Resenha: Querida Sue

by - domingo, maio 18, 2014

Autora: Jessica Brockmole
Páginas: 255
Ano: 2014
Editora: Arqueiro


Março, 1912: A jovem poeta Elspeth Dunn nunca viu o mundo além de sua casa, localizada na remota ilha de Skye, noroeste da Escócia. Por isso, não é de espantar a sua surpresa quando recebe uma carta de um estudante universitário chamado David Graham, que mora na distante América. O contato do fã dá início a um intercâmbio de cartas onde os dois revelam seus medos, segredos, esperanças e confidências, desencadeando uma amizade que rapidamente se transforma em amor. Porém, a Primeira Guerra Mundial força David a lutar pelo seu país, e Elspeth não pode fazer nada além de torcer pela sobrevivência de seu grande amor. Junho, 1940, começo da Segunda Guerra Mundial: Margaret, filha de Elspeth, está apaixonada por um piloto da Força Aérea Britânica. Sua mãe a alerta sobre os perigos de um amor em tempos de guerra, um conselho que Margaret não quer ouvir. No entanto, uma bomba atinge a casa de Elspeth e acerta em cheio a parede secreta onde estavam as cartas de amor de David. Com sua mãe desaparecida, Margaret tem como única pista do paradeiro de Elspeth uma carta que não foi destruída pelas bombas. Agora, a busca por sua mãe fará com que Margaret conheça segredos de família escondidos há décadas. Querida Sue é uma história envolvente contada em cartas. Com uma escrita sensível e cheia de detalhes de épocas que já se foram, Jessica Brockmole se revela uma nova e impressionante voz no mundo literário.

A primeira vez que via a capa de Querida Sue e sua sinopse, logo ele entrou para minha lista de desejados. Simplesmente amo livros que se passam em épocas de guerra, e ao ver os comentários a respeito da obra, claramente não pude deixar de lê-lo. É uma característica minha, como leitora, gostar de livros que se passem nesses período, pois para mim são nos extremos, em meio a linha entre a vida e a morte, que o ser humano demonstra quem verdadeiramente é, e os seus mais primitivos instintos.

Em Querida Sue, percebe-se essa característica mais a fundo, pois por ser narrado em cartas, os sentimentos daqueles que as escrevem, a troca de confidências, experiências, o prenúncio do amor, são mostrados de forma mais intensa. Brockmole narrou com emoção, compôs seus personagens com uma delicadeza, que é impossível não se sentir próxima a cada um deles.

Ao trabalhar em seu enredo, a autora inseriu pontos interrogatórios, são mescladas cartas de duas épocas diferentes, a de Elspeth, apelidada de Sue, e David, uma poetisa e um fã, e Margaret, filha de Elspeth, e seu amor, Paul, piloto da Força Aérea. Dois períodos de guerras mundiais, fantasmas do passado, que envolvem amores, família, são duas histórias que nos envolvem e se ligam por um mistério primorosamente composto, e, sobretudo emocionante.

"Eu devia ter-lhe contado. Devia tê-la ensinado a proteger seu coração. Ensinando que uma carta nem sempre é apenas uma carta. As palavras na folhas são capazes de inundar a alma. Ah, se você soubesse..."

Adentramos ao coração de cada um, conhecemos o sofrimento de perto, o amor, a luta, a tragédia e o leve sopro de esperança, que se demonstra perigoso e tentadoramente arriscado em períodos de guerra. Uma das coisas que me ficou clara em Querida Sue, é o poder que as palavras têm, aqui não vivenciamos o dia a dia de cada personagem, mas os vemos falar de seus sentimentos, seus dramas, suspeitas, segredos, são experiências vividas e expressas através de frases, linhas, que ao unir-se transbordam sentimentos em suas páginas.

Algumas vezes livros compostos narrativamente por cartas, são tidos como chatos ou mais vagos, mas neste livro digo que a escolha desse modelo por parte da autora foi algo excelentemente acertado. Uma das habilidades demonstradas em seu enredo é não deixar que o leitor se perca, ao contrário, mesmo mudando o tempo da obra, segue-se a narrativa sem perder do foco, em que pequenos pedaços começam a se encontrar, deixando-nos aflitos, ansiosos, e também com algumas lágrimas nos olhos.

A escrita delicada, detalhada de uma forma positiva fez com que o livro ficasse mais leve, proporcionando uma leitura mais fluida e aconchegante. Apaixonante da primeira a última página, doce, sincero, uma das histórias de amor em tempos de guerra mais lindas que já li. Uma prosa com um leve sabor de poesia, mostrando a força de um dos sentimentos mais poderosos cedidos a nós simples humanos: o amor, em suas diversas faces, formas, e paralelismos. Querida Sue está mais do que recomendado para fãs de histórias inesquecíveis. 

"Tento me deitar cedo, para não ter que pensar e me sentir sozinha, mas simplesmente não consigo adormecer. Confesso que tenho apanhado e relido todas as suas cartas antigas, e às vezes adormeço coberta pelas suas palavras. Isto me dá a sensação de que você está realmente aqui e de que não estou só."

Leia também

21 comentários

  1. Quando vi o livro pela primeira vez, me apaixonei pela capa.
    E agora lendo sua resenha,me apaixonei pelo enredo.
    Também adoro histórias de épocas passadas.
    Esse está entre os meus mais desejados.

    ResponderExcluir
  2. Sua resenha fez com que me apaixonasse pelo enredo e me arrependesse de não solicitar este livro. Adoro livros que se passam em épocas de guerra ou que envolvam estas épocas e essa parece uma dessas leituras perfeitas sobre o tema. Entrou nos meus desejados ^^

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Adorei a sua resenha. Quero muito ler esse livro. Gosto muito de livros que são ambientados nas Grandes Guerras.
    Outro ponto que eu gostei é que ele é formado por cartas.
    Espero ler em breve.

