Resenha: O menino que via demônios

by - quinta-feira, abril 17, 2014

Autora: Carolyn Jess-Cooke
Páginas: 384
Ano: 2013
Editora: Rocco

Autora de "O diário do anjo da guarda", a irlandesa Carolyn Jess-Cooke se volta para seres menos iluminados, mas tão fascinantes quanto, em "O menino que via demônios". O romance conta a história de Alex, um garoto de 10 anos que, desde a morte do pai, tem como melhor amigo um demônio de nove mil anos. Após a tentativa de suicídio da mãe, Alex conhece Anya, uma psiquiatra infantil que sofre com a esquizofrenia da própria filha. Ao longo do tratamento de Alex, porém, Anya passa a questionar suas próprias certezas: seria ele esquizofrênico ou o garoto realmente é capaz de ver demônios?

Em “O menino que via demônios” conhecemos Alex, um garoto de dez anos, mas que devido a tantas coisas a qual já passou e era obrigado a conviver algumas vezes parecia que ele era um adulto no corpo de uma criança, porém sem perder a ingenuidade e a pureza característica da idade. Ele via demônios, em especial Ruen, o que conversava e interagia com ele, este sempre assumia formas diferentes, às vezes era um menino, outras um velho, e só Alex podia vê-lo.

A mãe de Alex, Cinthia tentou o suicídio novamente, e através disso ele acaba conhecendo a doutora Anya, uma psiquiatra infantil. Ela acha curioso o caso de Alex, sua capacidade de ver demônios e começa a investigar a causa disso, se seria um sintoma de esquizofrenia ou outra doença mental . Mas Anya também tem um passado doloroso, já que sua filha sofreu desta doença. Porém chega um momento que Ruen começa pedir a Alex para fazer algumas perguntas à doutora, as quais remetem ao seu passado, reabrindo antigas feridas, o que deixa Anya perplexa, pois como Alex poderia saber daquilo? Seria Ruen mesmo real? Ou existia somente na cabeça do garoto? É ai que nos vemos mergulhado em uma narrativa que mexe com todos os sentidos do leitor.

Acho que há tempos não lia um sobrenatural infantojuvenil tão bom quanto este. Sua premissa sempre me instigou, porém ao adentrar às suas páginas me senti envolvida por personagens fantásticos e uma história que instiga e desafia o leitor, levando-nos a nos questionar sobre o que é ou não real, justamente pelas diferentes dualidades apresentadas, como o bem X mal, loucura X realidade.

"Ruen explicou-me muita coisa sobre quem ele é e o que faz, mas nunca por que eu consigo vê-lo quando ninguém mais consegue. Acho que somos amigos. A questão é que o que Ruen me pediu para fazer me faz pensar que ele não é absolutamente meu amigo. Ele quer que eu faça algo muito ruim.
Ele quer que eu mate uma pessoa."

"A mente é seu próprio lugar e em si mesma pode fazer um Céu do Inferno, um Inferno do Céu."

A narrativa é intercalada entre o ponto de vista de Alex e de Anya, e conhecendo cada um podemos ver argumentos que embasam tanto para a afirmação de que sim, o menino consegue ver demônios, quanto para que aquilo possa ser uma representação dos medos de Alex, ou seja, alucinação. Com o decorrer do livro conhecemos os medos, o passado e os cantos escuros da vida tanto de Anya quanto de Alex, a autora certamente acertou em seus personagens, criando-os de forma concisa, que nos tocam de diferentes formas, seja pela inteligência, mas também inocência de Alex, ou pela história emocionante e dolorosa de Anya.

Mas fora Alex e Anya, não há como não mencionar Ruen, de início confesso que ele não me assustava tanto, porém com o decorrer além de eu mesma me questionar no que eu queria acreditar ou deveria, me vi com medo e abismada por ele. Ruen conseguiu despertar um ódio literário em mim, mesmo não sabendo ao certo se ele seria uma entidade ou somente a representação imaginária, de uma coisa sempre tive certeza: ele era mau. E a autora o compôs tão bem, de uma forma tão palpável, que nos deixa impressionados.

O enredo foi primorosamente costurado, além de tecer a vida de seus personagens com muita habilidade percebe-se que a autora se preocupou em realizar uma profunda pesquisa na parte da psicologia, assim suas explicações fazem sentido e permite a qualquer leitor tendo conhecimento ou não dessa parte, entender a história e acompanhar as explicações e o trabalho de Anya. Outras questões como a violência e família, também foram inseridas, complementando ainda mais a obra.

Jess-Cook soube como conduzir uma história que apresenta o toque sobrenatural e a tensão em medidas certas, o leve suspense nos prende as suas páginas e o final nos reserva algumas surpresas. A todo o momento nos vemos numa corda bamba que separa a fé e a ciência, ambas medindo forças em um clima sombrio. O desfecho foi ótimo, e ao final pude concluir que O menino que via demônios foi um livro praticamente perfeito a meu ver, misturando fantasia e realidade de forma única e muito bem elaborada, do jeito que só grandes autores do gênero conseguem fazer. Emocionante, lindo, dramático e profundo, mais do que recomendado!

