Resenha: Eu te quero

by - quinta-feira, julho 10, 2014

Autora: Irene Cao
Páginas: 166
Ano: 2014
Editora: Suma de Letras
Atenção! Livro com conteúdo adulto (+18). Se você ainda não leu os livros Eu te vejo e Eu te sinto, recomendo que não leia esta resenha, pois pode conter spoiler desses livros. Contudo, não há spoiler de Eu te quero.

Elena perdeu tudo. Os dois homens mais importantes de sua vida. A alegria do trabalho bem-feito. O carinho e a segurança com Filippo e a paixão e o sexo arrebatador vividos com Leonardo. Seus dias são uma descida ao inferno. Nada parece ter sentido, nem mesmo o mundo da arte ao qual se dedicava tanto. Toda noite vai a boates, bebe demais e acaba saindo com um homem diferente, mas nunca encontra o prazer que sentia com Leonardo – seu corpo não reage e o desespero a domina.
Em Eu Te Quero, a vida de Elena mudará de forma inesperada. Em uma manhã, o destino fará com que acorde ao lado de Leonardo sem entender o que está acontecendo. Entre o sonho e a realidade, ela terá de decidir mais uma vez que caminho seguir e se um futuro junto a seu amado ainda é possível. O que significa o convite tão especial do homem que não conseguiu esquecer? Ela decide se arriscar em um tudo ou nada. Mas o passado é um demônio que Leonardo não conseguiu vencer... e o último perigo pode ser fatal.
No volume final da trilogia italiana, continuação de Eu Te Vejo e Eu Te Sinto, Leonardo e Elena precisam vencer as lembranças do passado para viver um grande amor.

 Eu te quero é o tão esperado último volume da trilogia erótica Eu te vejo da autora Irene Cao. Depois de um final que nos deixou sem palavras no segundo livro, agora sabemos como ficou a situação de Elena e como lidou com o que lhe acontecera, e também da de Leo, se ele se entregou a esse amor e se livrou do seu passado ou não. Devo confessar que mais uma vez fiquei dividida, esse livro conseguiu me agradar e também desagradar em diversos momentos, deixe-me explicar o porquê.

Não reconheci a protagonista no início desse livro, essa não era a mesma Elena que eu já vinha acompanhando. Compreendo que ela perdeu os ‘amores’ de sua vida, que a descoberta que teve a tirou do chão, mas mesmo assim acredito que não era motivo para ela tomar muitas atitudes das quais tomou, algumas das quais me soaram até mesmo como infantis. Eu queria que ela se reerguesse e mostrasse que a vida não tinha acabado e lutasse por si mesma, mas a impressão que ficou era que sua felicidade estava totalmente dependente do amor de Leonardo. Assim foram mais de 70 páginas aguentando o drama da personagem, suas burradas, estava se tornando até entediante ler tudo aquilo e a ver agir passivamente perante sua dor e não tentando fazer nada para muda-la. A meu ver a autora se perdeu um pouco com Elena.

E tudo isso se deve ao que aconteceu no final do segundo livro, quando li fiquei chocada, acredito que nenhum leitor esperava aquilo. E ao começar o terceiro vejo que não foi legal essa decisão da autora, Leo para mim já não era mais um personagem tão atraente, se tornou apenas um homem comum. Porém ele ao menos soube reconhecer o que sentia, e acho que está mais maduro nesse livro, nos permitindo conhece-lo melhor. Já Gaia foi outra personagem que enfim conseguiu mais minha simpatia, gostei mais da moça nesse livro e a senti mais como a amiga de Elena nesse começo.

"Eu o vejo, eu o sinto. Eu o quero com toda a força"

Passado as 80 páginas do drama de Elena, e quando enfim os personagens centrais começam a rever seus verdadeiros sentimentos, senti que o livro deu uma melhorada. Amei as referências à culinária, a cultura, a arte, entraram cenas lindíssimas no melhor estilo Cao, tanto que elas me chamavam mais atenção que o romance dos personagens. As imagens que se formam em nossa mente através da exploração que a autora faz do espaço narrativo é digno de se sentir teletransportado para esse cantinho de paraíso na Itália.

Gostei da forma que se deu a libertação de Elena, naquele momento senti a volta da personagem a si, achei justo pelo menos isso. As cenas de sexo continuam sensuais, leves, com aquele bom toque romântico. Porém em Eu te quero percebi que o drama se sobrepôs ao erotismo, até há algumas cenas de sexo, mas elas são mais exploradas ao final. O desfecho foi como todos esperavam, sem novidades, mas que deixa aquele sabor de satisfação.

Essa é uma das trilogias eróticas mais leves que já li. Ao terminar Eu te quero vejo que foi uma história de amor que valeu a pena acompanhar a cada livro. Embora seja regado a clichês, a escrita de Cao é doce, e ao inserir arte, cultura, gastronomia, e a belíssima Itália, ela dá um tom mais calmo, suave e inebriante as suas histórias. Com altos e baixos, ainda sim gostei do destino dados aos personagens, adorei conhecer a trilogia, e no geral ela foi positiva, pois por mais que haja tantos clichês não há como negar o grande talento da autora e a delícia que foi acompanhar a aventura de Elena e Leo.

Leia também

4 comentários

  1. Oi Daiane, eu dois volumes desta trilogia, mas ainda não li. Bom saber que é desta forma que o livro e desenvolve. Prefiro os eróticos mais leves mesmo.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  2. Dai é interessante ver como a trama evolui, não sei se vou gostar da Elena, mas fiquei atraida pela trama, os eróticos mais leve andam ganhando espaço em minhas leituras
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li nenhum livro dessa trilogia mas já está na fila de leitura, amo literatura erótica!

    ResponderExcluir
  4. Eu não cheguei a ler nenhum doa livros desta trilogia ainda, mas tenho o primeiro aqui, mas não sei se vou continuar a comprar os outros..depois que comprei o primeiro eu meio que perdi a vontade de ler esta serie, e olha que amo um livro mais erotico rs, mas uma amiga me falou do livro e acabei desencantando dele rsrs.
    Mas fico feliz em saber que a autora terminou o livro de uma forma satisfatoria. Mas é uma pena ter tido uma parte chatinha..mas isso é normal rs, não sei se vou chegar a ler, mas quem sabe, beijos.

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011