Levante-se, mas lembre-se da queda

by - segunda-feira, agosto 18, 2014


Não vou perguntar o que você tem. Mesmo te vendo encolhido em um canto abraçando seu próprio corpo, e sentindo sua alma tão escurecida, não me atreverei a te questionar. Deixe-me te olhar, por que tremes criança?  Não encostarei em você, não quero te tocar.

Deixe-me olhar em seus olhos, quanta dor estão espelhados neles nesse momento. Conte-me, onde dói? Ah o coração, não, não posso te ajudar. É às vezes ele dói mesmo. Não, ele não está quebrado. Veja, ele ainda está pulsando, vivo, batendo, bombeando vida para o seu corpo, mas sua mente o está mandando doer nesse momento, e se há dor significa que há algo errado.

Conte-me, o que te aflinge? O que está errado? Revire-se, derrame-se em suas memórias, vasculhe cada canto escuro de sua alma, conheça de pertinho a sensação do medo que te percorre. Seus lábios estão se movendo, mas eu não ouço o que você diz, as lágrimas estão se misturando aos seus pequenos gemidos.

Não, não as enxugue, deixe que elas desçam e sequem em seu rosto. Elas são como suas cicatrizes, te lembrarão das batalhas que travou um dia e sobreviveu. Mantenha a cabeça em pé, queixo erguido, peito aberto. Vem, levanta. Você consegue. Não, não te darei a mão. Encontre seu próprio equilíbrio.

Vem, você está indo bem, isso, um passo de cada vez. Levante o rosto, não tenha vergonha de mostrar ao mundo seus olhos, deixe que eles vejam e sintam a intensidade que há neles, o mistério obscuro de uma alma que já sofreu e aprendeu a se levantar.

Sabe, uma vez eu cai também, e depois me levantei. Afinal é sempre assim, não é mesmo? Vivemos construindo aquilo que achamos ser o certo para nós, até que em um momento  todas as nossas construções caem, mostrando todos aqueles falsos alicerces se desfazendo. Então temos que aprender a reconstruir tudo... Não é fácil, eu sei, mas você consegue.

Escute, acredite nas obras de suas mãos, mas não se esqueça da fé que pulsa em sua alma. Deixe a razão falar, mas não aprisione suas emoções dentro de concretos frios novamente, pois quando perceber estará fechado dentro de si mesmo encarando paredes frias e solitárias, perguntando-se do porquê de não ter construído janelas para as fugas do seu coração.

Ouça e também não me ouça, seja rebelde até com você mesmo. Vai viver, e se um dia cair novamente, tire do próprio chão o apoio para se levantar. Pior do que estar no chão é viver em uma vida suspensa no ar, sem nunca saber ao certo se cairá ou não, sem nunca ter a certeza se realmente está vivendo ou somando dias em sua vida. E sabe, de verdade, o chão é o melhor lugar, pois te permite pela primeira vez olhar as coisas debaixo pra cima, tudo muda de forma, e pode contemplar a grandeza do céu.

Estão batendo na porta, está ouvindo? Vai abrir, é a vida vindo exigir que você vá bater o ponto e se apresentar para sua missão, faça uma mala rápido! Encha de sonhos, desejos, amor e tudo que há dentro de você, e parta! E esqueça que um dia estive aqui, afinal, fui só uma voz na sua mente, um flash de ilusão, e nesse momento estou esvaecendo. Mas não se esqueça, foi você quem se levantou.

Leia também

3 comentários

  1. Ai Dai, se eu te contar as inúmeras vezes que eu chorei lendo os seus textos você não vai acreditar. Suas palavras sempre tocam o fundo da minha alma.
    Fiquei sem palavras, mas só gostaria de te parabenizar e dizer que te admiro muito! <3

    ResponderExcluir
  2. poxa que texto tocante Daiane, senti muita falta deles!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Daiane Parabéns.Que reflexão profunda,as vezes estamos tão para baixo que um texto desse nós faz refletir como somo indignos. Suas.Suas palavras me tocaram muito.

    http://www.vicioemlivros.com/2014/08/sorteio-livro-eterna-instagram.html

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011