[Momento Coloquial: Um ser por detrás das palavras] Entrevista com Neialbert Fontes

by - domingo, junho 01, 2014

Estou consciente de que não consigo, por meio de um esforço direto, sentir-me como quero e como devo. Sei que meus sentimentos e todos os estados e fenômenos da sensibilidade são apenas indiretamente controlados por minha vontade. Por um ato de vontade eu posso ordenar ao meu intelecto que considere certos fatos e desta maneira posso afetar minha sensibilidade e produzir um determinado estado emocional. Assim, às palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração se tornam agradáveis na presença de todos vocês."







Fala galera bonita! Tudo bem com vocês? Por esses dias começamos aqui no blog uma série de entrevistas com as pessoinhas que estão aqui do lado de cá escrevendo para vocês, a minha foi ao ar dia 27, não viu? Então clique aqui e vai lá conhecer a criatura que administra esse cantinho. Hoje a entrevista é com nosso colunista Neialbert Fontes, que já tem nos presenteados com seus belos textos e resenhas, e me ajudado bastante aqui no blog. Agora temos a chance de adentrar um pouquinho mais em seus pensamentos e saber sua opinião sobre vários assuntos. Ficou curioso? Vem cá conferir então e conhecer um pouco mais dessa pessoa maravilhosa.

1. Defina-se para nós Neialbert, como você se vê?

Bom, eu sou um cidadão que já buscou o segredo cedo demais, que já quis o impossível, que já foi ameaçado pela sombra à noite, que já foi exposto à luz, já desgastou boas vindas com precisão a esmo, já cavalgou na brisa de aço, já foi o festeiro, o visionário, o pintor, o tocador e o prisioneiro, já foi o estranho, a lenda o mártir, Já foi o alvo de risos distantes, já foi pego no fogo cruzado, já caminhou sobre a lâmina de aço, já viu olhares nos rostos como buracos negros no céu, já lembrou do passado, já brigou com o futuro, já foi lembranças e recordações, já passou por além, já brilhou um dia e talvez ainda possa brilhar, porque não se pode apagar, um louco diamante... enfim, eu não sou fácil de ser definido... tenho uma mente dispersa e quase sempre, não sou nada do que eu penso que sou.


2. Quais são suas maiores qualidades, e também defeitos?

Eu trato as minhas qualidades e defeitos como uma ambiguidade. Afinal, nós nunca iremos agradar a todos, então, como exemplo, a minha sinceridade é uma qualidade para algumas pessoas, enquanto para outras, soa como um defeito. O meu ego e orgulho, podem enervar algumas pessoas, como também, podem prover outras. Não costumo me questionar sobre o que preciso agradar e sim, sobre onde preciso crescer, modificar, evoluir. Sem narcisismo, ou egocentrismo, apenas dandismo.

3. Você tem alguma mania? Se sim, qual? 

Sim, tenho minhas manias ilógicas, de estudar as pessoas e suas personalidades pela maneira de agir, visto seus gestos... de associar uma canção a cada momento do dia, buscando o entendimento da situação... de buscar o encantamento em tudo que parece não ter sentido. 

4. Quais são seus sonhos e objetivos atuais? 

Meus sonhos se resumem em poder ter mais vida em meus dias, do que dias em minha vida. Meus objetivos, é poder realizar esses sonhos todos os dias! 

5. O que a música representa para você? 

A música, sem dúvida, é o combustível da minha vida. Esteve e está presente em mim, desde que me entendo como gente. Foi e é importante, em cada parágrafo da minha formação de ideias assim como ideológica. A minha identidade pra vida, com certeza, foi formada por essa arte que me acompanha, pois, através da música, não me sinto ultrapassado, ou obsoleto, perante a existência humana. 

6. Como foi que você descobriu o amor por essa arte? 

Lá pelos meus dez, onze anos de idade, quando conheci o amor platônico e o Pink Floyd... foi o despertar da mente e a certeza de que não queria pra vida, uma outra coisa. 

7. Vendo o atual cenário da música hoje no mundo, o que você acha das novas bandas de rock que tem surgido? Qual a sua opinião sobre elas? 

Eu sou um idoso, tratando-se de gosto musical. Minhas aprovações e manifestações se resumem aos anos 1950 à 1990, infelizmente. O novo, é uma coisa sem alento. É mais a busca do êxito do que mesmo o júbilo. As coisas hoje em dia lutam para não se bastar à mesmice e a falta de criatividade dos que se dizem artistas. Pra mim, a maioria não passam de pessoas comuns, fingindo serem mais do que são... isso explica o porquê da maioria das bandas ou grupos, só atingirem o sucesso uma vez, ao contrário de antigamente, quando os mesmo, eram tops por anos ou décadas. Talvez isso tenha salvação um dia, mas está muito além de talento ou dom. 

