito boa e intensa.
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Parece ser um livro muito bom, que trata da realidade nua e crua do país. Não é um livro que eu pretenda ler, mas é um dica interessante para os que gostam.

    ResponderExcluir
  15. Não sei se eu daria uma chance para este livro: me parece algo como ligar a TV mas ao invés de ouvir o noticiário, lê-lo nas páginas do livro. A realidade nua e crua incomoda, as vezes até fechamos os olhos para os fatos e são nos livros que podemos desligar um pouco esse universo e mergulhar em tantos outros...

    ResponderExcluir
  16. Esse parece ser um livro bem intenso e emocionante, além de parecer ser um tanto quanto polêmico, e isso me chamou a atenção. Não conhecia o autor ainda, e fiquei curiosa quanto ao livro.
    E-mail: juliamariamoraes2013@gmail.com
    Nome de seguidor: Julia Moraes

    ResponderExcluir
  17. Parece ser um livro muito bom. Daqueles que você termina de ler e a história fica martelando na sua cabeça por dias e dias.
    Nunca ouvi falar desse autor, mas me interessei pelo trabalho dele e com o jeito que ele parece trazer a realidade aos nossos olhos que muitas vezes negamos ver.

    ResponderExcluir
  18. Não conhecia o livro... mas nossa, que intenso.
    Deve ser uma leitura para se pensar e refletir... acho que lerei futuramente, mas no momento, estou querendo coisas mais leves, hehe.

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011