[Divagações] O dia que nos esquecemos de sermos humanos

by - terça-feira, novembro 25, 2014


Quando foi que deixamos de ser humanos para sermos vistos como máquinas? Pessoas sem sentimento, sem dor, com sorrisos constantes, que vestem diariamente máscaras para sair as ruas, porque simplesmente mostrar quem realmente é virou sinônimo de fraqueza.

Quando foi que o número de amigos do facebook passou a apontar o quão querida uma pessoa é ou não, e o número de curtidas em uma selfie ser o alimento para a auto-estima, como se cada uma fosse um ponto a mais para o ego? Quando foi que passamos a precisar da afirmação alheia para conhecer nosso valor?

Gostaria de saber quando foi decidido que agora temos que debater, sabendo desde política a reprodução dos pinguins, para poder mostrar ao mundo que somos inteligentes e cultos? E se eu não quiser opinar? Aliás, acredito que a palavra opinião neste caso esteja fora de contexto. O que há é uma batalha para mostrar quem sabe mais. Opinião é partilhar ideias, respeitar as contrárias a sua, ver, ouvir, e não impor aquilo que tens como sua verdade. Desde quando dizer “não sei” significa ignorância? Posso não saber, e muito menos querer saber, é uma escolha minha.

Vivemos atrás de uma tela enquanto o mundo passa ao nosso redor. Todos são felizes, são lindos, vão a festas, tem relacionamentos perfeitos, são ativistas políticos, comem as melhores comidas, são cultos, etc e etc, posso ficar horas aqui enumerando as tantas perfeições que saltam a nossa frente a todo o momento quando entramos nesse mundo online.

Eu quero muito saber quando a beleza de uma macarronada de domingo nas fotos passou a ser mais fundamental que seu sabor, quando namorados passaram a ser mostrados como troféus. In(felizmente) na vida não se pode aplicar filtros, não há tempo para procurar o enquadramento da luz perfeita para mostrar seu “melhor lado”.

A ausência de alguma rede social significa “você sumiu”, não, não sumi, estou apenas vivendo, literalmente. Porque a vida meus caros, não é essa que montamos para os outros verem, mas sim aquela que bate a porta diariamente, e está nos sorrisos espontâneos e não nos forçados, nas lágrimas que rolam, porque não é errado sentir dor, vergonha, medo, ao contrário, isso é totalmente humano.

A vida está naqueles momentos em que você perde com seu amigo em uma mesa de bar ao ficar de 30 em 30 segundos verificando suas notificações no celular, nas fotos que você insiste em tirar em vez de aproveitar aquele momento, que acredite, não volta. Tenta-se passar a imagem que se está vivendo aquilo, mas não, você não está sentindo totalmente aquela energia, pois o retrato que realmente fica é aquele deixa uma marca na alma, e não num aplicativo qualquer.

Estamos nos esquecendo de sermos realmente humanos, reféns de nossas próprias criações, com vidas mascaradas e mentiras veladas. Estamos tentando aplicar a perfeição do mundo online no mundo real, e depois ouvem-se reclamações sobre a solidão. As areias do viver está em sua mãos, mas vazando pelo vão de seus dedos, o tempo corre, e a ampulheta da vida não virará para você recomeçar tudo de novo, então aproveite aquilo que lhe resta. E lembre-se: não é errado ser humano.

Leia também

5 comentários

  1. Emocionei com essas palavras.
    É a mais pura verdade, damos valor as coisas erradas.

    ResponderExcluir
  2. Uau, que texto mais incrível! É algo que eu tinha percebido, mas não sabia que era tão gritante. Hoje em dia tudo tem que ser fotografado, mostrado, mas afinal... O valor dessas fotos é de recordação ou pra deixar seu Instagram mais bonito? Faço essa pergunta também para mim. É uma constante exigência pra que nossa vida pareça perfeita, pra que nós estejamos sempre "em movimento", que saibamos tudo1 Hoje em dia todo mundo sabe de tudo. É chocante.

    Amei seu texto e com certeza vou compartilhar.

    Clara
    @clarabsantos
    clarabeatrizsantos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. seu texto foi o mais verdadeiro possível, parece que perdemos nosso valor diante da tecnologia, nós mesmos acabamos valorizando-a mais que a companhia dos semelhantes
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Linda primeiramente tenho que confessar que eu adorei o seu texto, principalmente pela profundidade que você falou sobre os fatos abordados, porque uma coisa que você disse é verdade...Tem muita gente que passa sua vida em um mundo virtual e esquece de viver a vida fora e aproveitar o que tem de melhor no mundo. Acho que todos deveriam pensar sobre isso, até porque a vida passa né? E passa com uma velocidade que nem percebemos. Esses dias mesmos eu até falei como o ano passou rápido. Parece que foi ano que entramos em 2014 e agora já estamos quase em 2015. Muitas coisas aconteceram até então. Por isso precisamos valorizar tudo que temos em nossa vida e aproveitar o máx possivel, porque voltar atrás não tem como. =/

    Olha linda estou te seguindo
    amei o seu blog
    me segue tbm?
    Se cuida

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente é verdade, muitas vezes acabamos dando valor ao que menos importa.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011