Resenha: Black Sabbath - A Biografia

by - terça-feira, novembro 11, 2014

Autor: Mick Wall
Páginas: 360
Ano: 2014
Editora: Globo Livros
Compre aqui: Livraria Saraiva
Resenha por Neialbert Fontes

“Continue sonhando garoto, pois quando você para de sonhar é hora de morrer, e como todos nós somos parte do amanhã, então, eu vou escrever minhas palavras na face do hoje... e eles irão pintá-las!”

Este trecho acima, da canção Change, do Blind Melon, resume muito bem o que foi, é e será, a trajetória de uma das maiores bandas de Heavy Metal (se não, a maior) de todos os tempos: o Black Sabbath! E assim, o jornalista inglês Mick Wall, que vivenciou toda carreira da banda, ao lado de Tony, Ozzy, Bill, Geezer, Dio, entre outros membros, nos conta de forma eletrizante, todo o percurso dos “filhos da sepultura”, detalhes jamais escritos a respeito do grupo, tampouco, das carreiras solo de Ozzy Osbourne e Ronnie James Dio.
 


Para um quarteto de drogados, sem expectativas nenhuma na vida, o Black Sabbath, liderado pelo guitarrista excêntrico Tony Iommi, que quase mesmo nem se tornaria um, por perder as pontas dos dedos num acidente de trabalho, conheceu o céu e o inferno, num curto espaço de tempo, entre as décadas de 60 e 70. Sempre massacrados pela mídia, a banda parecia não se importar, conquistando cada vez mais fãs pelo mundo, principalmente, nos Estados Unidos, com suas canções sobre Lúcifer e o ocultismo, letradas principalmente por Geezer Butler e Tony Iommi, consumidores natos da cocaína. Ozzy Osbourne, o louco descontrolado como sempre era visto pelo resto do grupo, era quem chamava a atenção no grupo pelas “presepadas” feitas durante os shows e, claro, fora deles, como arrancar a cabeça de duas pombas, numa apresentação da banda para um selo musical importante nos Estados Unidos.
 
 


Apesar de sofrerem bastante para chegarem onde estão, Mick Wall, também deixa claro nesta biografia, o quanto significava para o grupo chegar ao auge, numa época de grandes bandas, como Led Zeppelin, Deep Purple, AC/DC, Uriah Heep, Jethro Tull, Rolling Stones, entre outras. E conseguiram se manter por um bom tempo, entre eles, mas, o alto consumo de bebidas e drogas, além de brigas contratuais, o fizeram regressar e quebrar. Ozzy Osbourne fora expulso da banda por Tony, sob alegação de indisciplina, o que fez com que houvesse uma racha no grupo, desmotivando-os e levando-os a acreditar no fim da banda. 

Mas eis que surge o pequeno grande Ronnie James Dio, que assumiu os vocais e a liderança da banda, no final dos anos 70, enquanto Ozzy Osbourne seguia a sua carreira solo, gerenciada então, pela sua futura esposa, Sharon Arden, filha do insaciável mafioso da música, Don Arden, que também fora empresário do Black Sabbath por longos anos.
 
 
 
 
O escritor, conta brevemente sobre alguns aspectos da vida de cada membro, com a precisão de quem presenciou cada momento, inclusive, sobre o trágico acidente em que matou o promissor guitarrista da banda solo de Ozzy, o Randy Rhoads, as brincadeiras perversas de Tony e Geezer, contra Bill Ward (chegaram até a atear fogo no pobre Bill), à vida descontrolada, os gastos excessivos com bebidas, mulheres e drogas, e claro, o fim do poço para eles. 

Falar de qualquer membro do rock não é tarefa das mais fáceis, afinal, o rock, em seus variados estilos, sempre será um gênero ambíguo, principalmente para os fãs, críticos, ou quaisquer pessoas envolvidas a este meio, tornando complexo, o entendimento e até mesmo a adoração de uma forma unanime, a qualquer banda, grupo, ou artista do rock. Porém, Mick Wall, como jornalista crítico e fã declarado do rock’n roll, com pormenores, majestosamente, fez desta biografia, uma verdadeira obra literária, sobre os bons velhos tempos do rock, que nos dias de hoje, deixa muito a desejar!

Leia também

4 comentários

  1. ai que demais!
    adoro a banda, e estou super curiosa para ler esta biografia (apesar de não gostar muito...)
    mas as ilustrações nesta obra estão maravilhosas, impossivel não desejar! *-*
    acabei de ver que está na promoção :OOOOO
    bem que a edição podia ser capa dura né hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rayme! Espero que esteja tudo bem contigo! Pois é, tenho certeza de que irá se identificar com esta biografia, já que ela é riquíssima em detalhes, que nos faz compreender, sem delongas, a mente e a personalidade, de cada membro do grupo. O Mick Wall, com certeza, não escreveu apenas mais uma biografia de uma banda de rock, mas sim, conseguiu transformar ela numa grande obra literária e talvez, você até concorde comigo, nesta afirmação. Há varias ilustrações, de variadas épocas da banda e das carreiras solo de Ozzy e Dio. Há diálogos precisos e marcantes, situações inusitadas e hilárias, que só quem conviveu nesta esfera, pode contar sem deixar escapar nada. E aproveito também, para reforçar sua exclamação: Bem que a edição poderia ser capa dura, mesmo!

      Abraço'

      Excluir
  2. gosto de ler biografias, elas mostram que nem tudo é perfeito na vida dos outros
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Thaila, como vai? Espero que bem! Pois é, como diz um velho ditado: "Nem tudo que brilha é ouro, e nem todo ouro pode nos salvar!"

      Acho que, perfeição, nem mesmo as canções da banda almejaram esse nível, mas isso mostra o quanto é preciso lutar, batalhar, para que as coisas, ao menos, sigam num rumo certo, ou sirva como o bom, para alguém. O Black Sabbath, sempre foi visto como os escombros, os lixos, pós guerra. Jamais receberam títulos nobres ou reconhecimento, como outras bandas da época receberam... e o motivo disso, neste livro fica fácil de entender!

      Um forte abraço'

      Excluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011