Resenha: Os Três

by - sábado, outubro 04, 2014

Autora: Sarah Lotz
Páginas: 400
Ano: 2014
Editora: Arqueiro

Quinta-Feira Negra. O dia que nunca será esquecido. O dia em que quatro aviões caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes do mundo. Há apenas quatro sobreviventes. Três são crianças. Elas emergem dos destroços aparentemente ilesas, mas sofreram uma transformação. A quarta pessoa é Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular: Eles estão aqui. O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas... Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele... Essa mensagem irá mudar completamente o mundo.

Vou confessar para vocês a verdade, eu estava com medo de ler esse livro. A sinopse, cá entre nós, é sinistra, mas ao mesmo tempo dá uma vontade de ler gigantesca. Então, disposta a vencer meu medo encarei a leitura de “Os três”. Bem para começar, até que durante a leitura nem tive tanto medo assim, porém ainda assim ele apresenta trechos fortes.

O que chama a atenção na obra é sua estrutura diferenciada, já que a personagem Elspeth está fazendo uma investigação sobre o caso e nos apresenta de diversos relatos, e assim nos vemos perante um quebra-cabeça sinistro e ao mesmo tempo envolvente.

Gostei da forma de narrar de Lotz, que me prendeu durante um bom tempo, contudo depois de vários capítulos, mais da metade para o final, fui me sentindo um pouco cansada das ambiguidades apresentadas. Percebe-se que sua intenção foi justamente deixar o leitor confuso, a ponto de questionar o que estaria certo ou não, e também incitar a curiosidade para o desfecho, que a meu ver nem foi tão interessante assim.

Fato é que em livros de suspenses o desfecho sempre é algo importante, é o ponto chave em que o livro te ganha de vez ou não, e ao meu ver ela pecou nesse aspecto em sua obra. Poderia ter sido melhor, pois o livro é bom e tinha potencial para fechar com chave de ouro. A autora quis fazer com que o leitor refletisse sobre a sociedade atual, questão de fanatismo religioso, etc, achei bacana essa abordagem, pois realmente nos leva a pensar sobre, e isto é um ponto positivo.

Os três vale a pena ser lido, não me assustei tanto não, pensei que teria um terror mais forte, que me faria tremer na base, mas o que encontrei ali já estou acostumada a encontrar em outros livros. Há falhas, o final poderia ser melhor, em alguns livros essa questão de “finais em aberto” são permitidos e combinam com a trama, mas não é o caso desse. O leitor já vem com a adrenalina, a ansiedade de saber o que acontecerá, mas ai fica frustrado com o que encontra nas páginas finais, e isso não é legal em suspenses, desculpem o termo, é broxante. Contudo, ainda assim foi uma leitura que até que foi boa. 

Leia também

2 comentários

  1. Tinha vista uma garota na minha escola lendo esse livro, ele é tão bonito esteticamente, a capa e as folhas pretas me conquistaram, só que eu não tinha procurado a sinopse ainda... Pela capa eu achava que tinha a ver com algum tipo de fantasia, porque meio que parece marcas de garras na capa kk

    Melhores Livros

    ResponderExcluir
  2. Oi Daiane, tive o mesmo sentimento que você. Apesar de gostar do livro, achei que a autora realmente pecou no final. Ficou muito aberto e sem objetivo. Também não me vi apavorada, mas apreensiva com o que poderia acontecer.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011