"- Às vezes, ele faz isso - disse ele, depois de se acalmar. - Diz que é um super-herói, mas na verdade é apenas um chato.
- Um super-herói?
Alex balançou a cabeça.
- É como ele descreve o que realmente é.
- E o que ele é?
 Alex hesitou.
- Um demônio - disse inocentemente - meu demônio."

Leia também

18 comentários

  1. Oi Daiane

    Nossa esse livro parece ser bem legal, apesar de nunca ter lido nada da autora antes, fiquei bem interessada no livro, principalmente pela doutora Anya.

    Bjs!!

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    Não conhecia esse livro e nunca li livros dessa autora. Gostei da premissa do livro, é um dos meus gêneros de livro preferido. A capa também e muito bonita.

    ResponderExcluir
  3. Oi Daiane :)

    A capa desse livro me conquista, acho perfeita. Já coloquei-o na lista de desejados por causa da sua resenha (hehehe). Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Já havia lido algo sobre o livro e fiquei interessada na leitura.
    Talvez eu ainda venha à comprá-lo. ;-)

    ResponderExcluir
  5. Oi, Daiane!
    O título deste livro me deixou um pouco assustada, mas ao ler sua resenha, vi que se trata de um livro bem interessante.

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Ohh adoro esse tipo de livro, meio sobrenatural, e meio realidade, a gente fica do começo ao fim tentando descobrir o q realmente acontece ali .

    Ainda não li o livro, mas parece muito bom.

    ResponderExcluir
  7. desconhecia, mas acredito que não seja a leitura mais propicia a mim nesse momento
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oie, td bom?
    Que história interessante! Não conhecia o livro, mas acho que essa "brincadeira" de nos deixar sem saber o que é realidade e o que é imaginário muito legal!

    Beijos
    Arrastando as Alpargatas

    ResponderExcluir
  9. ah, eu sou bem medrosa para livros assim, não sei se teria coragem de ler não eim o.o
    qual doença que a filha de Anya tinha?? esquizofrenia??
    que medo ;~~
    ahahah

    ResponderExcluir
  10. Adorei, preciso ter esse livro! Adoro tramas sobrenaturais que nos deixam sem saber o que é real e o que é imaginação. A capa não é muito bonita, mas a história parece ser demais!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Interessante, nunca li nada nesse estilo e fiquei curiosa pra conhecer. Misturar fantasia com realidade muitas vezes dá certo, acho que foi o que aconteceu com esse. Quero muito lê-lo, só acho que a capa deixou bem a desejar, não curti.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
  12. Nossa Daiane, que resenha hein, fiquei instigada a ler esse livro. Além de a premissa ser diferente da que estou acostumada, nem comecei a ler o livro e já estou curiosa para saber o final, o menino via demônios mesmo ou era só sua imaginação?? Oh curiosidade. Enfim, com certeza esse livro vai para a minha estante de desejados *-* obrigada pela indicação! Adorei a resenha, de verdade.
    Bj

    ResponderExcluir
  13. Que resenha em Dai, já estou indicando ese livro ao meu esposo que é psicanalista (sempre que toca na vertente de disturbios ele se interessa), achei sua explicação de achar a trama envolvente e bem escrita perfeita. Já quero ler quero mesmo!

    ResponderExcluir
  14. Uma criança de 10 anos passar por tudo isso é bem complicado. Não conhecia o livro e já estou anotando o nome.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  15. Eu fui lendo tentando achar alguma coisa pra ei poder dizer que nao leria mas nao consegui, achei interessante e fiquei mais curiosa pra conhecer a historia da mae e da anya (??) do que a do alex...

    ResponderExcluir
  16. Não conhecia o livro, primeira vez que vejo, mas ja adicionando esse livro nos meus desejados, adoro esse lance de sobrenatural, essa historia parece incrivel .. *-*

    ResponderExcluir
  17. Daianeeee-flor!
    Finalmente consegui um tempinho para vir aqui prestigiar essa resenha que me indicou. Eu não dava nada para esse livro quando soube do seu lançamento, então, ele não fazia parte dos meus desejados e também nunca me senti motivada a ler uma resenha sobre ele. Quão enganada estive! Menina, que opinião foi essa!?
    Eu adorei o seu jeito de expressar seus sentimentos entorno da leitura e também as qualidades do livro. Eu gosto de temas sobrenaturais (meu próprio livro envolve demônios), mas confesso que poucos são capazes de trazer o sobrenatural para a linha tênue entre fantasia e realidade. Gostei muito disso! Claro que a parte da psicologia me atrai (haha), você tinha total razão ao dizer que provavelmente gostaria deste livro. Mas não é somente isso… Todo o conjunto do que mencionou me fez desejá-lo agora.
    Obrigada por me recomendar essa leitura! Sempre que tiver resenhas de livros do gênero, seria um prazer receber um "toque" seu (rs).
    Beijos, flor!

    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Adoro livros assim, em que podemos ter uma visão do mundo meio que pelo ponto de vista de uma criança, que é um exemplo de inocência e pureza. Fiquei com vontade de ler o livro, por causa do gênero, e da sua resenha, que ficou ótima.
    E-mail: juliamariamoraes2013@gmail.com
    Nome de seguidor: Julia Moraes

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011