Resenha: O que me faz pular

by - sexta-feira, abril 25, 2014

Autor: Naoki Hagashida
Páginas: 190
Ano: 2014
Editora: Intrínseca

Naoki Higashida sofre de autismo severo. Com grande dificuldade de se comunicar verbalmente, o jovem aprendeu a se expressar apontando as letras em uma cartela de papelão, e, aos treze anos, realizou um feito extraordinário: escreveu um livro. Delicado, poético e profundamente íntimo, O que me faz pular traz uma nova luz para entendermos a mente autista. O jovem explica o comportamento muitas vezes desconcertante das pessoas com autismo e compartilha conosco suas percepções de tempo, vida, beleza e natureza, apresentadas em um relato e um conto inesquecível.


A primeira vez que li a sinopse de “O que me faz pular” senti uma vontade enorme de ler o livro. Hoje em dia há vários livros que abordam em seu enredo o autismo, seja com personagens, plano de fundo de ou outros mais técnicos, porém essa é a primeira vez que tenho a oportunidade de ler um livro escrito pelo próprio autista falando de sua situação e respondendo várias perguntas que já se passaram em nossa mente.

Tenho que dizer (ou escrever rs) que assim que comecei a ler fui tomada por uma emoção muito forte, me emocionei demais com as palavras de Naoki e agora sim posso dizer que compreendi verdadeiramente o autismo. É muito diferente quando a própria pessoa nos diz sobre suas reações, o que elas esperam de nós, o que as incomoda, e como tantas coisas que pensávamos estar fazendo certo e na verdade não está.

Naoki Higashida sofre de autismo severo e escreveu esta obra quando tinha trezes anos, ele tem muita dificuldade em comunicação verbal, mas aprendeu com a ajuda de sua mãe e uma professora a soletrar palavras usando uma prancha de alfabeto. Esse método possibilitou e o ajudou em sua comunicação, e com ela pode também escrever suas poesias e contos, ele tem seu próprio blog e já ganhou diversos prêmios com seus trabalhos literários.

"(...) Por favor, não suponham que cada palavra que dizemos é aquilo que pretendíamos. Sei que isso dificulta a comunicação - e não conseguimos sequer usar gestos - , mas queremos muito que vocês entendam o que se passa em nosso corações e mentes. E, no fundo, meus sentimentos são bem parecidos com os seus."

Quando lemos as explicações de Naoki e suas respostas o vemos tomando voz! É como se houvesse uma voz trancada esperando para enfim ser libertada, para que o mundo possa ver e principalmente entender o que ele sente e o que se passa em sua mente. Imagine você não conseguir se comunicar, não conseguir dizer como se sente, com as pessoas intuindo através de alguns detalhes ou reações o que você quer dizer, sendo que não é aquilo que você pretende. Eu senti como se Naoki estivesse se libertando, mostrando ao mundo “eu existo, eu estou aqui e tenho uma percepção muito maior do que você imagina das coisas ao meu redor”. Coloquei-me em seu lugar e foi muito difícil lutar contra as lágrimas, até que parei de lutar e as deixei fluir assim como a leitura.

Recebi uma lição de vida com esse menino, ele me foi uma grande luz no final de um túnel, já vi, já ouvi e estudei diversas coisas sobre o autismo, mas nunca tive a oportunidade de saber o que se passava na mente da criança, o que ela esperava de mim, e agora enfim pude entender. Você já parou para pensar por que eles se isolam? Por que alguns fogem? Por que às vezes eles sorriem assim do nada? Ou como funciona a mente deles quando perguntamos algo que tenha que invocar uma memória? Como reagem com uma organização? Por que preferem enfileirar os brinquedos? Como eles enxergam o mundo ao seu redor? Naoki nos dá respostas para essas perguntas e muitas outras, e me surpreendi demais com suas palavras.

A sensibilidade dentro de palavras singelas é tocante, e algo que ele sempre repete é “não desistam de nós”, “fiquem ao nosso lado”, um apelo para tentarmos compreendê-los, pois como ele mesmo escreve no final, ao compreendermos a verdade a respeito dos autistas já será uma grande luz, um raio de esperança na vida dos mesmos, e é nisso que eles se apegam: a esperança. Não a esperança de ser normal, mas sim de serem entendidos e aceitos como são.