8. Quais são suas bandas e músicas preferidas? 

Essa resposta, com certeza ocupariam páginas e páginas, visto o meu rico intelecto sobre a música e o rock em especial, mas resumindo, o possível, destaco: Pink Floyd, Uriah Heep, Black Sabbath, Judas Priest, Iron Maiden, Blind Melon, Alice In Chains, Iggy Pop, Rolling Stones, Beatles, Sheryl Crow, Scorpions, Engenheiros do Hawaii, Lobão, RPM, enfim, uma cacetada. Agora música, apesar de muitas eu ter como hino, destaco a mais importante pra mim: Coming Back To Life (Pink Floyd). Como diz o próprio título (De volta à vida), essa canção é uma espécie de transição, da tristeza à alegria de poder viver em paz, a começar pelo solo inicial, que é uma expressão da dor de se sentir insatisfeito, seguido do solo central, que é um desabafo e por fim, o último solo, que é literalmente, o prazer de voltar a vida. É uma canção muito rica em todos os aspectos, uma obra prima do David Gilmour e por isso, a tenho como título.

9. Você se arriscaria pelo desconhecido? Ou é mais cético preferindo arriscar naquilo que lhe é conhecido e seguro? 

Sabe, o talvez torna a vida um pouco mais atraente, então, que se dane a segurança, se esta não me satisfaz. Gosto de me arriscar e arrisco, porque faço em busca de progredir, de crescer e atingir o nível desejado. Não me importa se o desconhecido pareça impossível, pois eu vivo uma vida sem limites, porque quem se limita, não conhece os prazeres da vida. 

10. Além da música, o que mais você gosta? 

Sexo, dinheiro, estar com os amigos, com a família, degustar bebidas, ler, escrever, futebol (já fui jogador), Formula 1 (sempre quis ser piloto, mas só consegui pilotar um kart), enriquecer a mente, buscando as várias formas de conhecimento e satisfação própria! 

11. Você acredita que hoje a TV seja uma “formadora de opinião” ou as redes sociais tomaram esse papel para si? 

A TV na verdade, é um veículo de comunicação privado, que só transmite a informação que se é paga, ou seja, há um quê de manipulação das emissoras e por isso não confio na televisão como algo capaz de nos fazer ter ideias baseadas na verdade ou realidade não camuflada. Já as redes sociais, ou melhor, a internet, embora também não se possa acreditar em tudo que se ler, é mais fácil de se ver a tão aclamada liberdade de expressão. O que não há espaço nas televisões, há de sobra nas telinhas dos computadores, smartphones, entre outros. Basta saber até quando esta liberdade terá paz. 

12. Vamos adentrar um pouco na sua intimidade, o que você acha mais atrativo em uma mulher? 

Simplesmente o fato de suas imperfeições junto as minhas, serem algo perfeito pra mim! Não costumo julgar defeitos e qualidades numa pessoa, pelo contrário, prefiro encontrar algo nela que sobreponha qualquer menção negativa de sua existência. A mulher em si, só por ser mulher, já me atrai... e se dispuser de olhares vibrantes e sorrisos contemplantes, é bem provável que a chame de Deusa! 

13. Você acredita em Deus? 

Eu sou um admirador nato da ciência e seus estudos, tanto que, se vivesse na época de Adam Weishaupt (Illuminati), ou mesmo Leonardo Da Vinci, talvez fosse taxado pela igreja como herege, ou mais um dos muitos membros existentes na época da tão famosa “Nova Ordem Mundial”, por minhas teses e teorias, mas, sinceramente, não acredito no Darwinismo. É uma teoria um tanto idiota e sem fundamento, para mim. Com certeza, a teoria da Panspermia é mais excitante, ao estudarmos (não é à toa que os Estados Unidos investem bilhões na NASA). O que eu quero dizer, é que faz sentido acreditar que existe algo acima de nós, como também, abaixo de nós. O problema, está na conotação que as religiões preceituam sobre o bem e o mal, uma ideia um tanto paradoxal, visto que, para mim, esse lance de bem e o mal, é como uma célula humana em processo de metamorfose, estimulado pela forma em que a mente é alimentada, uma questão de escolha também, sobre tudo, o que mais lhe convém. A questão, é que a existência de Deus e do Diabo, diante da minha visão, com certeza não é como o que as religiões pregam de forma inflacionária. É um abstrato que existe dentro de cada um e que cria forma a começar pela fé em si mesmo, como um ser pensante, andante, “bon vivant”. Então, pra mim, Deus existe, o Diabo também, a vida é feita de escolhas, eu tenho fé em mim mesmo, acredito em ambos (sob razões e proporções diferentes, é claro) e dificilmente acreditarei naqueles que se dizem pregadores, mas que na minha visão, não passam de “freelancers”, com um dos variados volumes já escritos da bíblia nas mãos. 

