As cartas de um jovem solitário: então, eu fecho meus olhos...

by - sexta-feira, junho 20, 2014



Por Neialbert Fontes
 
Então, eu fecho meus olhos... e creio ainda ouvir oculta sob os meus pensamentos, a sua voz terna e sonora, como um canto dos pássaros, me levando ao divino êxtase dessa recordação encantadora, ou talvez, a louca embriaguez de um doce sonho. Lembro-me das noites em claro, sobre a grama e ao brilho das estrelas, quando eu a via entre seus longos cabelos, dançando suavemente na brisa morna da noite. E mesmo que a comparasse a um dia de verão, você sempre era mais linda e mais amena: até o vento perdia o rumo quando encontrava seus cabelos, um termo estival. 

Sabe, eu realmente te amo e não houve um dia que eu deixei de dizer, mesmo quando não estávamos mais juntos. Sei que perdi muito tempo vestido às avessas depois da sua ida. Até que entendi, que não dava mais para deixar o sol se pôr sobre minhas lamentações. Continuei respeitando o amor do coração acima da razão. Fiz um favor a mim mesmo, quando decidi que seria o meu próprio salvador e quando acordei na segunda manhã que lhe perdi, percebi um sentimento totalmente novo, de me sentir curado, mas tive medo de que quando anoitecesse, me encontrasse na escuridão, deixado como um idiota, lamentando nunca ter existido. 

É que às vezes, a gente quer desistir, mas quando mantemos o queixo erguido, uma hora encontramos uma solução. E todas as vezes que eu queria ficar sozinho, não me sentia solitário, porque cada dia era um novo recomeço e eu me sentia melhor, quando conseguia afastar todo ódio que tinha, perdoando e esquecendo. Essa é a vida e, no fim das contas, está tudo bem! Afinal, por mais que a dor de lhe ver partir seja grande, te amar é algo incomensurável. 

Porque o amor por si só, não se limita, visto o quão é paciente e bondoso. Visto o quão não é ciumento ou prepotente, nem arrogante ou rude. Não há um próprio jeito em que o amor insista. É ele que nunca se irrita ou recente e nem se alegra com a injustiça... mas flerta com o correto. Ele também sofre com tudo e considerando todas as coisas, ele tudo suporta e nunca caba. Depois de nós dois, eu achava que era um ser desprovido de tudo, até que percebi que, mesmo não a tendo ao meu lado, enquanto houver sentimento nesta lida, há de viver meu verso e te dar vida... então, eu fecho meus olhos...

Leia também

5 comentários

  1. Noossa que texto lindo!!! Sabe quando estou muito triste gosto de ficar só, só eu e meus pensamentos loucos que divagam pela eternidade a fora, acho que é uma oportunidade de focar no que eu quero, nos meus sonhos, de ver que os meus medos são bobos e que vale a pena lutar pela vida, porque a gente só tem uma!
    Beijos!

    Meu Diário

    ResponderExcluir
  2. poxa, um texto que tocou bastante!
    muito bonito! emocionante
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Amar sem poder ficar pertinho, não é fácil!
    Uma carta apaixonada é o seu lindo texto.

    ResponderExcluir
  4. Um texto para se refletir por horas, por isso ainda estou refletindo e no momento sem muitas palavras, a não ser: parabéns, escreves com alma e pulso!

    ResponderExcluir
  5. Inspiração total garoto! O verdadeiro amor é realmente um sentimento nobre, onde o que importa é saber que a pessoa amada está bem, mesmo que não esteja ao nosso lado.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011