"A verdade é que amamos ter companhia. Mas, como as coisas nunca dão certo, acabamos nos acostumando com a solidão sem sequer perceber como isso aconteceu. Toda vez que escuto alguém comentar o quanto eu prefiro estar sozinho, isso me faz sentir solitário demais. Sinto como se eles estivesse me dando um gelo de propósito."

Além das perguntas ele nos presenteia com alguns contos seus, e que doçura! Naoki tem um talento maravilhoso, lhe foi dada a chance e ele se apegou a ela. Hoje através de suas palavras portas estão sendo abertas, pais estão podendo entender melhor seus filhos, como o próprio David Michell coloca em sua introdução, esse livro caiu do céu e foi transformador para seu relacionamento com seu filho, pois enfim ele entenderia o que se passava dentro da cabeça do mesmo, explicando o porquê de tantas dúvidas que ele tinha e ninguém conseguia explicar. Aprendendo que o caminho para compreendê-los não é fazendo a criança autista entender a forma como você vê o mundo, ou buscando na sua forma as explicações necessárias, mas sim você aprender a ver o mundo como ela vê, e a partir dai entrar em uma sintonia e enfim entende-los de verdade.

Para mim foi um “O que me faz pular” foi um livro revelador, simplesmente um dos melhores que já li. Tocante, real, sincero, divertido também, e emocionante. Uma voz enfim toma forma, eu realmente aprendi muito, não imaginava o quão difícil para eles é a situação que enfrentam e a espera para que sejam notados e ouvidos! Através dessa obra tirei lições que levarei para a vida toda, mais do que recomendado, é uma leitura obrigatória.

"Em poucas palavras, aprendi que cada ser humano, com ou sem deficiências, precisa se esforçar para fazer o melhor possível e, ao lutar para conseguir a felicidade, ele a alcança. Veja bem, para nós o autismo é normal, então não temos como saber o que os outros chamam de 'normal'. Porém, a partir do momento em que aprendemos a nos amar, não sei bem se faz diferença termos autismo ou não."

Leia também

19 comentários

  1. Acho esse livro muito interessante, ainda não tive a oportunidade de ler, mas quero muito.

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Adorei a sua resenha. Não conhecia esse livro, mas adorei a premissa. A capa também é muito linda. Com certeza, é um livro que eu quero ler.

    ResponderExcluir
  3. Oi Daiane, tudo bom? Ainda não li nenhum livro com a temática do autismo, mas tenho certeza que aprenderei muito quando ler. Achei muito interessante esse livro porque o próprio autista fala com o leitor. Deve ser uma leitura emocionante e bastante enriquecedora. Gosto de livros assim que me fazem pensar em várias coisas.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Daiane :)

    Sua resenha ficou tão interessante e eficaz que já adicionei esse livro na minha lista de desejados, tenho certeza que irei gostar. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Confesso que não tinha me interessado por esse livro quando fiquei sabendo do lançamento e tal. Não gosto muito do tema autismo porque realmente não entendo nada e acho tudo muito difícil de compreender, por isso nem tempo.
    Mas depois de ler sua resenha e as quotes do livro, fiquei bem animada! Para ser um livro didático, mas que te ensina de uma forma divertida e delicada, fazendo você realmente gostar daquilo e se interessar. E você soube vender o peixe mt bem! hahahaha Entrou pra minha lista de leitura.