14. Qual a importância do sexo para você, e o papel que o mesmo ocupa em sua vida? 

Eu vejo o sexo como uma terapia, aliás, a única que resolve o problema de sua mente em uma única seção. Sim, ele te cura! Porque alimenta o corpo e a alma, num enrolar dos corpos, conspirando o prazer da carne em seu pecado mais atraente. Infelizmente, não posso permitir que o sexo ocupe todo espaço vazio em mim, pois se não, essa entrevista acabaria por aqui. 

15. Em relação aos relacionamentos, prefere algo duradouro ou acredita que o tempo é algo relativo? 

O relacionamento tem que vingar seja de qualquer gênero, longo ou curto, tem que valer a pena ter existido! Mas, para se ter uma ideia do que lhe é mais necessário, basta estar com alguém que te excite não de uma só forma e aí, saberá se será duradouro ou não. Eu, por exemplo, nunca tive um relacionamento longo, talvez pelo fato da excitação ter se esgotado. Sobre o que prefiro, simples, a longevidade das minhas ideias e desejos, de conquistar a mesma mulher, todos os santos dias. É um desafio prazeroso à ambos! 

16. Hoje, na fase adulta, como está sua vida? 

Minha vida está num caminho absurdo, mas, eu sou absurdo! Gosto de pensar grande, porque as vitórias são na mesma proporção, não importando quantos andares, na dificuldade, tive que alcançar pra chegar lá. Estou numa fase nova, num mundo desconhecido, mas sentindo o cheiro do sucesso logo a frente, o que me torna um alguém desapressado, levando meu tempo, sabendo que dificuldades virão e passarão e que uma hora, vou encontrar alguém do qual não apenas possa acrescentar o meu nome, mas sim, todos os sentimentos que me transbordam. 

17. Se pudesse estar em qualquer lugar agora, que lugar desejaria estar? 

Sem dúvidas, no Castelo Eilean Donan, nas “highlands” escocesas. Um lugar magnífico, de uma inspiração suprema, de tirar o fôlego! 

18. Você é a favor da legalização da maconha? 

Acho bastante interessante e viável essa questão, tendo dois pontos de vista (positivos) em relação. Primeiramente, a vida é de cada um e todos fazem dela o que bem entender. Proibir algo como se fosse um pecado execrável só vai potencializar a curiosidade e a sensação de satisfação própria do indivíduo... e depois, é uma manobra aceitável para começar a criar competitividade com o narcotráfico, além de, ser uma forma eficaz do governo poder controlar desde os processos de fabricação até o usuario final. Eu nunca usei nenhum tipo de entorpecente (acho que eu não preciso), mas sou a favor de um mundo como o de antigamente, no sentido de liberdade moral! 

19. Quais personalidades te inspiram? 

Muitos... muitos mesmo! Mas posso resumir: David Gilmour, por exemplo, é quem enriquece a estrutura da minha mente com uma guitarra. Roger Waters, me faz sentir indignação com o mundo, jamais satisfeito. Oscar Wilde, me faz entender que possuo gênio, nome, posição, agudeza intelectual e talento. John Lennon, me da a certeza de que a paz está acima de nossas mãos e que o amor, é a arma mais forte de uma guerra. Iggy Pop, me lembra que é preciso ser louco e ousado, para alcançar o sucesso e Sheryl Crow, bom, essa é o meu erro favorito, uma pequena Artêmis de olhos da cor do mar, bem humorada e gentil, com pesados cabelos loiros e maravilhosas mãos, com um intelecto respeitável e uma personalidade cativante, perfeita em minha concepção de mulher... isso já diz tudo! 

20. Qual sua opinião sobre a fase atual do país, em que as pessoas perderam o medo de se manifestar e como diz o lema “estão indo para as ruas”. Você acredita que estamos fazendo isso certo? 

