Resenha: Quero ser vintage

by - sábado, dezembro 06, 2014

Autora: Lindsey Leavitt
Páginas: 286
Ano: 2014
Editora: Benvirá
Compre aqui: Livraria Saraiva

Depois de descobrir que foi traída virtualmente, Mallory não pensou duas vezes antes de xingar Jeremy em uma rede social e sumir do mapa. Ela decidiu ser totalmente vintage e viver com sua avó quando era adolescente, nos anos sessenta, época em que as relações iam além da superficialidade das redes sociais.
Mas Mallory não imaginava que viver sem tecnologia seria tão difícil. Como fazer as pesquisas da escola sem internet? Como esquentar um lanche sem a praticidade do micro-ondas? Como falar com as amigas sem mensagens do celular ou e-mail?
“Quero Ser Vintage” apresenta as semelhanças e as diferenças dessas duas épocas de maneira muito divertida, mas o que torna a leitura ainda mais irresistível são inesperadas reviravoltas e as relações entre personagens tão reais.

Eu gosto do universo vintage, e quando vi este livro “Quero ser vintage” seu título no mesmo momento me chamou a atenção, e claro quis ler! Mas ao adentrar as suas páginas, não encontrei exatamente o que pensei que fosse encontrar, e percebi que o foco não era tão assim no vintage em si.

Mallory é uma personagem que no todo me agradou, nas primeiras páginas eu já percebi que a desenvoltura do enredo seria sobre suas dúvidas, e a fase que estava enfrentando após o rompimento com o namorado (que teve um motivo virtual). Ela é uma personagem que conseguiu me conquistar rapidamente, e gostei do senso de humor da mesma, o que deixou de certa forma a leitura mais leve.

O mundo vintage foi utilizado como plano de fundo, um algo a mais, mas o verdadeiro foco do livro são os sentimentos e os questionamentos da personagem, que são comuns as pessoas de sua idade. Isso até que é bom, mas para ser sincera, não esperava que o foco recaísse tanto sobre isto, e foi ai que percebi que era uma obra que visava justamente o público mais adolescente.

Mesmo sendo um livro que tende a ser mais juvenil, as reflexões levantadas valem a pena serem notadas e compreendidas. Além dos conflitos internos de Mallory, sua experiência sem a tecnologia nos faz pensar sobre a influência dessa em nossa vida, o lado positivo e também negativo, despertando nossa atenção para diversos itens e discussões sobre a mesma.

A leitura flui bem, Quero ser vintage consegue cativar por ser leve, descompromissado, sem grandes surpresas ao meu ver. Confesso que esperava um pouco mais, eu ainda não havia lido nenhuma crítica sobre o mesmo, então não sabia que ele seria mais juvenil, fui descobrir isso lendo. Então recomendo que leia quando estiver procurando uma leitura jovem, fácil e rápida, sem grandes pretensões, mas com algumas reflexões, apenas.

Leia também

3 comentários

  1. Gosto de livros juvenis mas para o momento certo sabe? Só quando bate aquela vontade de ler algo do tipo mesmo. No entanto se o livro juvenil for BOM MESMO não faço questão de ler em um momento qualquer! Juro que o titulo e a capa super me chamaram a atenção, mas a resenha me fez desanimar um pouquinho!!

    xoxo
    www.amigadaleitora.com

    ResponderExcluir
  2. que enredo bacana, ainda não conhecia o livro à fundo e estou bem animada!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Daine, tudo bem?

    Também li esse livro esperando alguma mensagem mais bacana mas não foi tudo isso uma pena né mas serve para distrair.

    Beijos

    www.livrosechocolatequente.com.br

    ResponderExcluir

Blog no ar desde 08/11/2011

Blog no ar desde 08/11/2011