Resenha: Tempo de mudanças

by - sábado, junho 07, 2014

Autor(a): Lisa Jewell
Ano: 2014
Editora: Novo Conceito 

Em um hospital em Bury St Edmunds, Daniel Blanchard está morrendo. A amiga Maggie May é sua companheira nesta jornada até o fim: senta-se ao seu lado todos os dias, segurando-lhe a mão e ouvindo histórias de sua vida, seus arrependimentos e seus segredos: os filhos que nunca conheceu e que, provavelmente, nunca conhecerá. Lydia, Dean e Robyn não conhecem o pai e também não se conhecem. Ainda... Todos eles estão passando por uma fase de mudanças e de dificuldades: Lydia carrega as cicatrizes de uma infância traumática e, embora seja rica e bem-sucedida, sua vida é solitária e confusa. Dean é um jovem sobrecarregado por uma responsabilidade imprevista, cuja vida está indo para lugar nenhum. E Robyn começou a faculdade de medicina, mas sente que alguma coisa não está certa. Três jovens com histórias muito diferentes, mas que se sentem igualmente perdidos e à procura de alguma coisa, como se faltasse um elo para dar sentido às suas vidas. E então, quando eles percebem que seus caminhos estão se cruzando, tudo começa a mudar...

Resenha por Ana Carolina


Quando vi esse livro entre os lançamentos, soube que ele era pra mim. Não sei o porquê, talvez tenha sido meu sexto sentido como leitora, mas olhei a capa, vi a sinopse e sabia que tinha que tê-lo. Quando aceitei ser resenhista da Dai e pude ler esse livro, eu soube que era o destino.

O livro se passa em Londres e nos narra a vida de inúmeras pessoas sob seus próprios pontos de vistas. Temos Lydia, uma mulher de 29 sem família, rica e de certa maneira vazia que “ se apaixona” pelo seu personal trainner. Temos a vida de Dean, um cara novo, sem emprego, viciado e vivendo com uma namorada grávida. Temos Robyn que tem uma vida bem mais perfeita que todos os demais. E Daniel que está morrendo de câncer num hospital e que só tem sua amiga, Maggie.

No começo, pensei que ficaria confusa com tantos personagens interagindo e tendo suas próprias narrativas me deixariam a beira da loucura, mas desde o começo a narrativa é tão gostosa que eu me vi na vida de cada um dos nossos personagens. Além disso, embora na sinopse tenhamos uma ideia do que os liga, fiquei ansiosa por mais detalhes e informações. Eu queria me aprofundar.

“A morte não só nos acerta com um cajado como vai embora e nos deixa pra morrer.A morte brinca primeiro.”


Se tivesse que escolher um personagem pelo qual me apaixonei foi Dean. Ele é tão perdido, tão sem rumo, mas de tão bom coração e honesto. É  aquele típico ser sem oportunidades ou que não aproveitou as que apareceram. Mas ainda assim, ele evoluiu na trama, coisa que não senti tanto com Robyn. Achei ela do começo ao fim, uma personagem muito boba e imatura.

Lydia e Maggie foram os focos da autora, definitivamente, e isso é bem óbvio. Lydia os une e Maggie nos introduz na vida de Daniel Blanchard. Maggie tem aquela doçura e experiência latente, um coração repleto de amor platônico e amizade verdadeira. Lydia tem apenas um coração ferido, um passado dos piores e sem um rumo a seguir.

A trama é repleta de nuances que só se percebe quando lê, e eu não seria capaz de trazer com a perfeição que eles aparecem na leitura. O livro como outro que li da Novo Conceito, “De Coração para Coração” trouxe uma discussão interessante sobre um assunto polemico: inseminação artificial. O bom do livro é que ele não tem caráter cientifico, mas sim um caráter humano que nos fez sentir e pensar como pensam as pessoas que são geradas através da inseminação.

“Mas, ao olhar as fotografias, de repente ocorreu a Lydia que sua mãe a tinha amado muito mais do que jamais o amara. Afinal, tinha se preparado para arriscar absolutamente tudo por ela.”

A narrativa da autora é muito gostosa, e embora o livro não dê pra devorar –são muitos aspectos a refletir –o livro valeu muito a pena porque nos toca e emociona. A Novo Conceito foi feliz em sua capa simples, mas com o P&B que eu amo e o destaque em vermelho. As páginas são amarelas e gostosas de tocar, e a fonte é bem grandinha o que é ótimo para leituras noturnas.