Bom, se é certo ou não, só vamos ter certeza quando algo mudar, porque, sinceramente, não vi nada ainda. Falo, pelo seguinte fato, de que décadas atrás, em meio a ditadura, pessoas pintaram as caras e foram para as ruas, arriscaram as suas vidas para reivindicar a democracia, deram a cara a tapa, inclusive artistas celebres e hoje se sentem meio que, envergonhados, com o que fim levou. Eles conseguiram a liberdade que desejavam, mas tivemos que pagar um preço, que ainda me pergunto, se foi justo. Acredito que a mudança está muito além do que pôr a cara na rua pra dizer que está insatisfeito com o país. O medo nunca existiu, o que existia era o conformismo, que passaram a deixar de lado, quando a descaração dos políticos excederam a conta e de uma forma ou de outra, afetou generosamente, os bolsos e a moral dos supostos “medrosos”. Aí fica fácil dizer o velho ditado: brasileiro só fecha a porta depois que é roubado. As eleições estão aí, querem mudança? Então comecem a mudar a forma de pensar sobre política e principalmente, a fechar as portas. 

21. Do que você tem medo? 

Tenho medo, de sentir o medo de uma forma que eu não possa lutar contra. Espero que a minha vontade continue sobrepondo este dilema! 

22. Gosta de viajar? Que lugares já conheceu ou sonha em conhecer? 

Sim, adoro viajar e sempre o faço quando posso. Conheço o Nordeste do País, como alguns lugares do Centro-Oeste e Sudeste. Mas, meu alvo sempre foi o velho mundo. Países como Irlanda, Escócia, Inglaterra, Itália, Alemanha, Espanha, Portugal, sempre estarão no meu guia de viagens... Os países celtas, são o que mais me atraem... assim como o tio San, o Chile e a Argentina. 

23. Até que ponto você acha que o humor é válido, como o “humor negro”, piadinhas que são feitas diariamente em redes sociais e na internet em geral, você acredita que não há problemas, ou deve haver um limite? 

Não vejo problemas no humor, desde que o mesmo não se torne algo pessoal, desferindo a integridade moral, pois aí, já seria ofensa e não uma piada. 

24. Na literatura, você acredita que devemos ler o que bem desejarmos ou devemos conhecer também (obrigatoriamente) aquelas obras denominadas “canônicas”? 

Acredito que devemos sobre tudo, lermos o que nos conforta, o que gostamos e nos desperta interesse acima de tudo, porém, não se pode pensar como literário, se não conhece outras obras, que escapam da nossa concepção de prazer literal. Por isso, não escolho gêneros, devoro o que desperta minha curiosidade e como pelas beiradas, o que não é do bom grado, mas alimenta o meu saber. 

25. Tem algum país que você acha que o Brasil deveria tomar como exemplo, para talvez melhorar as coisas por aqui? 

Existem tantos países melhores e a frente que o Brasil! Seria muito fácil listar com quantos ele deveria se espelhar, mas o nosso país, tem cultura e riqueza para se destacar perante a qualquer outro. Então, acho que não precisamos de exemplos, precisamos é criar a nossa própria identidade, desta vez, com uma imagem além do período colonial e com a decência de uma nação respeitada. 

26. Há um tempo houve uma boa polêmica em relação a vinda de médicos estrangeiros para trabalhar no SUS, o que pensa a respeito dessa atitude tomada pelo governo? 

No meu ver, isso foi uma maneira de tapar o buraco, aberto e mantido pela própria incompetência administrativa dos nossos governantes. Trazer médicos de um país ditador, sobre condições de trabalho que os médicos brasileiros questionam o tempo todo, isso é muito fácil, difícil, é supri-los de equipamentos e condições para que eles possam fazer seu papel com dignidade e respeito, ou o povo não sabe o que um médico do SUS passa diariamente? Cabe ao médico decidir quem vive e quem morre, porque o hospital público não tem o equipamento que necessitam? Enfim... eles (O Governo) falam de muito de amor, mas só vivem na putaria! 

27. Você acredita que exista literatura ruim? Ou livros, e literatura por si só já são válidos? 

Em um termo “Socrático”, afirmo que a literatura assim como a arte por si só é imoral! Por isso, acredito que sempre há e haverá livros maus escritos, que eu desaprove em minha concepção, mas que, por ventura, agrade a um outrem. 

28. Reality shows, o que você pensa sobre eles? 

Uma merda que eu me recuso até justificar. 