    ResponderExcluir
  4. já eu não sou muito chegada em livros ambientados nesta época ;x
    mas parece ser um livro bom... muito interessante... mas não sei se iria me agradar :S

    ResponderExcluir
  5. Oi Day!! Eu sou completamente apaixonada por livros ambientados em guerras, eles nos permitem descobrir o verdadeiro "eu" do ser humano, é como você afirmou: as ações das pessoas são diferentes quando estas estão enfrentando tempos difíceis. Não costumo gostar muito de livros escritos em forma de carta, por vezes tendem a serem cansativos, mas Querida Sue parece ser diferente, com uma história singela, emocionante e uma escrita poética... Não tem como não amar! Espero poder lê-lo muito em breve!

    Beijos!

    Meu Diário

    ResponderExcluir
  6. e fiz o movimento contrário, à primeira vista não havia me interessado, agora lendo resenhas, conhecendo o enredo me cativei de tal forma que quero e preciso ler
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. A primeira vez que vi o livro achei ele tão sem graça, mas depois eu vi que se passava em tempos de guerra e desde então estou querendo ler

    ResponderExcluir
  8. Eu tinha vista o livro no skoob mas não tinha lido uma resenha como a sua. Fiquei mais curiosa. Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  9. Day me identifico demais com esse livro, primeiro porque troco cartas há bastante tempo, segundo porque achei linda a história de amor, e o que tem de sentimentalismo em uma carta enviada e terceiro porque perdi contato com uma pessoa muito especial para mim e que só nas cartas nos reconhecíamos. Aff, quero demais! E sei que vou reviver cada linha escrita quando ler esse livro, parece que foi feito para mim!!!

    ResponderExcluir
  10. Eu não acho nada chato livros que tenham cartas, recados ou até mesmo e-mails, acho que a leitura pode ficar mais rapida e até mesmo mostra um lado da historia mais direto, eu aprovo, este livro parece mesmo ser muito bom, eu ja ouvi boas recomendações quanto o livro.
    Uma historia bem escrita e que é narrada em outra época, quero muito le lo,
    beijos.

    ResponderExcluir
  11. Que livro mais lindo! Ele tem alguns traços de o diário de suzana para nick...Eu amei mesmo,vou ver se econtro ele no preço bom e apreciar a leitura.

    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/
    beijooos!

    ResponderExcluir
  12. Dai, querida, tb li este livro e fiquei completamente encantada! Assim como vc, fui fisgada pela linda capa e a promessa de uma história contada através de cartas... nunca tinha lido um romance epistolar, então me lancei sem medo, porque a época de guerra tb me seduz muito...
    Que maravilhosa leitura! Vc disse muito bem e endosso sua observação: "Apaixonante da primeira a última página, doce, sincero, uma das histórias de amor em tempos de guerra mais lindas que já li."

    Indico a todos que adoram dramas e romances intensos.

    Fiz resenha para ele tb aqui e adorarei saber sua opinião: Ler para divertir

    ResponderExcluir
  13. Quero muito ler esse livro, desde que vi as imagens de seu lançamento no site da Arqueiro. A história parece ser linda, e parece ser bem emocionante mesmo.
    Eu nunca li nenhum livro narrado em cartas, e achei isso bem diferente, acho que vou gostar :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Eu achei a capa bem desse livro bem bonito e li algumas resenhas positivas sobre ele.
    Não li nenhum livro que seja contado em cartas...estou esperando alguma promoção para comprar esse livro!

    Dani Viani

    ResponderExcluir
  15. Um livro que tem várias resenhas boas sobre ele
    Ainda não me animei pra ler, pelo romance se passar numa época distante
    Ainda decidindo se vou ler

    ResponderExcluir
  16. Eu não lembro ter lido algum livro onde a narrativa fosse por cartas. Quando soube deste fato achei bem interessante e você não é a primeira que me fala da beleza desta leitura.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  17. Oi Daiane

    To comentando só nos sábados e domingos agora por falta de tempo rsrsrs. Bem em primeiro lugar mas que capa de livro linda é essa, e sinopse maravilhosa, eu adorei sua resenha principalmente porque você falou que a história é contada em forma de cartas nunca tinha lindo um livro dessa forma e se li não me lembro rsrsrs, eu quero muito lê-lo já imaginou encontra catas da sua mãe sobre um amor escondido do passado rsrs.

    Bjs!!!

    ResponderExcluir
  18. Esse livro entrou na minha lista de desejados desde que vi a capa e a sinopse dele. A cada resenha que leio aumenta o meu desejo de conhecer mais da história. Adoro romances que tem como pano de fundo a guerra, torna os romances ainda mais lindos... e tristes. O fato de ser narrado por cartas o torna diferente dos outros que já li. Espero poder lê-los em breve.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  19. Aiiiiiiiiiii eu amo a editora =/ Sempre, todas as obras lançadas me agradam... e meu sonho de consumo é ter quase todo o catálogo kk. Esta é uma das obras que desejo bastante, e parece ser um livro muito bom.

    ResponderExcluir
  20. Não sou muito fã de romances, nem livros que são ambientados em tempos de guerras. E, apesar de receber todos esses elogios na escrita, narrativa e trama, não consegui me conectar com ele. Mas quem sabe não o lerei em um futuro bem distante, né?!?!

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  21. O livro parece ser tudo de bom até porque eu adoro livros que sejam romances históricos eles são meus prediletos e este livro com toda certeza já entro para minha lista amei mais ainda porque ele é contado em cartas adoro cartas(pena que não levo jeito para escreve uma) depois desta resenha com toda certeza tenho que ler.

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011