Esse livro não agradará a todos por ser uma leitura madura, reflexiva e um livro que seja mais sério, mas este livro é recomendado. O livro fará você pensar sobre sua família, passado, amigos e o que realmente importa na vida. Embarque nessa trama que a Lisa Jewell criou e viva um tempo de mudanças.

Leia também

13 comentários

  1. tipo esse livro não me chama atenção e muito menos a capa, mas quem sabe eu der uma conferida.

    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  2. Gosto de tramas assim. Em que vários personagens se cruzam em algum momento da história.
    Gostei de sua resenha,que me deixou com mais vontade de ler.

    ResponderExcluir
  3. Gostei da resenha e da sinopse mas acho que não leria esse livro.

    ResponderExcluir
  4. Oi :)

    Esse tipo de livro tem me conquistado ultimamente e graças a sua resenha estou louco para ler Tempo de Mudanças. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. realmente p tema do livro é encantador, confesso que me encantou! a relação de amizade entre Lidya e Daniel e sem falar que a autora inova ao trazer um tabu para ser debatido.
    entendo suas ressalvas, com um tema tão inovador precisa ter ênfase na emoção tanto na escrita quanto na leitura!!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Não sabia que um dos temas tratados neste livro era Inseminação artificial! Fiquei bem curiosa em realizar a leitura após ter essa informação e claro, por sua resenha maravilhosa, que já me deixou com gostinho de quero mais, sem ao menos ter pego o livro.
    Sugestão anotada, uma de minhas próximas leituras!

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  7. normalmente estes livros com vários personagens me deixam perdida, então não sei se vou gostar dele :S
    a capa é realmente linda, e pela sua resenha a trama parece ser ótima, mas acho que não vai me agradar muito não =/

    ResponderExcluir
  8. Olá Ana Carolina, tudo bem?
    Desde que esse livro foi lançado eu fiquei curiosa sobre sua história, adoro livros com histórias mais maduras, tem horas que necessito ler algo assim, sair um pouco da fantasia, ler histórias que podem acontecer na vida de qualquer pessoa, li também De coração para coração e amei a história, é incrível quando o autor consegue abordar temas polêmicos nos livros, mas sem se tornar algo pesado...com certeza irei ler esse livro. Gostei muito da sua resenha.

    Beijos!!!
    @jannagranado
    http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Já ouvi muitas reclamações desse livro, e isso me desinteressou da obra.
    mas a sua resenha me deu uma vontade de lê-lo... rs.
    Adorei! :D
    Beijos,
    Ana M.
    http://www.vicioemlivros.com/

    ResponderExcluir
  10. Ana, querida, que belas observações da leitura você fez!
    Li o livro e tb resenhei, compreendo exatamente o que você quer dizer com "embora o livro não dê pra devorar –são muitos aspectos a refletir –o livro valeu muito a pena porque nos toca e emociona." É assim mesmo, para apreciadores de um bom drama, que se desenvolve lentamente e faz o leitor pensar na situação e se colocar no lugar dos personagens.
    Gostei do Dean também, mas amei a melancolia e a introspecção da Lydia... que coisa a vida dela, não é? Achei a Robyn chatinha, superficial.
    Gostei da escrita da autora, é bem o meu estilo de livro.
    Beijo!

    Minha nova resenha, adorarei saber sua opinião: Ler para divertir

    ResponderExcluir
  11. Olá, Ana
    Gostei muito da sua resenha. Esse livro parece ser bem intetessante. Vários personagens se interligando em torno de um tema, a inseminação artificial. Gostaria de ler.

    ResponderExcluir
  12. Ana, você atiçou em mim o desejo que já estava morrendo de ler esse livro. Quando o vi achei a capa e a sinopse lindas, tudo em uma sintonia perfeita, mas ao ler sua resenha essa vontade que eu deixei esfriar pelo tempo que passou foi reacendida demais e de maneira muito intensa. Quando li o quote: “A morte não só nos acerta com um cajado como vai embora e nos deixa pra morrer. A morte brinca primeiro." foi o que faltava em mim para desejar ler com mais ardor. Você pôs nessa resenha tanto carinho e amor que jamais alguém me despertou num livro!

    ResponderExcluir
  13. Eu tenho este livro, mas não tive tempo de ler ainda. Já li outras resenhas dele e notei a mesma coisa que você salientou no final, uma leitura mais madura.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011