29. Os auxílios oferecidos pelo governo, como bolsa escola, bolsa blábláblá, etc, você acha são algo bom? Ajudam mesmo as pessoas? Ou é apenas uma farsa? 

Até acharia bom, se eu fosse beneficiado por alguma delas, afinal, quem é que não gosta de receber uma “pontinha extra” todo mês, sem mau dizer dos esforços cotidiano? Visto que não, trato com seriedade esse lance de dar dinheiro ao povo como desculpa de auxílio, ao desemprego que assola o país. Isso só potencializa o comodismo, a falta de educação e as reeleições da vida. 

30. Você acha que as privatizações de grandes empresas públicas no Brasil será algo inevitável? 

Bom, o Brasil já havia privatizado a poderosa Vale do Rio Doce, alguns bancos, privatizou aproximadamente 6 mil quilômetros de suas estradas e isso pretende crescer, privatizou uma boa parte, se não toda, a sua geradora de energia, privatizou as siderúrgicas, as petroquímicas, as indústrias de polipropilenos e polietilenos, algumas petrolíferas e se vacilar, a maior de todas já não pertença ao país, mas sim, a um grupo de políticos, como reza o próprio conselho. Inevitável, é deixar de entender que isso é simplesmente uma forma de fugir dos problemas, entregando-os a multimilionárias por mixarias, ao mesmo tempo que permite que elas inflacionem o comercio do país, desequilibrando cada vez mais as classes sociais, onde o rico fica cada vez mais rico e o pobre, bom, esse mais fodido do que nunca. 

31. Você acredita em destino? 

Eu acredito que vou fazendo o possível e o impossível, dia após dia, até que ele se resolva se mostrar para mim. Até lá, vou acreditando em minhas mãos! 

32. De quem é a culpa pela situação atual da educação no país? 

Delegar culpados agora não vai mudar nada. Na verdade, se analisarmos, todos nós somos culpados, a partir do momento que deixamos de estudar, para reclamar da falta de oportunidade. O conhecimento depende de nossa vontade. Claro que uma escola com professores diferenciados é bem melhor, mas o que eu quero dizer é que não podemos esperar que façam algo por nós. Nós temos que lutar pelos nossos objetivos, temos que nos diferenciar num mundo de mesmices como o de hoje, pois pessoas esforçadas é que são capazes de mudar a realidade que estamos vivendo, principalmente tratando-se da educação. Lembro-me de uma reportagem que li sobre o Vietnã e nela, deixava explícita a dificuldade que as pessoas enfrentavam para estudar. Muitas delas, arriscavam a própria vida, para ter o conhecimento e a sabedoria e de forma emocionante, concluíam seus objetivos e conseguiam se graduar, diante da mais terrível miséria pós guerra. Há alguns lugares aqui no Brasil que não são muito diferentes do Vietnã não. Mas se querem um Judas, aí o meu: Politicagem, é a bola da vez! 

33. Você acha que as pessoas tendem a fugir de polêmica, ou assuntos que gerem discussões, como política e religião? 

As pessoas tendem a fugir do que os incomodam e tanto política, quanto religião, é um arrepio na espinha de quem se ofende fácil. Eu vejo tanta gente falando de suas religiões, mas não se deram o trabalho de estuda-las afinco, antes de saírem por aí falando bobagens. A mesma coisa é com a política, que quando faltam argumentos, sobram ofensas. Dizem que política e religião não se discutem, mas pra mim, isso é jargão de quem não entende de porra nenhuma. 

34. Você acha que com esses convocados do Felipão o Brasil ganha a copa? 

Sinceramente? Admiro Felipão, sou fã desse gremista e até hoje comemoro os tempos de glória que ele comandou o meu Grêmio, mas, eu quero que a seleção brasileira se foda! Desde que a corrupção atingiu o futebol no Brasil, sinto-me enojado com a CBF e suas peripécias nada ortodoxas. Um bando de ladrões sob um emblema em verde e amarelo. 

35. Se o Brasil ganhar a copa você acha que as manifestações vão "parar"? 

O Brasil não vai ganhar a copa, as manifestações não vão parar e eu continuarei torcendo pra Argentina... pra ver no que vai dar! 