    Bjs!
    nasquartasusamosrosa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Daiane

    Nossa como sempre eu adorei sua resenha, adorei também as passagens do livro que você colocou na resenha, mais teve umas que realmente me tocaram que foi “eu existo, eu estou aqui e tenho uma percepção muito maior do que você imagina das coisas ao meu redo” outra que também me deixou muito emocionada foi essa que você disse que ele sempre repeti “não desistam de nós”, “fiquem ao nosso lado”, nossa Daiane quando eu li isso eu fiquei imaginando como eles devem se sentirem com tudo isso.
    Eu também gostei muito dessa passagem "A verdade é que amamos ter companhia. Mas, como as coisas nunca dão certo, acabamos nos acostumando com a solidão sem sequer perceber como isso aconteceu. Toda vez que escuto alguém comentar o quanto eu prefiro estar sozinho, isso me faz sentir solitário demais. Sinto como se eles estivesse me dando um gelo de propósito." Daiane quando eu li essa passagem fiquei aqui pensando, que isso que ele falou é verdade as vezes achamos que eles preferem ficarem sozinhos, mais na verdade o que eles querem é que agente fique com eles. Bela resenha Daiane, espero eu um dia ter a oportunidade de pode lê-lo. E aposto que eu vou deixa as minhas lagrimas fluírem como as suas.

    Bjs!!

    ResponderExcluir
  7. É a segunda vez que leio sobre
    esse livro.
    E é a segunda vez que me emociono só de ler a resenha.
    Tenho alguém bem próximo à mim que tem autismo.
    Não é fácil para quem lida com a situação e muito menos para o autista.

    ResponderExcluir
  8. Eu nunca li nenhum livro com o tema central sendo o autismo, acho legal ter livros nesse estilo pra que possamos aprender um pouco sobre isso, e saber como é a vida de um autista. Não sei se lerei esse, mas fiquei bastante comovida com sua resenha.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
  9. apesar de estar surgindo vários livros com esta temática, ainda não tive a oportunidade de ler nenhum deles (apesar de desejar vários!)
    deve ser um aprendizado lindo... pelos comentários que eu vi, ele transmite ótimas mensagens... mas este, por ser contado pela própria pessoa, com certeza é mais bem abordado!
    não conhecia este livro ainda, mas fiquei curiosa pela história!
    com certeza será uma leitura linda *---*

    ResponderExcluir
  10. é a primeira resenha que leio e me encantei pelas suas palavras, deu pra ver que você se envolveu e curtiu a leitura! que ela te proporcionou aprendizagens e boas sensações
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Amei a resenha e fiquei super interessada no livro. Tenho muito interesse no assunto e não sabia que havia um livro que havia sido escrito por um autista. Deve ser uma leitura muito emocionante, como vc diz leitura obrigatória!!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  12. Mais um livro com este tema, e mais um que me interessou.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  13. Linda resenha, eu pude perceber como esse livro realmente é emocionalnte. Fiquei encantada com a história dele, eu sempre quis saber mais e entender o autismo, e vou colocar esse livro na minha listinha porque acho que ler as palavras dele vai ser algo que não conseguirei colocar em palavras...

    ResponderExcluir
  14. Linda a historia do livro, eu nunca tinha ouvido falar, mas fiquei com muita vontade de ler, com certeza um livro muito emocionante e mostra que podemos superar tudo na vida né, minha prima tem um filho que ta com 5 anos e que é autista, vou falar do livro pra ela, tenho certeza que ela vai gostar muito :D

    ResponderExcluir
  15. Na semana de conscientização do autismo vi alguns blogs falando de Passarinha, mas em um ou outro eles colocaram esse livro como foco, achei muito interessante por abordar um tema tão delicado ainda que é o Autista em seus diferentes graus de aceitação com o mundo e com as relações...

    ResponderExcluir
  16. Vi hoje esse livro na livraria mas nem sabia sobre o que se tratava e pela sua resenha parece ser um livro muito lindo e caso eu tenha oportunidade acho que o leria.

    ResponderExcluir
  17. Com toda a certeza eu leria esse livro, ele tem uma premissa super interessante, e a história parece ser bem emocionante, e realmente parece trazer até nós uma lição de vida.
    E-mail: juliamariamoraes2013@gmail.com
    Nome de seguidor: Julia Moraes

    ResponderExcluir
  18. Trabalhei em uma instituição filantrópica e lá pude ser educador físico de crianças e adolescentes com autismo. Agora ao terminar a leitura de Naoki , irei rever minha abordagem educacional. Namaste!

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011