[Divagações] A garota que eu conheço

by - quarta-feira, novembro 05, 2014



Conheço uma garota que não acredita em príncipes encantados e já se apaixonou por alguns vilões. Ela não troca seu all star velho por nenhum sapato de cristal.

Seu cabelo já teve todas as cores, e em sua pele há desenhos que expressam aquilo que já não lhe cabia mais na alma, retratos de uma personalidade que não se apega ao pessimismo sobre o tempo.

Ela tem olhos inocentes, mas ao vê-los mais de perto perceberá traços de uma mulher forte. Tem um jeito de menina brincalhona, mesmo já tendo passado da adolescência há um tempo.

Essa garota não ostenta sapatos e roupas da moda, mas tem orgulho das pilhas de livros espalhadas pelo seu quarto e dos CDs guardados com carinho perto daquele cantinho da parede onde tem um pôster do Nirvana, ou qualquer outra banda igualmente apaixonante.

Ela consegue ficar sexy dentro uma camiseta larga, com seus óculos de grau e o cabelo em um coque tanto quanto qualquer outra mulher em um corset, simplesmente porque sua alma encanta. 

Por onde passa atrai alguns olhares, mas ela nem percebe, está perdida demais nas músicas que saem dos seus fones.

Essa menina tem sorrisos sinceros, e quando sorri o mundo se ilumina mais um pouco. Ela não procura o amor, porque já o encontrou dentro de si mesma.

Ela gosta de viajar e já se perdeu algumas vezes. Preenche sua vida com cores que ela mesmo como um prisma reflete ao mundo ao seu redor.

Ela tem um guarda-chuva de bolinhas, usa esmalte preto, e às vezes sem querer fala alguns palavrões. Não troca seu milk-shake do Bob's por nenhum suco Detox.

Uma mente insaciável, uma alma inquieta e cheia de sonhos. Ela acredita num mundo melhor, não tem paciência para parecer uma lady, mas essa garota é a garota mais mulher que eu conheço. Ela deixa sua essência falar por si mesma, e não se esconde sob uma máscara de ilusões.

Essa garota tem personalidade, se ama do jeito que é. E ela pode ser você, eu, todas aquelas que se deixam ser quem são, sem medos ou reservas, livrando-se de qualquer esteriótipo que jogam sobre nossos ombros. Sejamos livres para nos amar, deixemo-nos apenas ser quem somos, assim como essa garota.

Leia também

2 comentários

  1. Oi Daiane! Tudo bom?
    Simplesmente sou apaixonada por crônicas e amei a sua!
    Parabéns, está muito boa a escrita e o tema abortado é ótimo, temos que nos libertar dos rótulos!!!

    Parabéns!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. nossa Dai que texto legal!
    nós muitas vezes somos essas contradições, esses diferenciais que nos constituem enquanto pessoas.
    liberdade à felicidade!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011