36. Que mensagem gostaria de deixar aos leitores do blog? 

Ler, escrever... considero isso um talento existente dentro de nós. É verdade que há, aqueles que melhor se expressam e outros que melhor absorvem cada expressão, mas a verdade, é que tudo depende do ponto de vista de cada um. O que eu quero dizer, é que o prazer da vida, estão nas coisas simples do dia a dia, que trazemos para luz ao invés de deixarmos na sombra. Assim é a literatura! Todos os autores um dia, sofreram para estar onde estiveram e estão. Nenhuma de suas obras, fogem do que eles viveram ou presenciaram, por mais fictícia que seja a história, nós sempre nos vemos em um personagem e isso que é a maravilha da arte, nos representar ou apenas, nos refletir, onde entendemos estar perdidos, até porque, reflexão, mesmo quando não há razão, não nos deixa crer em vão. Então, escolham, mas não se apressem, errem, mas não recuem, persistam, mas não sejam tolos de lutar por algo perdido e acima de tudo, sejam sempre absurdos por aquilo que buscam e grandes, por aquilo que vão encontrar!

Neialbert, obrigada pelas belas palavras e respostas! Se você leitor(a) aqui do blog tiver mais alguma curiosidade ou queira saber a opinião do Nei e dos demais membros da equipe sobre algum assunto, ou alguma perguntinha que sempre teve curiosidade hihihi, pode nos fazer! Em breve vamos respondê-las todas aqui no blog, só que em vídeo ;) Pode mandar seu questionamento no formulário abaixo. Beijão galera!




Leia também

13 comentários

  1. Olá
    Adorei a entrevista. Gostei muito das opiniões do Neialbert. Adorei a frase "Meus sonhos se resumem em poder ter mais vida em meus dias , do que dias em minha vida”.

    ResponderExcluir
  2. Bom conhecer mais um colaborador do blog.
    É através do trabalho de cada um de vocês,que aumenta ainda mais o prazer pela leitura de todos nós.

    ResponderExcluir
  3. Acho legal essa série com entrevistas de colaboradores do blog...assim os leitores podem conhecer um pouquinho de quem faz o blog

    Dani Viani

    ResponderExcluir
  4. Hey.
    Sobre "de estudar as pessoas e suas personalidades pela maneira de agir, visto seus gestos." eu também faço isso haha
    Adorei a entrevista ;)

    ResponderExcluir
  5. Oi Daiane

    Adorei, adorei e adorei a entrevista rsrsrs, nossa o Neialbert se expressa muito bem, e não tem medo de dizer oque pensa, gostei muito da intervista.
    Mas admito que fiquei ater comedo de fazer alguma pergunta boba rsrsrs, mas eu vou me esforça ao máximo para fazer peguntas legais (vou tentar, não esperem nada pois minha cabeça só vive no mundo da lua hahaha).

    Bjs!!

    ResponderExcluir
  6. Gostei da entrevisa como ele se vê que fiquei meia confusa rsrrs.Ser honesto demais tbm acho que pode ser ruim ou bom.Depende pra quem a hosnetidade é levada e com que olhos será vista ;)

    ResponderExcluir
  7. Oi Daiane,
    Adorei conhecer seu parceiro de blog,gostei muito de como ele começo a entrevista e gosto pelas música "antiga" elas são as melhores.Me identifiquei como ele vê o medo me sinto da mesma forma, os lugares onde ele quer conhecer são os lugares que com toda certeza devem ser lindos quem sabe em futuro um pouco distante pra mim quero conhecer Italia e a Alemanha mas por em quanto só fico sonhando kkk.

    Beijinhos, amei conhecer mais um pouco de quem esta por trás desta maravilhas!!!

    ResponderExcluir
  8. adorei a entrevista!! não lembro se li a outra já... vou dar uma conferida no link :D
    achei incrível a forma como ele definiu os sonhos dele. vou adotar isso para minha vida também! hahaha

    ResponderExcluir
  9. dessa forma a gente acaba conhecendo mais de vocês, gente que acompanhamos e curtimos!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Adorei a entrevista, bem interessante.
    Achei interessante demais, também, a forma como ele expôs a crença em Deus.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho

    ResponderExcluir
  11. Entrevista longa em, más gostei bastante, ele tem um jeito com as palavras que me prendeu a entrevista, e sim eu li tudinho, e amei essa frase aqui o "Meus sonhos se resumem em poder ter mais vida em meus dias , do que dias em minha vida”.

    ResponderExcluir
  12. Gostei de conhecer mais o Neialbert, mostrou suas opiniões sem medo.
    Bjs, rose.

    ResponderExcluir
  13. Neialbert sua resposta para a questão 2 foi a minha cara! acho que aqui consegui me identificar demais com a sua pessoa! Adorei a ideia de colocar essas entrevistas e mais: por nos permitir fazer perguntas, assim ficamos mais e mais próximos!!!

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011